Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

O lado de lá de Chaves cidade

04.06.07 | Fer.Ribeiro

.

 

Ainda há poucos dias eu penitenciava-me quando dizia que tenho sido injusto com os meus sítios de origem, os sítios da minha meninice e da minha infância, os sítios da veiga, os tais sítios do campo na cidade, que tão poucas vezes trago por aqui. Como se isso não bastasse, o companheiro de viagem Beto, desde terras dos mouros e  no seu blog, há dias a respeito da cidade da margem esquerda do rio dizia conhecer  “um flaviense nascido e criado na Casa Azul que como residente poderia mais facilmente tratar disso, inclusive acho que conhece os "cantinhos" todos "à casa" (SIC) “. …
 
Pois esse flaviense nascido e criado na Casa Azul, de tanto remorso e tanta dor de deixar assim esquecidos os lugares das minhas origens, aproveitou as últimas noites de insónias provocadas pelo remorso para matutar sobre o assunto e só encontrou uma solução para se redimir de tanto pecado: – dedicar pelo menos uma semana inteirinha à margem esquerda do rio, que é como quem diz, à Madalena, ao Campo da Fonte, ao Caneiro, à Casa Azul, S.Bento, Sr. da Boa Morte e, por aí fora, logo se verá o que esta semana nos traz.
 
Claro que será com gosto que irei fazer este passeio pelo lado de lá da cidade, recordar os sítios, lugares e lugarejos que “bicicletava” durante manhãs e tardes inteiras, regressar aos lugares que ainda hoje tenho com exactidão registados no meu mapa mental de onde havia as boas maças, as melhores peras, as romãs, melões, ameixas das brancas, das vermelhas e das caranguejas , melancias, uvas, cerejas, amoras, avelãs, peros e por aí fora… será com gosto sim, mas com certeza com a dificuldade que o é de falar de nós e de expressar em palavras os sentimentos que esses sítios nos despertam.
 
Mas o lado de lá não está tão esquecido assim. Recordemos que a nossa velhinha “Top Model” – Ponte Romana, começa precisamente do lado de lá e que o seu lado mais fotogénico e a sua melhor pose, é com a Madalena de Fundo.
 
Pois vou começar esta breve viagem precisamente a partir da cidade dos “betinhos”, com uma foto onde a Madalena se apresenta no seu melhor e onde até as traseiras de edifícios tão nobres fazem inveja a qualquer construção da cidade clássica.
 
Até amanhã, em Chaves, mas do lado de lá.

3 comentários

Comentar post