Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves Rural!? - Abobeleira

11.08.07 | Fer.Ribeiro

 

.

Como sabem este blog dedica os fins-de-semana ao nosso concelho rural e às nossas aldeias. Contudo há aldeias que são mais aldeias e mais rurais que outras. As aldeias da montanha, por exemplo, têm características próprias e são muito mais aldeias e rurais que as aldeias da periferia da cidade e do vale.
 
Abobeleira é uma das aldeias de periferia,  que embora ainda mantenha o seu núcleo rural, já é mais um bairro da cidade que propriamente uma aldeia, mesmo fisicamente, pois já não há separação entre a cidade (Aregos) e a Abobeleira, o mesmo acontecendo em relação a Valdanta, pois cada vez mais a Abobeleira avança para Valdanta e Vice-versa e estou mesmo em crer, que daqui a umas dezenas de anos, Abobeleira e Valdanta será mais uma freguesia urbana da cidade, tal como Stª Maria Maior, Madalena e Stª Cruz/Trindade e não esqueçamos que entre a Abobeleira e o futuro casino, só existe o Ribelas.
 
É assim uma aldeia em crescimento longe dos males da desertificação das aldeias de montanha e como tal é também uma aldeia a ter debaixo de olho – eu explico:
 
- O crescimento da Abobeleira e Valdanta é inevitável e como tal penso que os núcleos tradicionais das duas aldeias devem ser preservados, tal como já acontece na Granjinha, ou seja, crescimento sim, mas preservação do seu núcleo também, pois é aí que está toda a identidade das aldeias, as suas estórias e suas gentes e famílias (Visitem o blog Valdanta para compreender aquilo que digo), por mais rico ou pobre que seja o seu património arquitectónico. Em simultâneo é necessário também garantir a preservação e mais que isso a promoção do seu rico património histórico de toda a freguesia como a barragem romana de Abobeleira, o Outeiro Machado como monumento rupestre, as pedras das Regadas no Cando, o Lagar da Cancela também no Cando e todo o património romano ainda por descobrir na Granjinha, para não falar daquela que é considerada a capela mais antiga da região, a Capela Românica da Granjinha.
 
Seria assim de olhar com muita atenção para o tal crescimento que se prevê para a Abobeleira e para toda a freguesia de Valdanta, pois mais vale prevenir que remediar e já toda a gente conhece a sensibilidade que empreiteiros e políticos têm para lidar com as “coisas” históricas e infelizmente, são eles os que mandam.
 
E isto é também um recado amigo para o pessoal também amigo de Valdanta, para os blogs Valdanta e Vale de Anta, para o Tupamaro, para a Lai e outros Cruz da Granjinha, entre outros, pois já o demonstraram, recentemente, que a união por uma causa até é fácil. Venha lá essa tal associação e não se esqueçam de nos estatutos dedicar uns artigos ao cuidado a ter com o vosso valioso património histórico, visível e ainda invisível ou por descobrir.
 

Até amanhã em romaria aos santos da terra.

5 comentários

Comentar post