10-anos-500
Segunda-feira, 27 de Abril de 2015

De regresso à Cidade - Rua Direita e Arrabalde

1600-(42636)

 Abril, águas mil. Confirma-se!

1600-(42587)

 

publicado por Fer.Ribeiro às 02:51
link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Domingo, 26 de Abril de 2015

Pecados e picardias

pecados e picardias copy

 

Noite Adentro


Fez um banco com grades sobrepostas
Instalou-se, a conversa ia animada
Viu as horas, meia-noite, sentiu as dores de costas
Hoje ia esperar, nada a amedrontava
Estava junto à grade por onde a cave respirava
Confirmou que via tudo dos orifícios onde espreitava…
Até o doutor… que entretanto… olhava?
 
A donzela? Seria possível!...
O homem ensandeceu
Nesta idade… tão carente
Nem a mulher já temeu
Enfim! ele lá sabe o que sente
 
Todos olharam p`ra porta
Finalmente o javardo
A tiracolo a viola!
Com que cuidado a transporta
Parece algum legado …Pesado
Como a francesa lado a lado
 
Ele alto espadaúdo metro e noventa
Ela metro e oitenta cabelos pretos
Casal elegante …enigmático
Ela com olhos de mel, sorri ternurenta
Ele olhos azuis misteriosos  discretos
Ela admirável  e ele carismático
Ninguém dos clientes fica indiferente
 
A Bertinha pensa naquela …relação?
Acha que o javardo não lhe dá?... A atenção
Segue-os com o olhar vê-o pousar a viola
Como quem pousa cristal e não uma sacola
E a mulher dirige-se ao canto do balcão
Onde está o Gerardo…fazem-se festas… na mão?
 
Céus, com que intimidade
Os silêncios do entendimento
Agora é que a Bertinha arde…
Sem perceber o envolvimento
Menos a reciprocidade
E a intensidade do momento
 
E o javardo aquele abraço
De sócio em maré-alta
Meu Deus como se sentiram a falta
Ela é que se sentia em colapso
Ao vê-los aos três em perfeita comunhão
Excluída, por eles sem apelação…

Isabel Seixas

publicado por Fer.Ribeiro às 23:00
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

Izei - Chaves - Portugal

1600-izei (157)-1

Como ontem foi um dia especial não deu tempo de ir até às nossas aldeias, mas hoje, de regresso à normalidade dos dias, dos domingos, temos de cumprir a promessa de trazer aqui o nosso mundo rural. Hoje tocou a sorte a Izei.

1600-izei (126)

Izei é uma aldeia que tem uma beleza singular, no entanto essa beleza não é muito percetível . para quem a atravessa via nacional 314, tanto mais que a já, por si, complicada estrada, em Izei complica-se ainda mais e a atenção que a estrada exige não deixa espaço para os olhares que a aldeia merece e os pormenores que ela guarda, mas não só, pois os pormenores mais interessantes não são visíveis desde a estrada.

1600-izei (109)

Assim para aldeia de Izei ser apreciada com olhos de ver, será mesmo necessário parar e percorrer a sua rua, única, ao longo da qual as preciosidades se deixam ver. Outra hipótese é apreciar todo o conjunto da aldeia, mas mais uma vez terá de sair da estrada para ter direito a essas vistas. Pessoalmente gosto de lhe lançar olhares desde o alto de Samaiões.

 

 

publicado por Fer.Ribeiro às 04:44
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

A foto do 25 de abril 2015, em Chaves

1600-25-abril-15 (45)

 Grupo Coral Infantil de Chaves

publicado por Fer.Ribeiro às 02:56
link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Sábado, 25 de Abril de 2015

25 de abril - Sempre!

Desde o primeiro ano de existência deste blog que aqui é obrigatório recordar o dia 25 de abril de 1974 e, enquanto o blog existir, assim continuará a ser.

2439920208_f5fd874125_o.jpg

Ao longo destes anos fiz algumas composições para comemorar este dia que para sempre ficou ligado e simbolizado pelo cravo, os cravos, a revolução dos cravos, não só porque alguém nesse dia, nua ato espontâneo se lembrou de distribuir cravos pela população de Lisboa e o fotógrafo registou o momento mas também pela forma como a revolução acabou por acontecer, pacificamente e com a adesão em massa da população.

4529277347_89f8dd9b6e_o.jpg

Pois hoje ficam aqui algumas dessas composições e algumas das centenas ou milhares de fotografias que nesse dia se tomaram em Lisboa, em pleno desenrolar da revolução, imagens sempre curiosas e sempre agradáveis de ver e que nos fazem ir à memória buscar alguns momentos desse dia, que para nós flavienses e um pouco por todo o Portugal fora de Lisboa se viveu cheio de expetativas e ávidos por saber o que realmente se tinha passado na capital, é que na altura não havia telemóveis, facebook, nem internet e até os telefones eram escassos. Restava apenas a televisão e a rádio que até à noite do 25 de abril de 1974 também pouco esclareceram com as suas emissões suspensas. Certo, certo, durante esse dia do 25 de abril de 1974 apenas se sabia que em Lisboa tinha acontecido qualquer coisa, ou como eu costumo dizer: à rua, o 25 de abril apenas chegou a Chaves no dia 1º de maio, esse sim, celebrado também em Chaves com o povo todo na rua, em festa, na primeira festa da liberdade que eu conheci.

5653966744_27cfdba05b_o.jpgPena que o espírito do 25 de abril, da liberdade se tenha perdido e hoje apenas se resuma a um hastear da bandeira e para encher “programa” até se tenha de incluir aulas de hidromassagem, pois festa da liberdade na rua já há muito que não há. Quase parece que temos vergonha dela. Por mim, 25 de abril SEMPRE e viva o 25 de abril, que coisa mais preciosa que a liberdade não há. Mas enfim, deixemos as palavras e ficam então algumas das composições que deixei aqui no blog ao longo dos anos e algumas imagens do 25 de abril em Lisboa.

5653978542_deb75cc319_o.jpg

 

5660928267_e3670b7215_o.jpg

 

6965116952_d8f673ce55_o.jpg

25 de abril.png

 

1880424.jpg

 

1889858.jpg

 

bula.png

 Arquivo Expresso (1974), "25 de Abril de 1974: o «Bula»", CasaComum.org, Disponível HTTP: http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_115210 (2015-4-25)

canvas.png

 

 (1974), "25 de Abril de 1974: populares e militares confraternizan no Largo do Carmo", CasaComum.org, Disponível HTTP: http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_114282 (2015-4-25)

cerco carmo.png

 (1974), "25 de Abril de 1974: cerco ao Quartel do Carmo", CasaComum.org, Disponível HTTP: http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_114636 (2015-4-25)

 

fotos-de-alfredo-cunha-o-dia-25-de-abril-de-1974.jFoto de Alfredo Cunha

 

rei.jpg

Salgueiro Maia a dirigir-se à população

vitoria mfa.png

 

 (1974), "25 de Abril de 1974: a vitória do MFA", CasaComum.org, Disponível HTTP: http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_114589 (2015-4-25).

publicado por Fer.Ribeiro às 03:20
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|  O que é?
Sexta-feira, 24 de Abril de 2015

Chaves - Madalena - Portugal

1600-(41505)

 

Hoje vamos até à margem esquerda do Tâmega, o outro lado da cidade, até à Madalena, com dois olhares, dois regressos quase ao berço, ao território permitido de infância, ao lado rural da cidade, das hortas, da veiga, do Jardim Público, das primeiras letras…

1600-(41310)

Às vezes convém regressar aos nossos territórios, aqueles que para todo o sempre nos povoam a memória com lugares cheios de estórias e recordações.

 

 

publicado por Fer.Ribeiro às 02:08
link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Quinta-feira, 23 de Abril de 2015

Pedra de Toque - O Livro

pedra de toque copy

 

O Livro

 

Era para regressar para a semana à vossa amizade.

 

Optei por voltar hoje.

 

O livro merece.

 

E hoje é o DIA MUNDIAL DO LIVRO.

 

Leio sempre que posso e agora posso mais vezes.

 

Para além do enorme prazer que me proporciona a leitura de um bom livro (enche-me a alma…) adoro procurar livros, manuseá-los, tê-los nas minhas mãos e, sobretudo, adquiri-los para ficarem na minha companhia.

 

E depois lê-los quando me apetece, quando a oportunidade surge.

 

É difícil, extremamente difícil, dizer-vos quais os livro da minha vida.

 

Ocorrem-me imensos, muitos deles que reli.

livro

Permito-me, no entanto, destacar três, porque foram influentes, marcantes, decisivos na minha formação, no meu crescimento, na definição da minha personalidade.

 

Desde logo “A Mãe” de Máximo Gorki.

 

Se sou um homem convictamente fraterno, profundamente solidário, intransigente defensor da justiça social em todas as circunstâncias, devo-o à influência que este romance de Gorki teve, tem e espero ainda que tenha para sempre, sobre a minha vida.

 

“Cem anos de solidão” de Gabriel Garcia Marquez, talvez o melhor romance que li.

 

Um livro fabuloso, belíssimo, envolvente, mágico, de um escritor superior.

 

Voltei a ele recentemente e adorei revisitá-lo.

 

Fi-lo desta vez com mais calma, degustando-o com um prazer enorme.

 

Por fim, o grande livro da nossa literatura, da responsabilidade do genial Pessoa, composto por Bernardo Soares, ajudante de guarda-livros na cidade de Lisboa.

 

O “Livro do Desassossego”, que, como refere o poeta “é só um estado de alma, analisado de todos os lados, percorrido em todas as direcções”.

 

Quando a fome de poesia me chega aos lábios, subo-a aos olhos que pouso neste livro sempre presente, sempre junto a mim.

 

António Roque

publicado por Fer.Ribeiro às 23:00
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

Chaves, anos 80/90

chaves-analogica

É, de vez em quando vou espreitar como era Chaves nos anos 80/90 dos meus 20 anos de fotografia analógica. Anos 80/90, anos em que o b€tão foi rei e senhor e a cidade extravasou das suas malhas do centro histórico e ultrapassou até a meia dúzia de bairros periféricos.

1600-2015-04-19_0

Pois de vez em vamos ter aqui a cidade desses anos 80-90 e alguma da sua vida, nem que seja, e só, para recordar.

1600-2015-04-19_152

Hoje ficam duas dessas imagens, a primeira da Rua Alferes João Batista, a segunda da Rua 25 de Abril ainda com as construções adossadas à muralha.

 

 

publicado por Fer.Ribeiro às 02:31
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

Vivências - O fim do cozido à portuguesa?

vivenvias

 

O fim do Cozido à Portuguesa?

 

Como qualquer português que se preze sou um fervoroso adepto da nossa cozinha tradicional. Agrada-me saborear uma boa refeição, de preferência em boa companhia, num ambiente acolhedor e sem as pressas do dia-a-dia. Delicio-me com um bom Cozido à Portuguesa, um Bacalhau com Natas, uma Feijoada à Transmontana ou uns Rojões à Moda do Minho, devidamente acompanhados por um vinho a condizer. Como sobremesa, um Doce da Avó, um Arroz Doce ou um Leite Creme vêm mesmo a calhar. Finalmente, para terminar a preceito, um café bem tirado...

 

Infelizmente, a meu ver, os verdadeiros amantes da boa gastronomia são em número cada vez mais reduzido. Senão vejamos: a maioria das pessoas, principalmente as que vivem e trabalham nas grandes cidades, quase não têm tempo para as refeições. Ao almoço engolem uma pseudo-refeição, à pressa, no restaurante da esquina, apinhado de gente… e com o telemóvel sempre por perto. Ao jantar, cansados e sem paciência para cozinhar, aquecem no micro-ondas uma qualquer embalagem que tenha a indicação “Preparação rápida” e que apesar do bom aspecto que possa ter não deixa nunca de saber a plástico.

 

Os jovens, por seu lado, sem referências em casa e constantemente bombardeados pela publicidade, embarcaram quase irreversivelmente na moda do fast-food e da comida embalada: pizzas, hamburgueres, hot-dogs, batatas fritas de pacote, acompanhados por muitos molhos e uma Coca-Cola, ou algo parecido, são para eles verdadeiros manjares. Muitos quase não conhecem outro tipo de alimentação; jamais ouviram falar em batatas cozidas, feijão frade, couve lombarda ou sardinha assada com broa...

 

Que futuro para a nossa cozinha tradicional? Estaremos perante o fim do Cozido à Portuguesa? E o Bacalhau à Zé do Pipo? Alguém se lembrará dele daqui a algumas gerações?

 

Luís dos Anjos

 

 

publicado por Fer.Ribeiro às 00:49
link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Quarta-feira, 22 de Abril de 2015

Chaves, uma imagem

1600-(20081)

 

 

publicado por Fer.Ribeiro às 01:22
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

Chá de Urze com Flores de Torga - 76

1600-torga

 

Chaves, 3 de Setembro de 1985

Biografar alguém! Contar logicamente a absurda aventura de uma vida, a partir dos mentirosos documentos que deixam no mundo todas as vidas.

Miguel Torga, in Diário XIV

 

Santo Estêvão, Chaves, 7 de Setembro de 1985

Também aqui chegou a lepra que desfigura confrangedoramente o rosto urbano do país. Nem a sólida torre medieval, que resistiu heroicamente a todas as investidas bélicas do passado, conseguiu defender-se da agressão arquitectónica do presente. Tem agora ao lado, como tantos outros monumentos nacionais afrontados, uma caricatura da sua dignidade.

Miguel Torga, in Diário XIV

1600-sto-estevao (38)

 

Chaves, 10 de Setembro de 1985

Passado, presente, futuro. Assim a maioria dos mortais parcela a duração e a vive em conformidade, na saudosa lembrança, na quente intimidade, na confiante expectativa. Mas há aqueles sedentos de absoluto que, agonicamente desvinculados das horas, parecem sideradas num tempo parado.

Miguel Torga, in Diário XIV

 

 

publicado por Fer.Ribeiro às 01:17
link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Terça-feira, 21 de Abril de 2015

O Barroso aqui tão perto... Histórias da Vermelhinha

montalegre (549)

 

Freguês Antigo

 

Mas nem sempre o P.e Cosme bebia de graça.

 

Uma vez um de Parvalheira da Serra ia por um caminho adiante e encontrou vinte escudos.

 

— Já tenho para tabaco…—exclamou ele, todo contente.

 

E gastou o dinheiro em cigarros.

 

Mas depois teve um rebate de consciência e foi-se confessar.

 

P.e Cosme, que estava de bons azeites, disse-lhe:

 

— Pegas em vinte escudos, entrega-los à primeira pessoa que encontrares e estás redimido.

 

O homem saiu da igreja com vinte escudos na mão e a primeira pessoa que avistou foi uma rapariga que andava às leitugas num lameiro, à berma do caminho. Dirigiu-se a ela e disse:

 

— Toma vinte escudos.

 

— Não são vinte, são cinquenta — emendou ela.

 

— Mas o P.e Cosme disse-me que eram vinte… — contestou ele, meio intrigado.

 

— Ah, sim? Mas o padre é freguês antigo…

 

Bento da Cruz  in "Histórias da Vermelhinha"

 

1600-barroso XXI (198)

 

 

publicado por Fer.Ribeiro às 02:14
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

Curso de Iniciação à Fotografia - Dia 25 de Abril em Chaves

cartaz.jpg

PROGRAMA

 

CURSO DE INICIAÇÃO À FOTOGRAFIA – TU e TUA MÁQUINA

 

Dia 25 de Abril - Chaves

 

 

PERÍODO DA MANHÃ – AULA TEÓRICA ( na sede da Associação Lumbudus).

 

9H30

Conhece a tua máquina: Descrição de todos os botões, controles e funções da câmara fotográfica.

 

10H30

Tipos de máquinas fotográficas e lentes. Atuação com câmara: sujeição, modos de utilização (PASM), focagem, profundidade de campo, exposição (histograma e reciprocidade)

 

11H30

Efeitos da velocidade de obturação, evitar fotos tremidas. Medição de luz. Temperatura de cor e WB (balanço de brancos). Estilos/modos de imagem. Regras básicas de composição fotográfica.

 

Intervalo/descanso de 5 minutos em cada hora.

 

12H30

Almoço

 

PERÍODO DA TARDE – AULA PRÁTICA

 

14H30

Passeio fotográfico (local a determinar).

No passeio fotográfico pôr-se-á em prática toda a matéria abordada na aula teórica do período da manhã.

 

Organização: LUMBUDUS – Associação de Fotografia e Gravura

Formador: Sérgio Crespo Vilar

 

Inscrições e informações: lumbudus@gmail.com

 

Curso aberto a não associados Lumbudus

 

 

 

publicado por Fer.Ribeiro às 01:35
link do post | comentar | favorito
|  O que é?
Segunda-feira, 20 de Abril de 2015

Quem conta um ponto...

avatar-1ponto

 

236- Pérolas e diamantes: o verdadeiro e o falso

 

Lá continuamos a correr para o abismo com um sorriso pepsodente espelhado no rosto, em tudo semelhante ao dos nossos governantes. Todos colaboramos como se esta atitude fosse a mais normal do mundo.

 

Os políticos do regime (PSD/CDS e PS) continuam apostados em nos infernizar a vida com as palavras mansas do costume. A lógica que os move deriva apenas dos tiques de conservação ou aproximação ao poder, sem se interessarem verdadeiramente pela situação do país.

 

Passos Coelho foi votado pelo mesmo sistema de ilusões que deu corpo político a Sócrates: através da mentira sistemática. Ambos nos mentiram, mas parece que os eleitores querem continuar a ouvir essas mentiras porque são confortáveis.

 

A “verdade” com que nos mentiram deve abrasar atualmente a boca de muita gente.

 

Existem poucas dúvidas de que somos um país pouco desenvolvido, com sérios problemas de crescimento económico. A nossa pobreza advém de múltiplos fatores. O principal reside na estreiteza de pensamento e ação dos políticos que nos têm sucessivamente governado.

 

Falta-lhes tudo, sobretudo princípios e cultura. São quase como uma horda de bárbaros. Detestam os que não possuem paciência para a ignorância presumida e institucionalizada. Apreciam a subserviência. Eliminam tudo o que tem qualidade para não terem termo de comparação.

 

Em Portugal o ridículo não mata, nutre. A troca de cadeiras entre os que entram e os que saem é sempre temporária. As lideranças fátuas permitem fazer carreiras na sombra dos gabinetes, onde impera sempre a obediência e o respeitinho. Constituem uma espécie de família remediada vivendo dos patrocínios, dos padrinhos e das clientelas.

 

Daqui resulta a avassaladora mediocridade da nossa vida política, onde as pequenas habilidades pessoais são postas ao serviço dos interesses instalados e da gestão das carreiras partidárias.

 

Quando se deparam com os múltiplos problemas que fazem parte da atribulada vida dos portugueses elaboram logo um discurso espaventoso, mas agem com a maior das incompetências nos atos.

 

O resultado está à vista: todos foram postos à prova e daí nada resultou de positivo. O PSD e o CDS beneficiam atualmente dos meios de governação e o PS alimenta-se do cheiro a poder.

 

Estas tribos poderosas que constituem o Bloco Central dos Interesses (BCI) aprenderam ardilosamente a retórica convicta dos ludibriadores, que faz com que as pessoas não consigam distinguir o verdadeiro do falso, exercendo essa arte com tais requintes de malvadez que, mais do que convencer quem os ouve, corrompe a vontade de lhes fazer frente e de resistir ao engano.

 

Antes Sócrates, e agora Passos Coelho (isto para não falar dos tiranetes de província), em vez de apostarem na política populista da distribuição apriorística de benesses, concentram-se sobretudo na prática de uma habilíssima manipulação das pessoas, controlando-as pelo medo e pela eficaz presença mediática, pela exímia prática do domínio do jogo mediático.

 

Os portugueses que estiverem satisfeitos com este estado de coisas devem continuar a votar nos partidos do BCI (PS, PSD/CDS), mas a nossa mensagem tem de ser outra e destinada a todos aqueles que estão desacreditados da política e que já não votam.

 

Para esses é necessária uma mensagem de esperança e de confiança. É necessário que voltem a acreditar na política, pois o problema é que temos sido mal governados e desgraçadamente dirigidos. As nossas elites, em muitos aspetos, traíram os interesses do povo, mas é na política que temos de resolver os problemas do país. Em democracia não existe outro caminho. A resposta tem de ser necessariamente democrática e sinceramente republicana. Essa é a alternativa.

João Madureira

 

PS – Tchékhov dizia que “a arrogância é uma qualidade que fica bem aos perus” (ou talvez aos pavões que são aves de cauda mais vistosa). Por isso, mais uma vez solicitamos ao senhor presidente da CMC e aos seus distintos vereadores, que aprovem uma auditoria independente às contas da nossa autarquia. Quem não deve não teme.

 

PS 2 – Em nome da transparência, já agora senhor presidente, talvez fosse boa ideia aprovar conjuntamente uma auditoria externa às contas da JF de Santa Maria Maior.

 

PS 3 – Era um ato de coragem redentora, o senhor presidente deixar-se de desculpas de mau pagador e pôr fim ao deplorável espetáculo dos esgotos a céu aberto em Vale de Salgueiro – Outeiro Seco.

 

 

publicado por Fer.Ribeiro às 09:00
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

De regresso à Cidade - Forte de S.Francisco

1600-(42285)

 

 

 

publicado por Fer.Ribeiro às 03:21
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

.Fotos Fer.Ribeiro - Flickr

frproart's most interesting photos on Flickriver

.meu mail: blogchaves@sapo.pt

.Abril 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9



28
29
30


 

 

El Tiempo en Chaves

.Veja aqui o:

capa-livro-p-blog blog-logo

.Facebook

Fernando Ribeiro

Cria o teu cartão de visita Instagram

.subscrever feeds

.favorito

. Solar da família Montalvã...

.posts recentes

. De regresso à Cidade - Ru...

. Pecados e picardias

. Izei - Chaves - Portugal

. A foto do 25 de abril 201...

. 25 de abril - Sempre!

. Chaves - Madalena - Portu...

. Pedra de Toque - O Livro

. Chaves, anos 80/90

. Vivências - O fim do cozi...

. Chaves, uma imagem

. Chá de Urze com Flores de...

. O Barroso aqui tão perto....

. Curso de Iniciação à Foto...

. Quem conta um ponto...

. De regresso à Cidade - Fo...

.pesquisar

 
blogs SAPO

.Blog Chaves no Facebook

.Creative Commons

Creative Commons License
Este Blogue e o seu conteúdo estão licenciados sob uma Licença Creative Commons.

.Olhares de sempre

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Add to Technorati Favorites