Segunda-feira, 11 de Setembro de 2017

O Barroso aqui tão perto - Antigo de Sarraquinhos

1600-antigo de serraq (4)

montalegre (549)

 

Acho que foi aqui que pediram o Antigo de Sarraquinhos, pois ele(a) aqui está, é a nossa aldeia de hoje no “Barroso aqui tão perto” e esta, até calha ser bem perto do nosso ponto de partida.

 

1600-antigo de serraq (13)

 

Ponto de partida que para quem não sabe é feito sempre a partir da cidade de Chaves que, para ir até ao Barroso, tem duas opções principais, pois outras existem mais secundárias que acabam por ir dar a estas duas principais, que embora não sejam para deixar de parte, apenas se devem considerar  por conveniência de algumas particularidades ou até para “desenjoar”.

 

1600-antigo de serraq (14)

 

Ora essas duas opções principais são a Estrada Municipal 507, que para nós é a estrada do S.Caetano/Soutelinho da Raia,  e a outra é a Estrada de Braga que oficialmente é a Estrada Nacional 103. Neste caso de irmos até o Antigo de Sarraquinhos não hesito em nada em recomendar a estrada do S.Caetano.

 

1600-antigo de serraq (16)

 

Graças a internet que é uma farmácia de informação, que tal como os medicamentos pode ser utilizada para o bem mas também para outras coisas e têm sempre algumas contraindicações e efeitos secundários, principalmente para os que não batem bem do andar de cima, depressivos e outros seres complicados, hoje temos acesso a toda a informação. Diz-me ela, a internet nos devidos sítios credíveis, que para chegar até o Antigo de Sarraquinhos devemos tomar a EM507 e que para lá chegarmos temos de percorrer 27.4Km demoramos 00h43 em ritmo de passeio e gastamos 3.80€.

 

1600-antigo de serraq (91)

 

Ora aí está o Barroso aqui tão perto que às vezes é mesmo muito perto e onde temos uma preciosidade à nossa espera, como é o caso deste Antigo de Sarraquinhos que me levam direitinho ao primeiro parágrafo do “Reino Maravilhoso” de Miguel Torga, com sublinhado meu que aliás irei fazer dele lema destas aldeias do Barroso, senão todas, a grande maioria. Pois diz assim:

 

1600-antigo de serraq (8)

 

“Vou falar-lhes dum Reino Maravilhoso. Embora muitas pessoas digam que não, sempre houve e haverá reinos maravilhosos neste mundo. O que é preciso, para os ver, é que os olhos não percam a virgindade original diante da realidade e o coração, depois, não hesite. Ora, o que pretendo mostrar, meu e de todos os que queiram merecê-lo, não só existe como é dos mais belos que se possam imaginar. Começa logo porque fica no cimo de Portugal, como os ninhos ficam no cimo das árvores para que a distância os torne mais impossíveis e apetecidos. E quem namora ninhos cá de baixo, se realmente é rapaz e não tem medo das alturas, depois de trepar e atingir a crista do sonho, contempla a própria bem-aventurança.”

Miguel Torga, in “Reino Maravilhoso”

 

1600-antigo de serraq (15)

 

Como já vos disse atrás alguém me pediu esta aldeia. Claro que não era necessário o pedido, pois eu iria lá na mesma, mas sempre que há um pedido, das duas uma, ou a aldeia merece mesmo ser visitada ou então é o bairrismo que a pede e neste segundo caso, já sabemos que os olhos bairristas que veem a aldeia não são os mesmo de quem a visita pela primeira vez, e às vezes acontece a desilusão, mas outras há, em que tudo vai além das expetativas e se calha, os olhares do visitante até descobrem na aldeia olhares que os seus naturais, de tão habituados que estão a vê-los, não os veem.

 

1600-antigo de serraq (111)

 

Costumo pensar e às vezes dizê-lo as amigos de confiança que o Barroso é um segredo bem guardado. Reino Maravilhoso já muitos o sabem que é mas é nas suas pérolas, em tesouros escondidos e esquecidos, que residem esses segredos. Por um lado, ainda bem que assim acontece, pois é neles que reside também a tal “virgindade original” para desfrute de uns poucos amantes privilegiados, por outro, temos pena que tais “donzelas” acabem por morrer virgens sem ninguém as descobrir, mas o mais curioso de tal sentimento é que talvez prefira que morra virgem do que vir a ser descoberta e prostituída por que não a respeita. Felizmente na maioria dos casos mantém-se a virgindade original,  infelizmente, nalguns casos, tal já não acontece.

 

1600-antigo de serraq (108)

 

Pois o Antigo de Sarraquinhos ainda mantém a sua “virgindade original”. Sofre das maleitas do despovoamento como quase todas mas mantém a sua integridade de aldeia típica barrosã do Alto Barroso, mas não aquele Alto Barroso que, em geral,  os de Chaves conhecem, aquele Barroso mais agreste do planalto da base da Serra do Larouco. Pois embora o Antigo de Sarraquinhos fique nas proximidades já esta na transição paisagística para as terras da Chã onde o verde mais vivo já começa a marcar presença.

 

1600-antigo de serraq (5)

 

Quanto ao casario  mantém a sua integridade do casario típico barrosão, pelo menos do Alto-Barroso onde o granito é rei e senhor. Claro que já há muito se perderam as coberturas de colmo mas nalgumas construções mantém-se os testemunhos de tal ter existido. Pecados também os há, os habituais, pecados externos introduzidos pela modernidade que entra pelas aldeias adentro sem o mínimo respeito por elas ou pelos seus ícones tendo como exemplo flagrante o largo do cruzeiro onde com tanto espaço para reduzir o ruido visual, plantaram dois postes quase em cima do cruzeiro, até me admira como não aproveitaram o cruzeiro para fazer suporte dos fios, e fico-me por aqui…

 

1600-antigo de serraq (55)

 

Do casario destaco aquele que é mais típico e embora não haja por lá construções solarengas, há algumas que merecem destaque, para além das construções/habitações mais típicas. Pois o destaque  vai para a pequena igreja onde na sua torre sineira em vez do habitual sino tem um relógio. O Sino foi colocado numa torre sineira própria, separada da igreja mas no adro de entrada o que, esteticamente, forma um conjunto mais interessante e equilibrado.

 

1600-antigo de serraq (104)

 

Claro que em destaque fica também todo o conjunto da aldeia (casario) mas também a envolvência e a perfeita integração da aldeia na paisagem. Mas em pormenores destaco ainda as fontes e respetivos tanques/bebedouros. Pena junto a eles já não haver a vida que outrora tinham.

 

1600-antigo de serraq (78)

 

Mas vamos lá ao Antigo de Sarraquinhos e ao que por aí encontrei sobre a aldeia, mas antes, vamos aprimorar a sua localização e a forma de chegar lá.  Tal como disse no inicio a estrada a tomar é a Estrada Municipal 507 que passa pelo S.Caetano e por Soutelinho da Raia. Logo a seguir a Soutelinho entramos no concelho de Montalegre e quase logo a seguir temos Meixide. No final desta aldeia a estrada divide-se em duas, ambas vão dar a Montalegre, mas uma é via Vilar de Perdizes e a outra via Pedrário e Sarraquinhos. Pois devemos tomar esta última ou seja o Caminho Municipal 1006.

 

1600-antigo de serraq (102)

 

Estamos então no CM 1006 e perto de 3 km mais à frente encontraremos Pedrário, se for com tempo, dê uma olhadela a Pedrário pois só fica a ganhar, mas como o nosso destino é o Antigo de Sarraquinhos, continuamos caminho fora até Sarraquinhos. Aqui, atenção às placas, pois devemos deixar o CM 1006 e passar para o CM 1008 e pouco mais de 2 km à frente chegamos ao Antigo de Sarraquinhos.

 

1600-antigo de serraq (77)

 

Mas sejamos mais precisos ainda e indo de encontro aos que se servem das novas tecnologias como o GPS. Pois as coordenadas da aldeia são: 41º 46’ 40.34”N e 7º 39’ 27.28”O. Mas como sempre deixamos o nosso mapa, pois ainda há quem os prefira em vez do GPS, eu sou um deles e neles já descubri coisas aonde um GPS nunca me levaria. Mas gostos são gostos e cada um orienta-se como entender. Fica o mapa.  Ah!, falta a altitude que embora já saibamos que são terras altas gostamos sempre de saber até onde chegam, esta chega aos 950 metros de altitude.

 

mapa-antigo.jpg

 

Como é costume vamos até à Toponímia de Barroso ver o que lá se diz sobre esta aldeia. Pois diz assim:

Antigo (de Espinho), dito de Arcos e, agora, de Sarraquinhos.

É obrigatório subentender o termo “casal” ou “vilar” para se juntar ao Antigo de um cavalheiro de nome ASPINUS ou ASPINIUS > ASPINIO > ESPINHO. Assim, o adjectivo Antigo vem dizer o que bem sabemos: é um “Vilar” antigo de um tal Espinho (como se nomeava o dono) – que aí se terá fixado nas invasões do Godos, depois de fazer a competente presúria dos terrenos  que lhe cabiam.

O seu nome de baptismo era pois Antigo de Espinho:

- 1258 “ de antigoo de Spino est medietas Domini Regis et est termino de Arcos” INQ 1524; depois passou a chamar-se Antigo de Arcos e era da freguesia de Cervos; finalmente, chama-se Antigo de Sarraquinhos por ficar anexa a esta freguesia."

 

1600-antigo de serraq (63)

 

Como sempre esta Toponímia de Barroso tem o seu lado alegre onde o Antigo também é contemplado assim:

Boa lebre no Antigo

Boa perdiz em Cepeda

E à falta de boas pingas

Têm água que se beba

 

1600-antigo de serraq (53)

 

No livro Montalegre encontrámos as seguintes referências, embora ela seja a Antigo de Arcos já sabemos que é o mesmo Antigo, o de Sarraquinhos:

 

“Há muitas sepulturas líticas móveis, talvez os monumentos mais antigos, e sepulturas fixas. Das móveis

temos exemplos em Bobadela, Sapiãos, Bustelo (Vila da Ponte), Tourém, Pitões, Santo Adrião (Montalegre) e, sobretudo, os enigmáticos arcões graníticos de Salto, a merecerem um estudo mais atento.

 

Das fixas, que normalmente aparecem em grupos, temos várias necrópoles: no Cristelo da Seara (Salto), entre Penedones e Parafi ta (Vila de Mel), em Penedones, sobre a aldeia, junto à Capela de Santo Amaro (Donões) e perto da Capela da Senhora de Galegos do Cortiço (Cervos) e de Antigo de Arcos.”

 

1600-antigo de serraq (44)

 

E também uma referência aos cruzeiros, merecida, pena é a companhia que este do Antigo tem (referida atrás).

 

“Os cruzeiros são mais de 60 e se lhes juntarmos os calvários ainda existentes com as cruzes das estações da via sacra serão três vezes mais.

 

Destacam-se o de Salto, Pondras, Mourilhe, Codessoso de Meixedo, de Montalegre, o da Interdependência da Vila da Ponte, Negrões, Meixedo, Sabuzedo, Santa Marinha, Santo André, Penedones, Antigo de Serraquinhos, Sezelhe, Travasços do Rio, Vila da Ponte, Bustelo e Parafita!”

 

1600-antigo de serraq (50)

 

E ainda outra referência, embora mais uma vez a Antigo (de Arcos):

 

“Pelos marcos viários e Moimentos ficámos também a conhecer a verdadeira localização da antiquíssima cidade pré-romana de CALADUNUM que deverá situar-se no termo desta paróquia. Antigo (de Arcos), Vilarinho de Arcos e Arcos – sem necessidade de arcos em rio que não possuem – trazem no próprio nome a indicação de que seria por aí o antigo opidum.”

 

1600-antigo de serraq (42)

 

E ainda mais uma referência no livro Montalegre, embora já repetida e mencionada na Toponímia:

 

“Esta última povoação com o topónimo significativo Antigo de Espinho, que o mesmo era dizer Antigo de Aspinius (Aspini). Mais tarde foi Antigo de Arcos, pertencente ao aro de Cervos e, agora, Antigo de Serraquinhos. As voltas que a vida dá!”.

 

1600-antigo de serraq (47)

 

E vai sendo tudo ou quase, apenas mais um reparo ou desabafo que em particular nada tem a ver com a nossa aldeia de hoje, mas com quase todas, em geral. Refiro-me à falta de vida, de gente nas nossas aldeias. Se repararem nas 25 fotos que vos deixo só apenas numa aparece vida humana, a do pastor com o rebanho, nas restantes apenas um cão e um cavalo, ninguém nas ruas e não estive à espera que as pessoas deixassem o motivo limpo, não, longe disso, na maioria das aldeias entramos e saímos sem ver alma viva, um cenário que há três ou quatro dezenas de anos atrás seria impossível de registar, mas que hoje é uma realidade. Chama-se a isto despovoamento do mundo rural que cada vez mais se vai afundando na fase de não retorno.

 

1600-antigo de serraq (36)

 

Podia ter ignorado o parágrafo anterior, passar à frente e terminar este post em beleza, pois podia, mas não estaria a ser sincero comigo mesmo, pois se por um lado volto sempre do Barroso agradado com as nossas aldeias, com as paisagens que as rodeia e em geral  com aquilo que por lá vejo, por outro lado revolta-me vê-las esvaziadas de gente e sem ela, perder-se toda uma cultura rural, saberes, tradições… tudo, porque nas aldeias só já há duas formas de conjugar os verbos, uma conjugados no passado, outra conjugados no presente. O futuro já é impossível de ser conjugado nelas.  

 

1600-antigo de serraq (30)

 

E finalmente passemos aos créditos e aos links para as anteriores abordagens do Barroso

 

1600-antigo de serraq (24)

 

Bibliografia

BAPTISTA, José Dias, (2006), Montalegre:  Município de Montalegre.

BAPTISTA, José Dias, (2014), Toponímia de Barroso. Montalegre: Ecomuseu – Associação de Barroso

 

1600-antigo de serraq (26)

 

 

Links para anteriores abordagens ao Barroso:

 

A

A Água - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-a-agua-1371257

Algures no Barroso: http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-1533459

Amial - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-ameal-1484516

Amiar - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-amiar-1395724

Arcos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-arcos-1543113

 

B

Bagulhão - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-bagulhao-1469670

Beçós - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-becos-1574048

Bustelo - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-bustelo-1505379

 

C

Cambezes do Rio - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-cambezes-do-1547875

Carvalhais - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-carvalhais-1550943

Castanheira da Chã - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-castanheira-1526991

Cerdeira - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-cerdeira-1576573

Cepeda - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-cepeda-1406958

Cervos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-cervos-1473196

Contim - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-contim-1546192

Cortiço - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-1490249

Corva - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-corva-1499531

 

D

Donões - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-donoes-1446125

 

F

Fervidelas - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-fervidelas-1429294

Fiães do Rio - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-fiaes-do-1432619

Fírvidas - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-firvidas-1466833

Frades do Rio - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-frades-do-1440288

 

G

Gralhas - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-gralhas-1374100

Gralhós - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-gralhos-1531210

 

L

Ladrugães - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-ladrugaes-1520004

Lapela   - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-lapela-1435209

Larouco - Um olhar sobre o Larouco - http://chaves.blogs.sapo.pt/2016/06/19/

 

M

Meixedo - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-meixedo-1377262

Meixide - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-meixide-1496229

 

N

Negrões - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-negroes-1511302

Nogeiró - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-nogueiro-1562925

 

O

O colorido selvagem da primavera http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-o-colorido-1390557

Olhando para e desde o Larouco - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-olhando-1426886

Ormeche - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-ormeche-1540443

 

P

Padornelos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-padornelos-1381152

Padroso - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-padroso-1384428

Paio Afonso - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-paio-afonso-1451464

Parafita: http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-parafita-1443308

Pardieieros - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-pardieiros-1556192

Paredes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-paredes-1448799

Pedrário - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-pedrario-1398344

Penedones -  http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-penedones-1571130

Pereira - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-pereira-1579473

Pomar da Rainha - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-pomar-da-1415405

Ponteira - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-ponteira-1481696

 

R

Reboreda - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-reboreda-1566026

Roteiro para um dia de visita – 1ª paragem - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-roteiro-1104214

Roteiro para um dia de visita – 2ª paragem - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-roteiro-1104590

Roteiro para um dia de visita – 3ª paragem - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-roteiro-1105061

Roteiro para um dia de visita – 4ª paragem - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-roteiro-1105355

Roteiro para um dia de visita – 5ª paragem, ou não! - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-roteiro-1105510

 

S

São Ane - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sao-ane-1461677

São Pedro - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sao-pedro-1411974

Sarraquinhos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sarraquinhos-1560167

Sendim -  http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sendim-1387765

Senhora de Vila Abril - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-senhora-de-1553325

Sezelhe - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sezelhe-1514548

Solveira - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-solveira-1364977

Stº André - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sto-andre-1368302

 

T

Tabuadela - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-tabuadela-1424376

Telhado - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-telhado-1403979

Travassos da Chã - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-travassos-1418417

 

V

Vilar de Perdizes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilar-de-1360900

Vilar de Perdizes /Padre Fontes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilar-de-1358489

Vilarinho de Arcos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilarinho-1508489

Vilarinho de Negrões - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilarinho-1393643

Vilaça - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilaca-1493232

Vilar de Perdizes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilar-de-1360900

Vilar de Perdizes /Padre Fontes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilar-de-1358489

Vilarinho de Negrões - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilarinho-1393643

 

X

Xertelo - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-xertelo-1458784

 

Z

Zebral - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-zebral-1503453

 

 

´
publicado por Fer.Ribeiro às 01:56
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

.Fotos Fer.Ribeiro - Flickr

frproart's most interesting photos on Flickriver

.meu mail: blogchavesolhares@gmail.com

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


24
25

26
27
28
29
30


.pesquisar

 
ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

 

 

El Tiempo en Chaves

.Facebook

Fernando Ribeiro

Cria o teu cartão de visita Instagram

.subscrever feeds

.favorito

. Solar da família Montalvã...

.posts recentes

. Chaves, cidade, concelho ...

. Flavienses por outras ter...

. Chaves, cidade, concelho ...

. Nós, os homens

. Chaves, cidade, concelho ...

. Chaves D'Aurora

. De regresso à cidade

. Quem conta um ponto...

. Pedra de Toque

. Faiões - Chaves - Portuga...

. O Factor Humano

. Fugas

. Chaves, cidade, concelho ...

. Nós, os homens

. O Barroso aqui tão perto ...

blogs SAPO

.Blog Chaves no Facebook

.Veja aqui o:

capa-livro-p-blog blog-logo

.Olhares de sempre

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Add to Technorati Favorites