Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves Rural - Cando e as Caixas de Correio

29.10.06 | Fer.Ribeiro
cando.jpg

Se a memória não me atraiçoa, acho que foi há 15 anos que recebi a última carta escrita pelo punho de um amigo. A partir de aí na caixa do correio só caem facturas, recibos, correspondência oficial e publicidade, exceptua-se claro a quadra natalícia onde sempre vai caindo um ou outro postal de boas festas misturados com a publicidade.

Entramos na era das novas tecnologias em que o telefone, os telemóveis e o correio electrónico tomaram de assalto a comunicação pessoal e em segundos nos põe em contacto com um amigo, um filho, um irmão, uma mãe ou um avô, estejam eles onde estiverem. Também eu há muito aderi às novas tecnologias, mas confesso que tenho saudades dos momentos de magia do receber uma carta ou do escrever uma carta.

Nós, que andamos por aqui a navegar na Internet vamos transmitido, comunicando e debitando K-bytes na rede para dar e levar ou receber notícias e novidades. Mas ainda há gente, muita gente, principalmente no meio rural, a quem as novas tecnologias ainda não chegaram e que ainda depositam na caixa de correio toda a esperança de receber notícias e novidades dos seus entes queridos, e para quem a caixa tradicional de correio ainda é importante.

Claro que o velho carteiro que levava notícias porta-a-porta e que conhecia toda a gente da aldeia, já se reformou. Os novos carteiros não conhecem ninguém, por isso há que lhes por as caixas de correio à frente dos olhos, não vá ele devolver a carta. Neste novo colocar de caixas de correio, vale de tudo. Desde a velha caixinha vermelha e típica do correio, até à mais recente invenção de uma caixa de madeira ou cartão, com um buraco, devidamente impermeabiliza com saco de grande superfície e o pormenor da telha para os dias de chuva.

O pormenor de hoje foi tomado no Cando, mas podia ser tomado noutra aldeia qualquer e até com mais arte no invento.

Quanto ao Cando, passará de novo por aqui, pois não é este o post que eu lhe quero dedicar e que o Cando merece. Até lá.

E quanto ao blog, amanhã já sabe que estamos de novo em Chaves, concerteza a feirar nos Santos.

Até amanhã.

4 comentários

Comentar post