Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Maravilhas de Chaves com a "coisa na mão"

19.03.07 | Fer.Ribeiro

.

“Eu gosto muito da minha terra natal, mesmo muito, aliás se não gostasse assim tanto, não lhe dedicaria um blogue como este” – Era assim que o Beto, do blog do Beto, iniciava o seu post de ontem. Claro que assino por baixo as palavras do companheiro de viagem, nesta arte de bloguear Chaves por amor e de nos doer na alma os males que fazem à nossa cidade ou – Quo Vadis Aquae Flaviae – como diz o Beto. Embora o Beto seja um flaviense ausente e eu um flaviense presente, vamos convergindo no amor a nossa cidade, tal como na amizade, mas quem está ausente vive mais intensamente a terra natal e guarda no compartimento das boas memórias o melhor que Chaves tinha na altura em que eram flavienses presentes e, por isso, custa-lhes mais e sentem mais intensamente a cidade antiga que está a ficar velha e a cair aos pedaços. Nós os que cá vivemos, de irmos acompanhando em idade a idade da cidade, muitas vezes não nos vamos apercebendo do envelhecimento das coisas, é assim como quando nos vemos ao espelho e ignoramos rugas, carecas ou cabelos brancos e continuamos a ver reflectido no espelho o jovem de há vinte ou trinta anos atrás. Um bem haja para o Beto e para o seu blog por ir descobrindo os podres da nossa cidade aos quais os residentes por tão habituados que estão não lhe ligam, fazem vista grossa, só vêem o que querem ver ou que estão cegos pela paixão…

 

Mas acompanhando esta coisa dos blogues e o que se vai dizendo nos comentários, há ainda outras preocupações, que os flavienses ausentes quando nos visitam sentem. Vamos então paras os WC’s do nosso amigo Tupamaro, que certamente (suponho) em visita à cidade procurou um W.C. público e não encontrou, ou se encontrou, estava fechado. Os de cá, que temos “casinha” em casa, nos empregos ou nos serviços, não vamos notando muito “essas” ausências, mas quem nos visita, principalmente aos fins-de-semana, se tiver um “aperto” pela certa que está metido em “alhadas”, pois WC’s públicos, são coisa em desuso na cidade e os poucos que há, um está fechado para obras e o outros fecham aos fins de semana. Mas o mais caricato da questão é que há poucos dias entrou em vigor um Regulamento Municipal em que todo aquele que seja apanhado fora de “uma casinha” com a “coisa na mão” a fazer as “necessidades” paga multa.

 

Ainda bem que vou frequentado esta coisas dos blogues e comentários dos ausentes para ir sabendo o que se passa cá na terrinha, é que eu de tanto viver a cidade diariamente e de conhecer os truques para ir contornando as questões, ando perdido e apaixonado pelas nossas maravilhas, como a da imagem de hoje, que até deu para ignorar o cheiro do urinol (com direito a multa) que fazem da guarita da muralha, mesmo por trás da toma desta foto.

 

Mas a imagem de hoje compensa (suponho) todos os males que ficam escondidos. É uma maravilha de Chaves, é o nosso actor principal, imagem que dedico à dedicação por Chaves dos companheiros de viagem Beto e Tupamaro.

 

Quanto às urgências do Hospital de Chaves, mantenho a velinha acesa e já que hoje mencionei o Beto, que a velinha sirva também para o Desportivo de Chaves, que está mais condenado que as urgências do Hospital.

 

Até amanhã, em Chaves com certeza!

 

3 comentários

Comentar post