Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

07
Abr20

Chaves D´Aurora

ROMANCE

1600-chavesdaurora

 

 

  1. SUB JUDICE.

 

 

Ao dizer tudo isso a Lucinda, esta, com o auxílio de um dedo indicador e um polegar sobre as pálpebras da rapariga, atentou para o facto de que os olhos de Aurita deveriam ficar bem abertos, cada vez mais e sempre. Depois falou-lhe, a balançar a cabeça com descrédito – Tens que estar muito segura de que ele te ama, de facto. Quando duas almas unem seus corpos por se amarem de verdade, podem voar bem livres, até às mais altas nuvens e montanhas. Tudo pode se tornar mágico e belo, como num circo, mesmo entre as paredes de uma humilde habitação. Mas te pergunto, minha boa Aurita, será que esse gajo te ama, realmente, ao menos um tantito assim, de tudo o quanto estás a merecer? – Tornou a balançar a cabeça – Ou será que ele está apenas a querer se aproveitar de ti, como às mulheres pataqueiras?

 

Ante à previsível reação de Aurora, acalmou-a – Não, não! Estás a ver que eu não estou a insinuar coisa alguma... lá isso, não! Tal não é, nem nunca haverá de ser do teu feitio! Ah, minha rica menina! É preciso perceber se ele te ama para todas as horas e não apenas para os minutos de seu bel prazer – e tirou então, do baú de suas experiências, a assertiva de que a maioria dos homens (pelo menos os daquela época), está pouco a se importar em ver suas mulheres alcandoradas, antes, durante e após fazer amor. Quase todos querem, na verdade, apenas que elas fiquem a satisfazê-los, em seus caprichos de macho.

 

Aurora tentou dizer – Mas o Hernando... – calou-se, porém, incerta quanto ao que ia completar, enquanto a amiga explicava – Os machos orgulham-se de seus membros viris e até se comparam, entre eles, as grossuras e tamanhos, mas troçam das partes íntimas de nós, mulheres. Alguns chegam até a demonstrar nojo de chegar a face perto de nossas partes íntimas, acham uma coisa feia de se ver e, quando se aventuram a olhar, dizem a rir que “aquela coisa sabe a bacalhau” – factos para os quais Aurita jamais atinara e tudo isso a deixou impressionada – Mas são todos assim ?! – Lucinda balançou a cabeça – Salvam-se alguns.

 

Tudo isso era o que a amiga opinava, mas, pelo menos àquela altura e até várias décadas depois, era bem real o que ela estava a afirmar e talvez pudesse, estatisticamente, confirmar-se no contexto de então. Ela prosseguiu, convicta – Aqueles que amam de facto as mulheres, sabem achar bonito qualquer cantinho do corpo de cada uma de nós; sabem beijar suas amantes de várias formas; sabem encontrar caminhos raros e carinhos intensos, que até mesmo algumas meninas não sabem existir e sequer imaginam como encontrar em si mesmas.

 

Aurora Bernardes, ainda que ficasse várias vezes a corar, chocada com a crueza da amiga ao falar de tantas coisas novas e estranhas (mormente que, ao falar disso tudo, a linguagem de Lucinda fosse bem mais rude e mais explícita do que a deste narrador) e embora muitas coisas e loisas ainda não lhe coubessem entender, guardou essas informações dentro de si, o máximo que pôde. E, dessa vez, aquém do Brunheiro e do Barrosão. Continuava a sonhar, todavia, que o amor de Hernando para consigo estava a se tornar tão grande, quanto a sua paixão para com ele. Portanto, logo tratou de pôr o seu pote com água na cabeça, sobre uma rodela de pano torcido e se afastar do poço de incertezas onde, estarrecida com as palavras de Lucinda, estava prestes a mergulhar.

 

Embora sem nutrir qualquer simpatia pelo jovem Camacho, Lucinda consentiu em procurar o rapaz e lhe expor toda a conflituosa situação em que Aurita se encontrava. Pediu então ao gajo para confirmar, uma vez mais, se ele iria ao Porto buscar sua brasilita. Ao retornar, a modista retransmitiu à amiga, afinal, o sim tão desejado. Isso gerou em Aurora uma grande alegria, ainda que melhor fora se tal palavra tivesse sido proferida, diante de si mesma, pelos lábios do próprio amante.

 

 

  1. PÁSSAROS.

 

No último dia dos Bernardes ao Raio X, ao abrir uma janela, Aurélia deixou seus ouvidos...

 

(continua na próxima terça-feira)

 

fim-de-post

 

 

 

06
Abr20

Cidade de Chaves

Arrabalde e Ponte Romana

1600-(51476)

 

Mesmo com chuva, já temos saudades de andar assim na rua...pois temos, mas tem de ser!

 

Ontem também não tivemos o habitual passatempo, em tempo de ficar em casa e também não trouxemos aqui o Barroso, como é costume, mas o tempo do nosso fim-de-semana não deu para tudo. No próximo fim de semana compreenderão porque.

 

Até amanhã, ou se ainda tivermos tempo, até logo, às 18H00, com mais um passatempo.

 

06
Abr20

Quem conta um ponto...

avatar-1ponto

 

 

487 - Pérolas e Diamantes: Nós até temos potencial

 

Nós até temos potencial para sermos pessoas decentes. Aprendemos desde jovens que nunca podemos discordar dos superiores e nunca devemos concordar com os subordinados. Apesar de querermos ser estimados por ambos.

 

Nós adoramos clichés e simplificações revestidos de uma boa dose de verdade. Democracia é mesmo assim: devemos gostar das pessoas em abstrato e não em concreto

 

A nossa revolta, ou indignação, manifesta-se com ligeiras quebras de disciplina. Nós tentamos sempre manter as coisas dentro dos limites.

 

Quando decidimos ir para a frente pensamos que podemos voltar para trás. Gostamos de aguentar. Aguentamos até na hesitação. Mas não aguentamos os paradoxos.

 

Os portugueses têm tendência para apreciarem tiranos com voz doce.

 

Uma coisa nos distingue de muitos povos do mundo: a vulgaridade. E a docilidade. Somos muito compreensivos.

 

Algumas vezes a nossa presença de espírito faz-nos ter razão, mesmo quando a não temos. E isso acaba por confundir-nos.

 

Nós, por cá, gostamos muito de pertencer a panelinhas ou grupos para que na confusão geral se safem os protegidos. Os melhores de nós adoram organizar e dinamizar o “Clube dos Chatos”.

 

Nós somos muito de arrumar as coisas, desarrumá-las e voltar a arrumá-las de novo.

 

Gostamos muito de rezar, menos por esperança e mais para mostrar respeito.

 

A verdade é que continuamos a ver o Sol acima da linha do horizonte. E somos capazes de aguentar uma tempestade e ainda nos rirmos disso.

 

A verdade é que também temos sido heróis na resistência à hostilidade dos outros. Apesar de insistirmos na arte da ilusão, continuamos a caminhar de cabeça erguida. Continuamos a manter uma certa fé na humanidade.

 

E vivemos confortáveis no meio de centenas de insignificâncias que dão algum sentido à vida. Nós somos daqueles que prensam os trevos de quatro folhas nos meios dos livros pensando que eles dão sorte.

 

Caros compatriotas, ao contrário daquilo que nos dizem, a pobreza é degradante. A realidade e sempre permeável. O entendimento através da perspetiva das classes sociais é sempre enganadora.

 

Estar habitualmente entre pessoas que partilham os mesmos pontos de vista é não só redutor, como basicamente estúpido. Ninguém consegue aprender ouvindo o seu próprio eco.

 

Mas por que razão desejamos parecer-nos com as pessoas que desprezamos?

 

A verdadeira sabedoria resulta sempre de um certo sofrimento.

 

Quer queiramos ou não, o país continua a ser provinciano. E não existe nada mais ridículo do que a leviandade dos benzedores que se querem armar em curandeiros dos aprendizes de feiticeiro.

 

Todos nós sabemos que a esponja totalitária costuma funcionar em momentos dramáticos. Sempre foi assim. E sempre assim será. Mas todos sabemos o resultado da sua praxis: ilibar os culpados e condenar os outros.

 

Os medíocres pensam que a ordem está sempre na ponta do bastão e que a inteligência e a cultura são potencialmente perigosas, ou diabólicas.

 

A maioria dos nossos dirigentes e estadistas não passam de epifenómenos, mal saem das luzes da ribalta já ninguém se lembra deles.

 

Nós passamos do fatalismo à exaltação, e vice-versa, com uma facilidade digna de estudo.

 

A verdade é que a esquerda radical ao investir cegamente contra a União Europeia faz o jogo do neofascismo. E ele, como todos sabemos, é um vírus perigoso. O problema é que essa esquerda é, também ela, geneticamente virulenta. Apesar das mutações ensaiadas, tanto o neofascismo como o esquerdismo leninista, não deixaram de ser letais quando chegaram ao poder. 

 

A ofensiva antieuropeia continua a ser uma espécie de ato gratuito e desastroso planeada por políticos revanchistas, populistas ou fracassados.

 

A União Europeia não pode ser um espaço de oposição inconciliável entre sindicatos e empresas, entre povos e nações ou entre tecnocratas e intelectuais. Tem que ser uma realidade política que nos englobe a todos. A todos sem exceção. Só dessa forma deixaremos de ser provincianos.

 

Mas uma coisa temos de exigir, que essa União Europeia, quando nos escreve, seja clara e se deixe, definitivamente, de nos enviar cartas com trechos onde não sabemos se nos elogia ou nos ofende. Ou as duas coisas ao mesmo tempo, o que não deixa de ser patético.

 

João Madureira

 

 

 

04
Abr20

Vilar de Izeu - Chaves - Portugal

1600-vilar-izeu (141)-video

 

Vilar de Izeu, é a nossa aldeia de hoje, mais uma das aldeias do planalto de Monforte, já no limite do concelho de Chaves com terras de Valpaços (Nozelos e Lebução).

 

1600-vilar-izeu (144)-video

1600-vilar-izeu (126)-video

 

É uma das terras altas do nosso concelho, a rondar os 800 metros de altitude, tem como aldeia mais próxima Bobadela de Monforte, a cerca de 1 km de distância, e a Bolideira logo a seguir, a cerca de 2 km, tal como a EN103, por onde podemos fazer o acesso a esta aldeia a partir da cidade de Chaves. Um dos acessos possíveis.

 

1600-vilar-izeu (34)-video

1600-vilar-izeu (92)-video

 

O outro acesso à aldeia, a partir de Chaves, é também via nacional 103, mas quando chegarmos às Assureiras do Meio, abandonamos a EN103 em direção às Avelelas, depois é só seguir a estrada principal, passamos pelas Avelelas, depois por Oucidres e logo a seguir é Vilar de Izeu.

 

1600-vilar-izeu (87)-video

1600-vilar-izeu (41)-video

 

Vilar de Izeu é uma pequena aldeia tendo como largo principal um cruzamento de caminhos, a partir da qual se desenvolveu seguindo a direção desses mesmos caminhos. Aldeia com um núcleo mais antigo de aglomerado mais ou menos concentrado, e algumas construções mais recentes, um pouco dispersas pela periferia da aldeia.

 

1600-vilar-izeu (10)-video

1600-vilar-izeu (27)-video

 

A estrada de acesso à aldeia, que a atravessa em toda a sua extensão (cruzando com o caminho que faz o seu largo principal), separa também os terrenos da aldeia em duas partes distintas. A parte mais baixa, de terras mais ou menos planas, entre a estrada e o limite do concelho, são terras dedicadas à agricultura, batata e centeio, o costume nestas terras mais altas.

 

1600-vilar-izeu (19)-video

1600-vilar-izeu (16)-video

 

O outro lado da estrada é mais de floresta e mato, sobretudo giestas. São os terrenos do planalto de Monforte que existem entre a aldeia e o Castelo de Monforte.

 

1600-vilar-izeu (16)-video

 

E é tudo, aproveitando este post para deixar mais algumas imagens inéditas de Vilar de Izeu que escaparam às nossas anteriores seleções, aquando dos posts que lhe fomos dedicando ao longo da existência deste blog.

 

E agora sim, o vídeo com todas as imagens da aldeia publicadas até hoje neste blog.

 

 

Posts anteriormente publicados, dedicados a Vilar de Izeu:

 

https://chaves.blogs.sapo.pt/308855.html

https://chaves.blogs.sapo.pt/15860.html

https://chaves.blogs.sapo.pt/16076.html

 

 

 

03
Abr20

PASSATEMPO - CONCURSO - COM PRÉMIO

DESCUBRA O QUE ESTÁ ERRADO NA IMAGEM

Post editado em 05/04/2020 às 15H20

 

CONCURSO TERMINADO - JÁ HÁ VENCEDOR

 

 Imagem a concurso com 6 aterações

1600-(50635)-alterada

 

Imagem com alterações assinaladas

1666-(50635) - erros assinalados.jpg

1- Candeeiro em cima da cruz da farmácia não existe

2 - Sinal de sentido proíbido não existe

3 - O Cândido está repetido

4 - A muleta do homem interrompe na altura do passeio.

5 - A perna esquerda do homem tem calça até aos pés.

6 - Falta a sombra do motociclista e motociclo no chão.

 

Imagem original

(50635) - original.jpg

 

DESCUBRA O QUE ESTÁ ERRADO NA IMAGEM

HOJE COM 6 ALTERAÇÕES

 

Um pouco mais tarde que o habitual, mas cá estamos, hoje com 6 alterações introduzidas por nós na imagem, para descobrir. 

 

Para quem não está a par deste passatempo, com prémio, as instruções, regulamento e prémios, podem ser vistos aqui

 

Mas resumindo, a ideia é ver 6 coisas que estão erradas na imagem, que foram alteradas por nós. Para concurso só valem as respostas dadas nos comentários deste post, ou seja, as possíveis respostas dadas no facebook, twitter ou por e-mail, não valem. Dúvidas ou outros, podem ser esclarecidas por e-mail (ribeiro.dc@gmail.com) ou na caixa de comentários.

 

Ao contrário do que tem sido hábito, os comentários só serão aprovados amanhã às primeiras horas da tarde.

 

Boa sorte!

 

03
Abr20

O Barroso aqui tão perto - Corva

Aldeias de Barroso - C/Vìdeo

1600-corva (33-34) - video

montalegre (549)

 

Corva

 

Continuando a cumprir a nossa falta para com as aldeias que, aquando do seu post neste blog,  não tiveram o resumo fotográfico em vídeo, trazemos hoje aqui esse resumo da aldeia de Corva, freguesia de Salto, Concelho de Montalegre.

 

1600-corva (51)-video

 

Mas também mais algumas imagens que escaparam à seleção do seu primeiro post, imagens das suas terras verdes mais baixas e um pouco mais acima, já no monte, em terras de pastores, no caso, pastoras.

 

1600-corva (65)-video

 

E agora sim, o resumo em vídeo:

 

 

 

Post do blog Chaves dedicados à aldeia de Carvalho:

 

https://chaves.blogs.sapo.pt/o-barroso-aqui-tao-perto-corva-1499531

 

 

 

02
Abr20

PASSATEMPO - CONCURSO - COM PRÉMIO

DESCUBRA O QUE ESTÁ ERRADO NA IMAGEM

CONCURSO TERMINADO - JÁ HÁ VENVEDOR

 

Imagem alterada para concurso

corpo-deus-14 (135)-alterada

Clicar na imagem para ampliar

 

Alterações assinaladas

corpo-deus-14 (135)-erros-assinalados.jpg

1 - RECO em vez de PORCO

2 - Homem repetido

3 - Simbolo do Benfica

4 - Símbolo do Futubol Clube do Porto

5 - Estandarte a andar em sentido contrário

 

Imagem original

1600-corpo-deus-14 (135)-original.jpg

 

DESCUBRA O QUE ESTÁ ERRADO NA IMAGEM

HOJE COM 5 ERROS

 

Nota: Nova regra - Para não influenciar ou desvendar alguns resultados, a primeira ronda de comentários só será aprovada às 22 horas. (editado às 18H22).

 

Como o passatempo de ontem tinha um grau de dificuldade médio a fugir para o fácil, hoje vamos a um médio a fugir para o complicado, parece-me, mas se calha até é fácil, logo se verá. Não esquecer que a imagem de hoje tem 5 alterações. 

 

Para quem não está a par deste passatempo, com prémio, as instruções, regulamento e prémios, podem ser vistos aqui

 

Mas resumindo, a ideia é ver 5 coisas que estão erradas na imagem, que foram alteradas por nós. Para concurso só valem as respostas dadas nos comentários deste post, ou seja, as possíveis respostas dadas no facebook, twitter ou por e-mail, não valem. Dúvidas ou outros, podem ser esclarecidas por e-mail (ribeiro.dc@gmail.com) ou na caixa de comentários.

 

Boa sorte!

 

 

 

02
Abr20

Cidade de Chaves

Um olhar

1600-(42318)

 

Mais uma imagem que já faz parte do passado. Com as obras do prédio adossado à ponte, mesmo a manter o mais possível do edifício antigo, mesmo que as alterações sejam para melhorar, alguma coisa irá surgir de novo, nem que seja pessoas à janela, ou uma roupinha a secar nas varandas, que, diga-se, que eu recorde, nunca as vi naquela fachada virada para o rio.

 

 

01
Abr20

PASSATEMPO - CONCURSO - COM PRÉMIO

DESCUBRA O QUE ESTÁ ERRADO NA IMAGEM

Post editado em 01-04-2020 às 22 horas.

 

CONCURSO TERMINADO - JÁ HÁ VENCEDOR

 

Fotografia alterada para concurso

manif 130-alterada-concurso

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR NO FLICKR

 

Fotografia com "infiltrados" assinalados

manif 130-alterada-resultado.jpg

Hoje era fácil, mas aqui fica a identificação pela ordem assinalada na fotografia:


1 – Donald Trump
2 – Lili Caneças
3 – Marcelo Rebelo de Sousa
4 – Cavaco Silva
5 – Papa Francisco

 

Fotografia original

manif 130-original.jpg

 

 

DESCUBRA O QUE ESTÁ ERRADO NA IMAGEM

 

Hoje temos 5 pessoas para descobrir, infiltrados no meio da manifestação que decorreu em Chaves no dia 21 de fevereiro de 2007, contra o fecho das urgências do Hospital de Chaves. Há na imagem 5 pessoas infiltradas que não estiveram lá, de certeza absoluta que não. Uma ou duas são muito evidentes, aliás penso que são todas. Vamos a descoberta delas?

 

Para quem não está a par deste passatempo, com prémio, as instruções, regulamento e prémios, podem ser vistos aqui

 

Mas resumindo, a ideia, neste caso, é ver 5 pessoas que estão fora do seu ambiente natural que foram lá postas por nós. Para concurso só valem as respostas dadas nos comentários deste post, ou seja, as possíveis respostas dadas no facebook, twitter ou por e-mail, não valem. Dúvidas ou outros, podem ser esclarecidas por e-mail (ribeiro.dc@gmail.com) ou na caixa de comentários.

 

Boa sorte!

 

 

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

15-anos

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Flavienses Ilustres

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • Fer.Ribeiro

      Boa Berto, em cheio. Parabéns, temos vencedor.

    • Viagens no tempo

      Bom dia Fernando,- O primeiro homem do lado esquer...

    • Fer.Ribeiro

      Obrigado por participar. Então vamos lá - a 1ª, 2ª...

    • Anónimo

      1- Sinal Sentido proibido2- Homem no fundo repetid...

    • Fer.Ribeiro

      À exceção da primeira resposta, as outras estão co...

    FB