Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

30
Set05

Cidade de Chaves - Rua Direita

750-bl.JPG
O Beto, do Blog do Beto (um flaviense ausente), muitas vezes comenta que a cidade, o centro, fora das horas de comércio fica deserta. Aqui tem uma prova do contrário, à hora de almoço. Claro que não há pessoas na rua, porque estão a almoçar.

Agora deixando a ironia de parte, o Beto tem razão. Ao centro histórico da cidade falta-lhe vida fora das horas comerciais. Não tem a vida de quando nós éramos putos, e havia crianças a brincar na rua, vizinhos a conversar, canários nas varandas. Chaves cresceu e tal como as cidades grandes as ruas agora desenvolvem-se na vertical, em elevadores e em bairros dormitórios, onde os vizinhos mal se conhecem. Mas mesmo assim, ainda por cá há muitos resistentes e por uma única razão. É que Chaves ainda não deixou de ser uma cidade pequena!
28
Set05

Chaves - Capela de S.Roque

1645-bl.jpg
Nas fotografias antigas de Chaves esta capela já marca presença, graças a alguém que se lembrou de fotografar a Feira dos porcos, que então aí se fazia. Posteriormente (desculpem-me, mas não sei quando) esse mesmo espaço foi vedado e deu lugar ao Parque de Campismo de Chaves, e a capela lá continuou serena e a dizer presente. O Parque, há uns anos atrás, mudou-se de sítio, o espaço do parque deu lugar a um jardim, estacionamentos e arruamentos, e a capela lá continuou, como sempre, como ainda hoje lá está, e está muito bem.

Assim tivesse havido respeito por outros lugares “sagrados” para nós flavienses.
26
Set05

O Passar da Revista

1634-bl.jpg
Sempre que me ausento aqui da nossa cidade, por mais curta que seja a ausência, a primeira coisa que faço ao regressar é passar revista ao burgo. Não que eu seja o guardião da cidade, mas gosto sempre de ver se está tudo no sítio devido. Claro que o Centro Histórico é obrigatório (Rua de Stº António, Freiras, Rua Direita), depois o Castelo e a Ponte, os fortes, uma passagem breve pelas caldas/tabolado e depois sim, finalmente o regresso à minha alegre casinha! Quanto maior tiver sido a ausência, mais pormenorizada é a revista. Desta vez, pouco ou nada de diferente encontrei no regresso.

Mas sempre que regresso, faço questão de publicar e mostrar o que de mais emblemático temos, a Ponte Romana, claro. Pois aqui fica a nossa ponte de um ângulo que está lá à espera do seu olhar.
23
Set05

Chaves - Casario do Jardim do Bacalhau

1723.bl.jpg
Não sei se têm notado mas estou a dar a volta (fotográfica). Começei na Lapa, desci pelo Bairro Aliança e já estou no Bacalhau, mesmo de frente ao velho e interessante casario, suponho que do ínício do século passado ou mesmo de há dois séculos. E é por aqui, no Jardim do Bacalhau que vou ficar até segunda-feira, dia 26.

Desculpem esta breve ausência, mas uma vez entrados no Outono vou aproveitar a oportunidade para dizer adeus ao Verão.

Até Segunda.
22
Set05

Chaves - Bairro Aliança

1722.bl.jpg
Suponho que este bairro nasceu em finais dos anos 50 inícios dos anos 60, pelo menos a arquitectura das vivendas e de todo o bairro para aí apontam. Uma coisa é certa, eu desde que existo e tenho memória, que me lembro deste bairro, cujo quarteirão inicia no Largo do Monumento, chega ao Bacalhau e confronta com o espaço envolvente do Forte de S.Francisco. É um quarteirão residencial, suponho que todo ele habitado e com uma arquitectura interessante e característica das construções da época. Era aqui, quando eu era puto, que a cidade praticamente terminava. A partir deste quarteirão começavam as quintas envolventes da cidade.
21
Set05

Teste Flaviense

1715.bl.jpgHoje resolvi fazer um teste aos verdadeiros flavienses, válido para todos os que nasceram antes dos anos 70.

1º - Onde é este local?
2º - Quem era a personagem que vivia na última casa que se ve na foto?
3º - O que se fazia por estas bandas?

Qualquer flaviense nascido antes de 70 sabe!

Fica o desafío!

20
Set05

Café Comercial

281-bl.JPG
Esta é uma fotografia que quase merecia estar no Blog Chaves Antiga, pois trata-se do Antigo Café Comercial. É mais um, dos antigos cafés com tradição em Chaves, que não conseguiu resistir aos novos desafios dos tempos actuais. Diga-se que dos antigos cafés, apenas resistiram o Sport, o Aurora e o Geraldes. Já ficaram pelo caminho, e que eu recorde, o Comercial (da foto) o Ibéria, O Brasil, o Brasília e outras casas também com tradição como o Jorge e o Central. Mesmo hoje, dos que resistiram, apenas um mantém ainda a velha tradição de café - o Sport, mas com muitas perdas,a principal, a vista que tinha para o Jardim das Freiras e o companheiro do lado, a barbearia do Inácio, no entanto ainda continua, como sempre, a ser o local de reunião preferido para quem quer saber os últimos acontecimentos da cidade (futebol, política e negócios de saias).
19
Set05

Chaves - Rua do Anjo

1520-bl.JPG
A Rua do Anjo é uma das três Ruas que ligam o Largo do Anjo ao Jardim do Bacalhau. Embora no centro da cidade, é uma das ruas mais sossegadas que conheço. Sem trânsito automóvel, apenas uma padaria ali existente dá algum movimento ao início da rua. Não deixa de ser no entanto uma das Ruas interessantes da cidade. Com início ou términus nas antigas portas do anjo, termina ou inicia numas escadarias que dão para a Rua Dr. Figueiredo Fernandes. É uma rua interessante, onde até se têm recuperado as construções e com alguns moradores (poucos), mas também sem “vida”. Numa próxima encarnação talvez lhe chamem a Rua do Sossego.
17
Set05

Chaves em Festa

762-bl.JPG
Chaves sempre se debateu com a ausência de umas festas da cidade. Para muitos as festas da cidade deveriam ser por excelência conjugadas com a Feira dos Santos, quer pela tradição da feira quer pelo número de pessoas que essa mesma feira traz a Chaves. No entanto, nesta última quinzena de anos tem-se tentado fazer que as festas da cidade coincidam com o Feriado Municipal, no dia 8 de Julho. Mas para os puristas das festas, esta data peca por não ser religiosa, e festa que é festa tem que ter procissão, um Santo ou uma Nossa Senhora. É por essa razão que há uns tantos que defendem que as festas da cidade deveriam ser a da Srª das Brotas, que essa sim é verdadeiramente da cidade. Mas ano após ano e desde há muitos que a Srª das Brotas não tem festa digna de ter esse nome, se é que a duas ou três merendas se possa chamar festa.

Esta pequena introdução serviu apenas para chegarmos à Festa em Honra de Nª Srª das Graças que decorrem de 16 a 18 de Setembro em Chaves, ou seja, estamos em plena festa. E agora um pergunta para os flavienses ausentes. Conheciam esta festa?. Eu vou ser sincero, como flaviense residente, só este ano é que ouvi falar em tal festa, mas enfim, estamos num ano e mês em que tudo é possível. E Viva a festa! Ao que consta é o ressuscitar de uma festa que se realizava em Chaves nos inícios do Século passado e dizem as más línguas que terá uma periodicidade de 4 em 4 anos.

Eu pessoalmente e, na ausência de uma festa com tradição em Chaves, também sou dos que defende a Feira dos Santos com a Festa da Cidade. Essa sim deveria ser mais dignificada com actividades festivas e culturais paralelas à feira, mais dignificada com um recinto próprio para receber os feirantes e com recinto próprio para o parque de diversões, e sobretudo criar condições para quem nos visita nesses dias.

Pág. 1/3

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

Olhares de sempre

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • Anónimo

      Sim este é o S. Lourenço de Chaves"Eu sei que há m...

    • José Pombal

      Com o devido respeito, o nome destas localidades, ...

    • Anónimo

      Caro Fernando Ribeiro. Agradeço as suas diligência...

    • Anónimo

      (Esta (só?!...) placa não merece «Re-qua-li-fi-ca-...

    • Fer.Ribeiro

      Não sei mas vou tentar saber. Abraço.