Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Nasceu príncipe, mas é actor e castelo...

12.02.07 | Fer.Ribeiro

.

Parte 1

Ultimamente tem andado na baila as coisas que de cá nos tiram ou roubam. Se por um lado vamos ficando revoltados, por outro há que tirar ilações do que se vai passando e escolher o melhor caminho, porque é a caminhar que seguimos em frente. Curiosamente eu penso e aliás sempre pensei que o nosso futuro está no passado.

 

Não é por mero acaso que Chaves já existia antes de Cristo, e a importância que sempre teve ao longo da história. Poucas cidades portuguesas se podem orgulhar disso. Temos o exemplo e o testemunho da história, uma riqueza a explorar. Temos as termas, a gastronomia, uma riquíssima arquitectura rural, montanhas, rio, monumentos, artesanato, terras férteis que nos dão produtos de primeira qualidade. Há só que saber explorar as potencialidades que temos, e depois virá o resto e pela certa que também recuperaremos o que vamos perdendo e aquilo a que sempre tivemos direito. Haja uma alma iluminada que nos saiba guiar, só isso, porque Chaves continua como sempre a ser uma cidade interessante e atractiva, não é por mero acaso que quem chega, dificilmente parte e quem parte a leva sempre no coração na esperança de um dia voltar.

 

Parte 2

Mas hoje quero mesmo é falar-vos do nosso actor principal, um dos que veio para ficar e que teima marcar presença e impor-se mesmo acima da concorrência desonesta do betão – o nosso actor principal que dá também pelo nome de Castelo.

 

E tal como há dias deixei aqui o curriculum vitae da nossa Top Model, o nosso actor principal também merece que se torne público o seu curriculum. Gente famosa, é assim.

 

Curriculum Vitae

 

Tem adoptado o nome de Castelo de Chaves, embora mais próprio seja mesmo chamar-lhe Torre de Menagem, pois o castelo, esse, já há muito que repousa em paz. Mas há também quem lhe goste de chamar “Actor Principal” ou simplesmente “Príncipe”

 

Não se sabe ao certo quando nasceu, mas nasceu pela certa na Idade Média/Idade Moderna e até prova em contrário, é filho de pai incógnito, ou talvez não. Sempre ouvi falar que o Rei  D.Dinis era o seu pai, mas não passam de ditados populares, pois este apenas lhe tratou de algumas maleitas. Estou em crer que é filho de D.Afonso III, embora me intrigue este preferir e trocar o castelo de  Santo Estêvão pelo príncipe de Chaves – seria pelas cebolas!? – Não sei, agora que o castelo de Chaves é filho de Rei, lá isso é.

 

Assim sendo nasceu príncipe que sempre se deu bem no teatro de guerra, um rapaz que nasceu para  pisar o palco da guerra – deu-lhe para ser actor. Não fosse isso e teria feito concorrência no mundo da moda à nossa Top Model, a ponte, pois as suas medidas não enganam. Nasceu dentro da perfeição de um quadrado de 12 metros de lado e 28 metros de altura, ou seja: - alto e elegante que faz inveja a qualquer passeante de passerelles.

 

Mas não, quis o destino que fosse guerreiro e actor principal desta cidade de Chaves, que tudo vê e que se faz ver por todos e em toda a plateia do vale de Chaves e montanhas em redor.

 

Sé é vistoso por fora, não o deixa de ser menos por dentro. Rapaz de bom coração, sempre abrigou e protegeu dentro dele os flavienses e quem nos visitava por bem.

 

Consta que quando nasceu, nasceu com uma cisterna no R/C e mais três pisos, sendo dois abobadados e um último em terraço. Actualmente mantém a cisterna e um total de cinco pisos.

 

Como actor guerreiro, ainda hoje guarda dentro dele coisas da guerra, de outras guerras que não foram as suas, mas da 1ª e da 2ª guerra mundial e das guerras das nossas antigas colónias.

 

Velhinho, mas ainda a dar espectáculos diariamente das 9 às 12H30 e das 14 às 17H30, com descanso às Segundas-Feiras.

 

Uma visita ao seu museu militar e ao seu terraço é obrigatória, quer para turistas e visitantes quer para flavienses.

 

Até amanhã., a tropeçar em mais um bocado da história de Chaves.

 

3 comentários

Comentar post