Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves - Forte de S.Neutel

20.12.06 | Fer.Ribeiro
732-bl.jpg

Ainda ontem escrevia aqui sobre as obras de requalificação e revitalização do Jardim Público. Pois hoje vamos para este espaço da envolvente do Forte de S.Neutel que também está a ser requalificado e revitalizado.

Conheço superficialmente o projecto e em nada me assustam as obras que aqui estão a ser levadas a efeito, e a razão é simples, sejam qual forem as obras , não se estraga nada, antes pelo contrário, qualquer obra de requalificação e revitalização são bem-vindas a este espaço que bem necessita de ser revitalizado, requalificado e sobretudo embelezado, depois logo se verá se finalmente este espaço irá ser dotado da vida que sempre lhe faltou.

E agora um pouco da sua história e cronologia

Quanto a características particulares do forte, é do tipo Vauban com dupla linha defensiva e fosso interno, com configuração estrelada semelhante à do Forte de S.Francisco e do Forte de S.João da Barra em Tavira, todos edificados durante as Gerras da Restauração. Já agora fiquemos com um pouco da cronologia ligada ao local e ao forte.

1658 – D.Rodrigo de Castro, Conde de Mesquitela, chega a Chaves como Governador das Armas da Província de Trás-os-Montes;

1658/1662 – Construção das muralhas da vila, Revelim (?) da Madalena, Forte de S.Francisco, escavação de trincheiras e colocação de estcas no Alto da Trindade pelo Governador Militar D. Rodrigo de Castro;

1661 – O Conde de Mesquitela manda edificar uma ermida em honra de Nossa Senhora das Brotas;

1662 – Data de uma planta do forte de S.Neutel, no livro das Praças de Portugal, de João Nunes Tinoco;

1664/1668 – Petrificação das defesas do Alto da Trindade, com a construção do Forte de S.Neutel, pelo Governador Militar, General Andrade e Sousa;

1912 – Julho, trava-se no local o combate entre as forças realistas, comandadas por Paiva Couceiro, e as tropas fiéis ao regime Republicano;

1925 – Instalação da cadeia civil de Chaves dentro do forte de S.Neutel;

1938 – 22 de Março, o forte é integrado no conjunto de cariz militar classificado como Monumento Nacional

1961 – por permuta entre a Câmara Municipal e o Estado Português, o Forte de S.Neutel passa para propriedade do Estado, recebendo a Câmara em troca o antigo Paço dos Duques de Bragança;

1994 – Construção de um anfiteatro em granito no interior do forte para realização de espectáculos.

2006 – Início das obras de requalificação e revitalização da envolvente do forte (obras em curso).

(Dados até 1961 da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais)

Nota: O ponto de interrogação colocado à frente do Revelim (1658/1662), é de minha autoria e pelo simples facto de embora este constar em desenhos antigos da fortificação do local (Madalena), nunca chegou a ser construído, pois apenas as muralhas e o fosso foram construídos, existindo ainda pequenos troços no local.

E por hoje é tudo neste já longo post.

Amanhã cá estarei de novo em Chaves e, prometo ser mais breve.

1 comentário

Comentar post