Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

o Lugar dos Padres Vicentinos

07.06.07 | Fer.Ribeiro

 

.

 

Ontem fiquei em frente ao Cruzeiro de S.Bento na dúvida se havia de seguir o caminho da esquerda ou da direita. O da esquerda leva-me até muitas recordações e muitas traquinices de puto. O da direita leva-me por outros caminhos mais mais puros, de mais respeito e mais religiosos. Hoje como o dia é santo, definitivamente vou pelo caminho da direita, precisamente em direcção aos Padres Vicentinos e à igreja dos Lazaristas e também de regresso a alguns momentos da minha infância.
 
A Igreja tem praticamente a minha idade, nascemos a escassos metros e desde cedo foi adoptada como a igreja da família e das missas. Tinha dois padres na altura (anos 60/70) o Padre Luís e um outro Padre, já então velhote e do qual não recordo o nome. Nas minhas preferências tinha o Padre velhote e por várias razões. Primeiro porque a sua idade metia respeito, segundo porque no meu imaginário de puto associava a estátua de granito lá existente à sua figura, terceiro porque as suas vestes tinha botões quase do pescoço até aos pés (era muito botão para uma altura em que se jogava ao botão nas ruas) e por último porque, como hoje se diz, era um padre fixe, que tinha sempre uns rebuçados e caramelos para dar aos putos e porque “despachava” as missas em quinze minutos.
.
 
.
Durante uma boa meia dúzia de anos fui visita diária a esta igreja, não para ir à missa, mas para ir ao leite, que a Tia Emília tirava directamente das tetas da vaca para a leiteira e que pela certa contribuiu para o 1,83m que tenho hoje. Uma viagem de escassas centenas de metros que demoravam algum tempo a percorrer, mesmo com o atalho pelo carreiro da quinta do 33, mas para ter privilégios de atalhos era dever ouvir os lamentos Tio Frederico e Mulher,  entre outros entreténs que aconteciam pelo caminho.
 
Mas recordações à parte, vamos até à Congregação da Missão vulgarmente conhecida por Lazaristas, cujo objectivo é a missionação.
 
A casa da missão foi construída em 1957, com verbas da própria Congregação e com donativos, principalmente vindos dos Estados Unidos e a título de curiosidade, a construção ficou na módica quantia de 50 Contos (250 Euros na moeda actual) . No mesmo ano é lançada a 1ª pedra da construção da Igreja pelo Superior Geral – Wiliam Slattery, tendo sido terminada em inícios de 1960, incluindo a torre do carrilhão (ano de boa colheita, em que o autor deste blog viu a luz do dia pela primeira vez).
.
 
.
Esta congregação é também conhecida por Vicentinos e Paúles, vindo a origem do nome do seu fundador S.Vicente de Paulo, sendo a designação de Lazaristas devida do priorado de S.Lázaro, em Paris, onde se instalaram em 1632, os primeiros lazaristas.
 
Os Lazaristas chegaram a Portugal em 1717 por diligência do Padre J.Gomes da Costa, que foi o primeiro Lazarista português, tendo ficado muito conhecidas a sua casa de Rilhafoles e o Seminário de Cernache do Bonjardim.
 
E depois do regresso aos bons anos 60 e 70, de ter sido feita um bocadinho de história,  só resta anunciar e falar do portal que a congregação tem na NET que dá pelo nome da Páginas da Vida que poderá visitar e onde ficará a conhecer melhor os Padres Vicentinos os quais a partir de hoje ficam também com link aqui ao lado no espaço destinado às instituições.
 
Até amanhã, por terras da Madalena, pois as promessas são para cumprir.

2 comentários

Comentar post