Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

03
Abr10

Mosaico da Freguesia de Calvão

Mosaico da Freguesia de Calvão

 

 

 


Localização:


A 12 km da cidade de Chaves, a noroeste desta, no limite do concelho, situa-se numa faixa de território de transição para as terras de Barroso.

 

Confrontações:


Confronta com as freguesias de Soutelinho da Raia, Ervededo, Bustelo (num ponto apenas) Sanjurge, Soutelo, Seara Velha e ainda com os concelhos de Boticas e de Montalegre.

 

Coordenadas: (Largo da Igreja de Calvão)


41º 47’ 22.22”N

7º 32’ 41.41”W

 

Altitude:


Variável – acima dos 600m e abaixo dos 900m

 

Orago da freguesia:


N. Srª da Assunção

 

Área:


19,62 km2.

 

Acessos (a partir de Chaves):


– Estrada Municipal 507 em direcção ao S.Caetano e Montalegre.

 

.

 

.

 

 

Aldeias da freguesia:


- Calvão

- Castelões

 

População Residente:


Em 1864 – 923 hab.

Em 1890 – 1284 hab.

Em 1920 – 856 hab.

Em 1940 – 983 hab.

Em 1960 – 1240 hab.

Em 1981 – 624 hab.

Em 2001 – 465 hab.

 

.

.

 

 

Principal actividade:


- A agricultura.

 

Particularidades e Pontos de Interesse:


Como costumo dizer esta freguesia e as suas aldeias, tais como as aldeias das freguesias vizinhas, assumem já características do barroso, com o qual confrontam, assumindo também as suas características em termos de um rico património paisagístico, mas também arquitectónico, principalmente dos seus núcleos onde ainda se apreciam belíssimos exemplares das antigas construções de granito.

 

Aliás, em património, de quase todo o tipo, nomeadamente histórico, arqueológico e religioso, é uma freguesia rica. Começando pelo histórico e arqueológico, com os mais antigos vestígios da presença humana a remontar à época megalítica, cronologicamente conotada com os finais do Neolítico e inícios da Metalurgia. São testemunho desses antigos povoamentos as três estações arqueológicas castrejas – Outeiro dos Mouros, Lamarelhas e Facho.

.

.

 

Mais tardia será a Ponte Romana da Ribeira embora alguns historiadores ponham em dúvida a sua origem romana. No entanto parece haver também achados que nos levam até à romanização das vias, pelo menos a julgar pelo que  A.Rodrigues Colmonero afirma ao respeito do aparecimento de um cilindro granítico e dado como provável milenário.

 

Do património religioso há a assinalar a existência de dois santuários, um em Calvão – da Srª  da Aparecida e outro em Castelões – a Srª do Engaranho, pelos quais as populações locais mas também devora, prestam a sua devoção.

 

A Igreja Paroquial é a que mais se realça pelas suas proporções, com a suas duas torres sineiras, embora seja o mais recente, pois data de  1941 e foi construída para substituir a anterior igreja existente, que seria  medieval e ruiu na sequência de um temporal. Há diversas referências a esse temporal noutras aldeias onde também fez os seus estragos em igrejas.

.

.

 

Também dignos de realce são os cruzeiro da freguesia, com o de Calvão com o seu fuste canelado e capitel clássico suportando uma delgada cruz e o de Castelões, com alpendre e datado de 1879, pintado e com imagens em relevo nas duas faces da cruz. Ainda ao fundo a povoação de Calvão existe a Capela de N. Srª do Amparo havendo quem defenda que deve ser a mesma que é referenciada e documentada em 1617 como Capela da Srª do Rosário.

 

Quanto ao Santuário da Srª da Aparecida, este integra um Capelinha de 1863, apoiada em cima de um rochedo pelo que se poderá acreditar em ancestrais cultos litolátricos e um outro templo construído uns anos depois. Ainda junto ao Ribeiro do Crasto, fica a capela de S.José, datada de 1752.

 

Em Castelões ficam as capelas de Tairiz ou do Senhor do Bom Caminho e o Templete de N.Srª das Necessidades ou do Engaranho. Ao fundo fica a capela de S.Pedro de Castelões.

Na freguesia e no tocante a arquitectura civil, existem alguns exemplares de casas solarengas do Sec. XVIII e um forno comunitário em Castelões bem à moda barrosã e do seu comunitarismo, que ainda hoje parece existir nessa aldeia.

 

Sem dúvida que estas duas aldeias da freguesia têm ainda um valioso núcleo e também valioso património arquitectónico a preservar, mas para as quais não há qualquer medida de salvaguarda.

.

.

 

Também não tenho qualquer dúvida em recomendar a freguesia para uma visita demorada, de um dia se possível, sendo indiferente por onde começar, mas com tempo para visita a todos os seus pontos obrigatórios, como os núcleos das duas aldeias, todo o seu património religioso (capelas , igrejas, cruzeiros, alminhas, santuário da Srª da Aparecida e da Srª do Engaranho, bem como o forno comunitário. Se for por um dia, e como pela zona não há restaurantes, vá com merenda ou de pic-nic e terá instalações de apoio (mesas, sombras, churrasqueiras, muita água e bar) no Santuário da Srª da Aperecida. Verá que é um dia bem passado.

 

Para quem gosta de fotografia, um paraíso espera-os, não só em paisagens mas também em pormenores.

 

 

Linck para os posts neste blog dedicados às aldeias da freguesia:


 

- Calvão

 

- Castelões

 

 

Sítios na Net da Freguesia:


 

- Aldeia de Castelões

 

 

 

 

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

15-anos

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Flavienses Ilustres

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    FB