Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves Rural - Pastoria

16.06.07 | Fer.Ribeiro

.

E porque hoje é sábado vamos até uma aldeia do nosso concelho. Calhou a sorte à aldeia da Pastoria e um dos seus pormenores.
 
Agora que a água está na moda, principalmente onde ela falta, deixo-vos com uma bica de água corrente, captada de uma nascente algures por ali, bem próxima.
 
Para quem tem falta de água até pode parecer uma provocação ver assim a água a correr bica fora desgovernada, mas não o é, porque aqui, como em todas as aldeias em que há bicas de água corrente, aplica-se à perfeição a Lei de Lavoisier em que, na natureza nada se cria, nada se perde e tudo se transforma. Pois bicas destas dão de beber água sempre fresca e quase sempre pura a quem tem sede e a que sobra e cai no tanque dá de beber a animais ou serve para refrescar a face ou até lavar as mãos, a que sobeja é preciosamente encaminhada por regos e valetas para hortas e outras regas que nos dão preciosa hortaliça e outros verdes que embelezam qualquer mesa, mas como nem sempre se rega, as sobras pela certa que vão cair num lameiro onde a erva é verdejante e vitelas e vacas, cordeiros e ovelhas, cavalos e burros fazem as delícias das suas refeições, e alguns deles farão mais tarde a delícia à nossa mesa com carne tenra e saborosa que nós bem conhecemos e apreciamos. Por isso não pensem os mais críticos e puristas da água que a água que corre nestas bicas é um desperdício, pois é aproveitada e saboreada até à última gota.
 
Serve assim a Pastoria de pretexto para vaguear um bocadinho sobre a água. Mas a Pastoria não é só água a correr nas fontes e nas bicas, é também uma aldeia que tem gente e vida e que, talvez, o seu pequeno e rico vale, a proximidade da cidade de Chaves a apenas 10 quilómetros, fez com que a aldeia não sofresse da desertificação que sofrem as aldeias de montanha mais distantes.
 
A Pastoria pertence à freguesia de Redondelo, o acesso é feito a partir da EN 103 no troço entre Curalha e Casas Novas e mesmo ali ao lado do nó da Auto-Estrada que dá saída para Boticas, Carvalhelhos e Chaves (Sul) e pela certa que passará por aqui outras vezes, pois coisas bem interessantes ficaram por mostrar.
 
Até amanhã talvez no Rei, Príncipe ou seja lá o que for e que dá pelo nome de Serra do Brunheiro onde “putos” com garra e com outras coisas no devido sítio vão descer a serra em “bikes” a estonteantes e loucas velocidades traduzidas em cerca de, e apenas, 3 minutos. Estou claro a falar na prova de Downhill ou Moutain Bike (se preferirem)  que amanhã se realiza com os craques nacionais da modalidade entre terras de Nogueira da Montanha (Carvela) e Vilar de Nantes. Penso estar por lá para fazer o registo fotográfico e vos trazer aqui um pouco da adrenalina que vai descer e correr pelo meu amigo Brunheiro, e até já escolhi o pouso em quintas de visitantes deste blog.
 
Até amanhã então!