Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

18
Abr07

Chaves - Pormenores da Rua Direita

.

 

Não faltarei muito à verdade se disser que este é um dos mais belos edifícios de Chaves e felizmente que não é caso único, pois no Centro Histórico há umas dezenas destas belezas da arquitectura centenária da cidade, e nem sequer é preciso mudar de rua.
 
O que acabo de dizer pode parecer contraditório, mas não o é, pois cada edifício é um edifício que tem as suas belezas, os seus pormenores, as suas singularidades e que embora diferentes, cabem todos dentro do meu conceito de beleza.
 
Mas hoje o que interessa é mesmo este edifício da Rua Direita, mesmo no seu início e aberto ainda para o Largo do Arrabalde. Um edifício nobre, brasonado e onde todos os pormenores foram feitos com arte. Desde as caixilharias e o seu desenho com o pormenor dos vidros de cor que pela certa se transformam em alegria no ambiente interior, a riqueza de varandas e seus gradeamentos, as molduras dos vãos e até a cor dos rebocos e da pedras. Para mim cai tudo na perfeição, acho mesmo que a única coisa que está lá a mais é mesmo aquele cartaz do “ALUGA-SE”.
 
Gostaria de vos falar um pouca da história do edifício, do autor do projecto, do dono,  donos, ou famílias desta casa, mas sinceramente além de me espantar com admiração pelo edifício em sí, nada mais sei, mas pela certa que terá também uma história, por detrás de “grandes casas” há grandes histórias também.
 
Até amanhã, como sempre, em Chaves cidade.

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Pizarro Bravo

    23.04.07

    Exmª. Senhora:
    Presumo que será a mim que pretende dizer que escrevi "falsidades e incorrecções". Do que escrevi, posso dizer-lhe que retirei as informações do "Tombo Heráldico de Nordeste Transmontano", da autoria do nosso conterrâneo, já falecido, prestigiado genealogista, Major General José Guilherme Calvão Borges.
    As minhas informações, salvo melhor opinião, não colidem com as que V. faz no seu comentário! De diferente parece-me que V. só não refere o local de origem da família.
    No entanto se houver outros pontos para rectificar muito grato ficarei se os indicar taxativamente. Agradeço o seu comentário e peço aceite os meus cumprimentos.
  • Sem imagem de perfil

    Ana Cancelinha

    24.04.07

    Dr.Pizarro Bravo,
    Não tive a intenção de denegrir o seu comentário , que aliás muito apreciei, percebendo perfeitamente que se tratava de transcrições.
    Quando disse falsidades, obviamente que não me referia ao seu texto, aplicando-se neste caso o termo de incorrecções.
    O que eu disse, baseia-se em algum conhecimento pessoal da familia em questão e em testemunhos de pessoas que se fossem vivas , hoje teriam mais de 100 anos de idade. Repito, que não minimizei o seu comentário, antes o elogiei, com o senão das já citadas pequenas incorrecções. Disse que era fácil averiguar porque, pelo apelido de Pinto de Barros, facilmente se chegava aos sobrinhos netos e, na dúvida talvez este apelido pudesse ser relacionado com a familia " de Sousa Pinto de barros".
    Já que foram destapados os nomes dos sobrinhos netos, registo que o pai e avô dos citados advogados, ainda hoje vivo, é António de Sousa Pinto de Barros e esta tão grande semelhança, não poderia ser pura coincidencia. Como o comentário do Sr.Dr. foi feito com substância, talvez pudesse ter sido complementado com estas pequenas histórias de familia que naturalmente não cabem, num estudo genealógico; mas que são coisas engraçadas , são! Quanto á origem da familia "de Sousa Pinto de Barros", não é claro nem assumido que seja Lousada ou Vinhais como também se aventa. De todo o modo o pai de António de Sousa Pinto de Barros, avô e visavô dos advogados em causa, João de Sousa Pinto de Barros, foi, figura importante na Vila de Chaves em finais do século XIX principios do século XX e suponlho eu, por testemunhos também orais, que foi o pai deste João de Sousa Pinto de Barros (Francisco de Sousa Pinto de Barros) que terá mandado construir o dito quarteirão com a casa em questão incluida, por alturas da compra da Quinta do Porto em Águas Frias, ainda hoje propriedade da familia, pelo preço de 63.000 Reis. Mais uma curiosidade !
  • Sem imagem de perfil

    Pizarro Bravo

    24.04.07

    Dona Ana Cancelinha:
    Muito obrigado pela sua resposta. Depois do agradecimento queria informá-la que não sou Dr..Sou um velho flaviense, nascido há 73 anos na Rua do Sol, " a mais brilhante de Chaves" (!!!!), e a quem interessa tudo que diga respeito à cidade que me viu nascer e que é "cabeça" de uma região de que muito gosto.
    Quanto à família Pinto de Barros ,cujos descendentes tenho a honra de conhecer e de muito prezar, é uma das que contribuíu para o engrandecimento de Chaves. O trabalho do Major General Calvão Borges, que referi, poderá ter muito interesse para quem desejar conhecer mais sobre a família. Se alguém pretender a sua cópia, será para mim um prazer fornecê-la.Os meus cumprimentos.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Sobre mim

    foto do autor

    Pesquisar

    Sigam-me

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

     

     

    Olhares de sempre

    Links

    As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • Anónimo

      Sim este é o S. Lourenço de Chaves"Eu sei que há m...

    • José Pombal

      Com o devido respeito, o nome destas localidades, ...

    • Anónimo

      Caro Fernando Ribeiro. Agradeço as suas diligência...

    • Anónimo

      (Esta (só?!...) placa não merece «Re-qua-li-fi-ca-...

    • Fer.Ribeiro

      Não sei mas vou tentar saber. Abraço.