Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Ainda as Urgências e o que diz o Ministro

23.02.07 | Fer.Ribeiro

Ainda antes de ir-mos até ao post de hoje, deixo aqui o comunicado do Sr. Ministro da Saúde em resposta à nossa manifestação de ontem.

Sublinho e realço a vermelho as mentiras, a azul as contradições e a verde a areia que nos atira para os olhos, pelo menos naquilo que a nós diz respeito.

 

Então reza assim:

Ministério da Saúde emite comunicado sobre a requalificação do serviço de urgência de Chaves - 21.02.2007

O processo de requalificação da rede de serviços de urgência visa assegurar atendimento urgente/emergente num sistema organizado e hierarquizado de prestação de cuidados, transporte e comunicações, que concilie uma assistência de qualidade com princípios de equidade, eficácia e eficiência.

Os princípios que estiveram na base deste trabalho foram:

*       a) três níveis de resposta dos Serviços de Urgência, definidos em conformidade com o determinado no Despacho n.º 18459/ 2006, de 30 de Julho;

*       b) o tempo de resposta ao local;

*       c) o tempo de trajecto ao serviço de urgência, considerando um tempo máximo de 60 minutos até ao ponto de rede mais próximo;

*       d) os pontos de rede por capitação;

*       e) a mobilidade sazonal da população;

*        f) o risco de trauma;

*       g) o risco industrial;

*       h) a actividade previsível no serviço de urgência;

*       i) e o horário de funcionamento dos pontos de rede.

O resultado global desta rede requalificada irá permitir que 90,1% da população portuguesa passe a estar a menos de 30 minutos de um serviço de urgência e que 99,4% esteja a menos de 60 minutos, reflectindo-se numa melhoria efectiva do acesso, bem como numa redução das assimetrias regionais existentes.

Após recepção do Relatório técnico, o Ministro da Saúde tem vindo a negociar com as instituições e Municípios envolvidos. O Sr. Presidente da Câmara Municipal de Chaves pediu para ser recebido e esse pedido foi logo despachado prevendo-se a realização dessa audiência para a primeira quinzena de Março.

O Presidente da Câmara Municipal de Chaves e os outros Munícipes do Alto Tâmega, todos eles pertencentes ao Partido Social Democrata (PSD), entenderam convocar uma manifestação que perturbou a ordem pública e a livre circulação dos cidadãos, interrompendo assim as negociações que o Ministério da Saúde, paulatinamente, estava a desenvolver.

O Ministro da Saúde, lamenta esta decisão unilateral e pretende transmitir o seguinte:

1. Tal como ainda hoje afirmou o Sr. Presidente da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS Norte), a actual caracterização do serviço de urgência do Hospital de Chaves manter-se-á inalterada até que ocorram melhorias das acessibilidades à Unidade Hospitalar de Vila Real que integra o mesmo Centro Hospitalar de Chaves (Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro EPE) devendo, então, ser preparado o encerramento do apoio cirúrgico no Serviço de Urgência Básica (SUB) de Chaves, em virtude de funcionar um Serviço de Urgência Polivalente (SUP) na Unidade Hospitalar de Vila Real.

Convém lembrar que no Hospital de Chaves, em 2005, verificaram-se 174 atendimentos/ dia no serviço de urgência, dos quais só 7,3% ocorreram entre as zero e as oito horas (13 episódios/noite). No que respeita à actividade cirúrgica urgente, realizou-se uma média de 3 cirurgias por dia e menos de uma cirurgia por semana realizada no período nocturno.

Em termos de recursos humanos, trabalham 7 médicos cirurgiões (dos quais só 2 têm idade para serem escalados para serviço nocturno), 4 anestesistas (dos quais só 1 tem idade para ser escalado para serviço nocturno), 11 internistas (dos quais só 6 têm idade para serem escalados para serviço nocturno), 4 ortopedistas (dos quais só 3 têm idade para serem escalados para serviço nocturno), 2 patologistas clínicos (dos quais só 1 tem idade para ser escalado para serviço nocturno) e 2 radiologistas.

Nos centros de saúde de Chaves I e II, Boticas e Valpaços, trabalham 49 médicos de clínica geral e medicina familiar, que asseguram assistência à quase totalidade da população.  

No distrito de Vila Real existem duas VMER’s, localizadas nas unidades hospitalares de Chaves e Vila Real.

2. Considerando a actividade assistencial descrita, pretende-se ainda que:

*       a) Os centros de saúde, da área de influência da unidade hospitalar de Chaves, assegurem a sua actividade, designadamente uma “consulta aberta” para dar resposta aos casos agudos não programáveis, das oito às vinte e duas horas, todos os dias úteis e das nove às quinze horas aos fins de semana e feriados;

*       b) Sejam adquiridas pelo INEM as ambulâncias e o helicóptero e formados os necessários recursos humanos ao seu funcionamento, de modo a garantir a toda a população do distrito de Vila Real o socorro e transporte pré-hospitalar dos doentes urgentes e emergentes, 24 horas por dia, o que deverá ocorrer até 1 de Outubro de 2007.

O Ministro da Saúde,
António Correia de Campos

Lisboa, 21 de Fevereiro de 2007

 

Aqui fica o link para o comunicado:

 

 http://www.min-saude.pt/portal/conteudos/a+saude+em+portugal/ministerio/comunicacao/comunicados+de+imprensa/comunicado+urgenciachaves.htm

 

Até já!

1 comentário

Comentar post