Sábado, 17 de Novembro de 2007

Nantes - Chaves - Portugal

 

.

 

Hoje vamos até Nantes.
 
Nantes é uma aldeia da freguesia de Vilar de Nantes e fica a apenas 4 quilómetros de Chaves, ou seja, mais que uma aldeia é um bairro da cidade de Chaves, aparentemente, apenas isso, pois embora seja uma aldeia urbana, mantém ainda toda a sua ruralidade, principalmente nos que são naturais da aldeia, pois quanto aos novos inquilinos, que nesta aldeia resolveram levantar o seu lar, aí a realidade já é outra, e Nantes apenas lhes serve de dormitório.
.
.
 
Quis o destino que também eu fizesse desta aldeia o meu dormitório e por ela assentasse arraiais, mas o meu caso até diferente, pois além de vizinho de nascença desta aldeia, há laços de família ligados a Nantes, que sempre é uma referência quando se habitam meios rurais, por muito urbanos que sejam.
 
Mas vamos a Nantes, aldeia.
 
Nantes, situada nas faldas da Serra do Brunheiro foi também terra de belas casas senhoriais rurais, uma ainda se vai mantendo conservada e habitada enquanto a outra, está num lastimoso estado de ruínas e já desenquadrada da sua envolvente original, pois novas construções assombram a sua beleza original, mas, mesmo assim mantém a sua beleza e está piedosamente a pedir um restauro e reabilitação, ainda para mais quando a sua entrada está virada para o largo principal da aldeia.
.
.
 
No ano de1668 foi erigido em Nantes, pelas qualidades saudáveis do seu clima e já fora das humidades da veiga, o Hospício de Convalescença dos frades do Convento de S. Francisco de Chaves, com uma capela consagrada à Senhora do Socorro, um artístico fontanário (em foto anexa) enquadrado entre belos ornatos e uma fonte de mergulho, muito interessante também.
 
.
.
A capelinha da aldeia é da devoção a Santa Ana, que dá nome ao largo e que se festeja, cada ano, no último domingo de Julho.
 
A aldeia desenvolve-se ao longo da sua rua principal e dentro da minha análise pode mesmo ser dividida em Nantes de Cima e Nantes de Baixo. Embora em Nantes de baixo seja o núcleo nobre da aldeia, com as tais casas senhoriais, as quintas importantes e seja aí o centro de Nantes, com a capela, a escola com alunos e até um jardim de infância, sinal que esta aldeia não sofre de desertificação (pese as casas tradicionais abandonadas), além do largo da festa (largo de Santa Ana) a parte superior da aldeia, a que começa a entrar Brunheiro dentro, é para mim a mais interessante e a aldeia rural de Nantes. Aí possui um interessante cruzeiro que há muitos anos deixou de o ser, pois deixou de estar no cruzamento dos caminhos e foi deslocado para o cimo de uma rocha. Perdeu a sua função de cruzeiro (dizem porque incomodava a circulação no cruzamento) e foi encostado. Perdeu a visibilidade mas mantém todas as características de cruzeiro e encontra-se em bom estado de conservação.
.
.
 
Embora a aldeia se desenvolva ao longo da sua rua principal, por sinal de inclinação bem acentuada a entrar Brunheiro dentro, a aldeia rural entrava e entra pela veiga adentro. Pois era e ainda é aí que os agricultores (já poucos) de Nantes têm as suas terras férteis e davam o sustento para as famílias numerosas. Mas hoje a realidade é bem diferente e nas suas terras foi até erguida uma cooperativa de habitação com mais de duzentas famílias quase todas elas ligadas laboralmente à cidade e novos bairros habitacionais. É assim uma aldeia dormitório da cidade por excelência mas onde o núcleo antigo de Nantes se mantém ainda quase intacto. Falta a Taberna do tio Chico, que deixou saudades aos clientes habituais e aos “putos dos rebuçados”, mas ainda se mantêm as tertúlias à porta da Taberna, mesmo que esteja fechada.
 
.
.
.
.
Aldeia de bons ares, prova está no antigo hospício e também nas duas “raparigas” que hoje deixo aqui em imagem, a Celeste Ramos (Tia Lete) com 94 anos de idade e a Saudade Lavouras (Tia Saudade) com 98 anos, esta com muitas,fascinantes e também difíceis  histórias de vida para contar (mas que não conta) dos velhos tempos do antigo regime e que “morre de medo” que nos seus 100 anos próximos a SIC venha por aí acima para lembrar a data em imagem. Pois estas duas jovens, a Tia Lete e a Tia Saudade são as minhas relíquias de hoje e também as relíquias desta aldeia de Nantes, que demonstram bem que Nantes é terra de bons ares.
.
.
 
E por hoje é tudo, com mais imagem do que texto, mas para que mal gastar as palavras quando a imagem vale tudo.
 
Amanhã cá estarei de novo com uma nova aldeia do nosso concelho.
 
Até amanhã!
´
publicado por Fer.Ribeiro às 02:56
link do post | comentar | favorito
|  O que é?
7 comentários:
De Tãnia a 21 de Novembro de 2007 às 10:30
Fantásticas fotos.
Tocou-me no berço. E estas senhoras são sem dúvida duas relíquias de Nantes. É de salientar a sua independência. Têm a sua própria casa, cozinham , lavam, etc. Um verdadeiro exemplo de como envelhecer sem necessariamente esmorecer.


De antonio José Borges Maltez a 1 de Setembro de 2009 às 04:31
Minha Mãe Maria Laura Martins Borges irmã de Celeste Borges a qual A Sra. Celeste e madrinha (Filha David Borges), manda um beijo a elas se estiverem vivas.


De Fer.Ribeiro a 1 de Setembro de 2009 às 13:40
Estão vivas e de boa saúde. Isto são raparigas para chegar e ultrapassar os 100 anos, que pouco falta.


De Antonio José Borges Maltez a 2 de Setembro de 2009 às 05:25
Que bom minha Mãe mandou um grande beijo a elas, e para você um grande abraço, minha perguntou se você é da agencia de turismo?
Um abraço

Antonio José Borges Maltez


De José Manuel a 29 de Dezembro de 2007 às 21:56
Manel - nantes - tio de Tânia.`
É mesmo, toca no fundo. Elas são maravilhosas. Duas Senhoras Especiais para qualquer natural da aldeia. Amigas, fraternas e fortes; desde que tenho memória. Um grande abraço a Ambas.



De ldelmar lavouras a 5 de Fevereiro de 2011 às 00:52
Gostei de + das noticias de Nantes.+ ainda ver a minha mãe c/ atia lete.Q saudade tia Lete, da viagem q fizemoos pra Moçambique em 1957,O tempo passa.Q saudade


De Sylvania Tavares a 21 de Dezembro de 2015 às 01:14
Ola, tudo bem!! Descobri o seu blog na internet e gostaria de solicitar sua ajuda, tenho familia ai em Nantes - Chaves, e nao consigo localizar ninguem, perdi o contato com primas desde 2009 e nao mais tive noticias, Sou Brasileira, neta de uma portuguesa nascida em chaves, varias pessoas da familia ja se foram, mas tinha contato sempre com uma prima, que tenho mandado cartas e nao consigo resposta. Se puder me ajudar te agradeco. Posso mandar o endereco. Fico no aguardo da sua informacao. Obrigado


Comentar post

.Fotos Fer.Ribeiro - Flickr

frproart's most interesting photos on Flickriver

.meu mail: blogchavesolhares@gmail.com

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.pesquisar

 
ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

 

 

El Tiempo en Chaves

.Facebook

Fernando Ribeiro

Cria o teu cartão de visita Instagram

.subscrever feeds

.favorito

. Solar da família Montalvã...

.posts recentes

. De regresso à cidade

. Quem conta um ponto...

. Pedra de Toque

. Faiões - Chaves - Portuga...

. O Factor Humano

. Fugas

. Chaves, cidade, concelho ...

. Nós, os homens

. O Barroso aqui tão perto ...

. Chaves D'Aurora

. De regresso à cidade... c...

. Quem conta um ponto...

. O Barroso aqui tão perto

. Escariz - Chaves - Portug...

. Chaves, cidade, concelho ...

blogs SAPO

.Blog Chaves no Facebook

.Veja aqui o:

capa-livro-p-blog blog-logo

.Olhares de sempre

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Add to Technorati Favorites