Domingo, 12 de Junho de 2016

O Barroso aqui tão perto... Pedrário

 

1600-pedrario (114)-1

montalegre (549)

 

Então vamos lá ao “O Barroso aqui tão perto” hoje até à aldeia de Pedrário, também esta localizada num dos itinerários entre Chaves e Montalegre. Mas atenção, para cumprir este itinerário a decisão terá de ser tomada em Meixide ou Meixedo, dependendo se vamos ou vimos de Montalegre pela estrada municipal.

 

1600-pedrario (34)

 

Há muito que Pedrário consta dos meus itinerários do Barroso, geralmente no sentido Montalegre- Chaves. É aquela velha mania que eu tenho de, se possível, fazer sempre o regresso por outras terras, e se para Montalegre sigo via Vilar de Perdizes, no regresso opto quase sempre por Pedrário. Mas uma coisa é passar por lá, ainda por cima ao lado, e outra é entrar na aldeia, sem pressas, com olhos de ver o que há para ver.

 

1600-pedrario (124)

 

Nas passagens que tinha feito anteriormente pela aldeia ia deitando um olho aos montes de pedra e a uma veiga, como todas, fértil. Quanto à aldeia em si era aparentemente de dimensões considerável com um casario não muito chamativo para me despertar grande interesse. Impressões de passagens muito breves em que a condução na estrada era a principal preocupação.

 

1600-pedrario (25)

 

Ultimamente durante as minhas visitas às aldeias vou tirando algumas notas para memória futura, pois nunca sei quando virá a aldeia a tocar em post no blog e sei que a passagem do tempo costuma atraiçoar a memória. Na memória escrita da aldeia, entre outros,  deixei: montes de pedras, veiga fértil, média/grandes dimensões. Quanto ao interesse do casario nada escrevi, não porque fosse desinteressante mas por que sabia que as imagens que tomei fariam justiça à aldeia. E assim é.

 

1600-pedrario (47)-2

 

Passei na aldeia cerca de hora e meia, saí de lá com cerca de duzentas fotos e algumas conversas. Se a isto acrescentar que recordo o dia frio a fazer jus à fama que tem em terras do Barroso, estamos conversados, mas em caso de dúvidas, mesmo esquecendo  testemunho das imagens que aqui vos deixo, apenas vos digo que saí de lá agradavelmente surpreendido, e bem poderia andar durante 100 anos a fazer passagens ao lado que nunca a descobriria a verdadeira aldeia de Pedrário. Sempre ouvi dizer que as aparências enganam e é bem verdade. Também para conhecermos as aldeias, temos que lhe entrar no coração e na alma.

 

1600-pedrario (71)-1

 

Das minhas notas constam ainda a via sacra, a igreja e o forno do povo. Quanto à via sacra, o conjunto de cruzes  disposto ao longo das aldeia embora não seja inédito, pois repete-se em algumas aldeias, em Pedrário ganham outra dimensão graças à sua localização e visibilidade. Desde logo não passam desapercebidas e sem dúvida que é mais um dos pontos de interesse a acrescentar á aldeia. Tal como a Igreja e o forno do povo, este idêntico a uns tantinhos que existem noutras aldeias do alto-barroso, com cobertura em lajes de granito. Sem dúvida um símbolo dos fornos comunitários (ou do povo) do Barroso.

 

1600-pedrario (88)-1

 

Embora o dia da visita (inícios de abril deste ano) não estivesse muito convidativo para andar na rua, é notório que também esta aldeia sofre dos males da maioria das aldeias de montanha do interior transmontano – despovoamento e envelhecimento da população.  Mesmo assim havia alguns resistentes na rua e um deles fez questão de nos apontar para o “Castelo”, que deveríamos visitar, que era coisa importante e antiga, pois já lá estava quando nascera e já la iam mais de oitenta anos.

 

1600-pedrario (107)

    

E subimos até ao dito “castelo” mais parecendo a subida do Calvário, pois as cruzes e a subida a um dos montes de pedra da aldeia com o frio seco de cortar a bater-nos nos faces , pareciam um autêntico sacrifício, mas há sacrifícios que valem a pena passar, ou cumprir. Pois o tal “castelo” visto cá de baixo parecia um marco geodésico, mas lá em cima, ao pé dele, é muito mais que isso, só que não sabemos bem o quê. Procurei uma resposta nos sítios habituais mas também não a encontrei, mas pelo encimar da cruz parece ser um símbolo religioso que, sem confirmação pois é apenas uma suposição minha, bem poderá ser o alto do Calvário. Mas como disse falta-me confirmar tal.

 

1600-pedrario (220)-1

 

Pois na busca do significado do tal “castelo”, talvez alto do Calvário, apercebi-me também que informações e documentação sobre Pedrário há poucas. Comum a quase todas as pesquisas é no entanto, e com importância histórica e arqueológica o Castro de Pedrário, localizado num dos tais montes de pedra da proximidade da aldeia, do qual passaremos a dar conta:

 

1600-pedrario (197)

 

"Classificado como "Imóvel de Interesse Público" em 1990, o "Castro do Pedrário" ergue-se a uma altitude de aproximadamente mil metros, no topo de um espigão sobranceiro ao Rio Assureira, no Lugar de Pedrário, que lhe deu nome.
Construído durante a Idade do Ferro, o povoado dispunha de um complexo sistema de fortificação constituído por duas cinturas de muralha (com uma espessura variável entre um metro e meio e os dois) com paramento duplo preenchido com material pétreo de reduzidas dimensões, tendo sido reforçadas por um terceiro muro nas faldas localizadas a Oeste e a Este, o que parece conferir à fortificação uma aparência de subdivisão interna. Quanto às aberturas que conduziam ao interior da área habitada, elas foram localizadas nos dois muralhados, o segundo dos quais (exterior) ainda ostenta um dos esteios que serviria de umbral.
É no recinto intra mural de configuração rectangular que nos deparamos com a presença de um conjunto de vestígios de estruturas domésticas de planta predominantemente circular, característica inerente deste tipo de povoado proto-histórico. As intervenções arqueológicas conduzidas neste arqueossítio permitiram, ainda, recolher diverso espólio essencialmente constituído por fragmentos de cerâmica manual e torneada atribuível à Idade do Ferro, bem como alguns vestígios de escória de bronze e de ferro, a indiciar uma provável prática metalúrgica no local. "
[AMartins] – In: www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/

 

1600-pedrario (183)

 

Por sua vez, na página do Município de Montalegre na WEB encontrámos a confirmação de uma festa/celebração religiosa muito original onde os andores da procissão são transportados  por animais. Confirmação da festa e simultaneamente um apelo do Presidente da Câmara de Montalegre. Festa à qual se tivermos oportunidade queremos assistir na edição deste ano, só nos falta saber o dia em que tal acontece. Mas fica o que se diz na referida página da WEB:

 

1600-pedrario (158)

 

“A festa em honra de São Pedro realizada, por estes dias, na aldeia de Pedrário, concelho de Montalegre, apresenta «um cariz cultural e antropológico inédito», esclarece Orlando Alves, presidente da Câmara Municipal de Montalegre. O autarca não esconde o espanto pela enormidade cultural encontrada numa procissão que envolve toda a comunidade. Uma tradição religiosa onde «os andores da procissão são transportados por bois ou burros», conta o edil. O facto surpreendeu por completo o líder do município: «pensei que já tinha visto tudo no nosso riquíssimo espaço territorial. Barroso é um relicário de coisas muito interessantes, com um repositório cultural muito forte»”.

 

1600-pedrario (129)

 

E continua:

 

“Orlando Alves está maravilhado com o potencial turístico da festa. Aproveita o ensejo para lançar um apelo à imprensa ao mesmo tempo que felicita a organização: «Pedrário merece que a comunicação social venha mostrar este naco de património e cultura a toda a nação portuguesa no próximo ano. É bonito! Cada terra tem o seu uso e cada roca o seu fuso. Felicito as gentes de Pedrário e a junta de freguesia de Sarraquinhos por terem mantido esta tradição até aos nossos dias». A terminar, o presidente da Câmara de Montalegre convida a população para fazer desta festa, no próximo ano, um momento marcante no calendário cultural do concelho: «gostava que toda a população, no próximo ano, pela altura do São Pedro, possa visitar esta localidade que mantém as suas tradições e costumes com firmeza. O convite é para todos e eu próprio prometo que estarei presente»”

 

Pois nós também queremos ir. Se alguém souber o dia em que se realiza, que nos avise, por favor.

 

1600-pedrario (147)

 

E por hoje é tudo, ou quase, pois só falta mesmo referir as anteriores abordagens deste blog a aldeias ou temas do Barroso:

 

A Água - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-a-agua-1371257

Amiar - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-amiar-1395724

Gralhas - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-gralhas-1374100

Meixedo - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-meixedo-1377262

O colorido selvagem da primavera http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-o-colorido-1390557

Padornelos - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-padornelos-1381152

Padroso - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-padroso-1384428

Sendim -  http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sendim-1387765

Solveira - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-solveira-1364977

Stº André - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-sto-andre-1368302

Vilar de Perdizes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilar-de-1360900

Vilar de Perdizes /Padre Fontes - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilar-de-1358489

Vilarinho de Negrões - http://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-vilarinho-1393643

 

´
publicado por Fer.Ribeiro às 23:30
link do post | comentar | favorito
|  O que é?
2 comentários:
De Albina Moura Rodrigues a 14 de Junho de 2016 às 23:09
Boa noite, fiquei contente com a sua publicação sobre as aldeias do Barroso. Vivo em Lisboa, mas sou de Antigo Serraquinhos, aldeia da mesma freguesia que Pedrário. Uma aldeia interessante, verdadeiramente transmontana. Vale a pena visitar.
Um abraço
Bina Moura


De Fer.Ribeiro a 14 de Junho de 2016 às 23:48
Olá, obrigado pelo seu comentário. Antigo de Serraquinhos está previsto para a próximo passeio fotográfico, só que ainda não sei quando será, possivelmente só no próximo mês, mas um dia será e um dia ficará também aqui. Fique atenta ao blog todos os domingos, pois nesse dia deixo sempre aqui uma aldeia do Barroso.


Comentar post

.Fotos Fer.Ribeiro - Flickr

frproart's most interesting photos on Flickriver

.meu mail: blogchavesolhares@gmail.com

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
14

22
23

24
25
26
27
28
29
30


.pesquisar

 
ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

 

 

El Tiempo en Chaves

.Facebook

Fernando Ribeiro

Cria o teu cartão de visita Instagram

.subscrever feeds

.favorito

. Solar da família Montalvã...

.posts recentes

. Flavienses por outras ter...

. Cidade de Chaves - Um olh...

. Chaves D'Aurora

. Cidade de Chaves e a Nª S...

. Quem conta um ponto...

. O Barroso aqui tão perto ...

. Pecados e Picardias

. Cimo de Vila da Castanhei...

. O factor Humano

. Chaves - Um olhar...

. Ocasionais

. Chaves D'Aurora

. De regresso à cidade

. Quem conta um ponto...

. O Barroso aqui tão perto ...

blogs SAPO

.Blog Chaves no Facebook

.Veja aqui o:

capa-livro-p-blog blog-logo

.Olhares de sempre

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Add to Technorati Favorites