Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Carvela e as máquinas de lavar à mão

29.04.07 | Fer.Ribeiro

Máquina de lavar à mão

 

.

 

O tempo em que só na cidade é que havia electricidade e electrodomésticos, água canalizada e casa de banho em casa, já lá vai. Como há tempos me dizia um velhote lá de cima dos seus 87 anos: – “Agora, não é como antigamente, agora já temos televisão e frigorífico, agora já temos tudo…” e para pessoas dessa idade, que nas aldeias a grande maioria só conheceu o “a luz” em casa já depois dos seus 60 anos de idade, ter televisão e frigorífico é mesmo tudo, alta tecnologia que nem por perto compreendem, mas que lhe trouxe a felicidade que lhes faltava, ter água canalizada e “luz”, televião e um frigorífico, como quem diz, ter electricidade em casa.
 
Claro que agora, ter televisão e frigorífico em casa já vai sendo coisa comum e casa de banho já é coisa indispensável. Ter máquina de lavar roupa ou loiça, torradeiras, micro-ondas, vídeos, e até computador, já é coisa comum em qualquer aldeia e já vão existindo em casa de cada um, conforme as necessidades e, se não os têm, já não são objectos estranhos, pois pela certa que os filhos ou os netos lidam com essas coisas como eles dão milho às galinhas.
 
Pois claro que já vão tendo tudo, mas vão vocês dizer isso à Tia Joaquina do Necas, à Dona Arminda , ou a Tia Arlinda para meter aquela peça de roupa delicada, que tanto estimam, numa máquina de lavar! Claro que peças dessas é à mão que têm de ser tratadas e estimadas, ou então o contrário, não vão meter um “rodilho” todo sujo na máquina, não se vá ela estragar. Solução!? - o tanque da aldeia, e depois sempre se dão dois dedos de conversa e lá se vão sabendo as novidades e, sempre é mais saudável, pois não se está fechado dentro de casa, mas o melhor, é que se poupam um “érios” na luz e na “áuga” que lá irão fazer falta para uma necessidade qualquer e a vida não esta para brincadeiras e já todos sabemos que a reforma não chega para tudo.
 
Até amanhã, na cidade.

8 comentários

Comentar post