Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

01
Ago10

Mosaico da Freguesia de Águas Frias

 

 

 

.

 


 

Localização:


A 12 km da cidade de Chaves, a Nascente desta, situa-se nas denominadas terras de Monforte, nome que provém do Castelo de Monforte de Rio Livre, que altaneiro se localiza em pleno coração da freguesia  .

 

Confrontações:


Confronta com as freguesias de Paradela de Monforte, Travancas (num único ponto), Cimo de Vila da Castanheira (num único ponto), Tronco, Bobadela, Oucidres, S.Julião de Montenegro, Eiras (num único ponto), Faiões, Stº Estêvão e Stº António de Monforte.

 

Pelas confrontações, nota-se, ser uma das maiores freguesias do concelho, e de facto assim é, pois em área (27.95 km2) só é ultrapassada pela freguesia de São Vicente da Raia (36.00km2).

 

.

.

 

Coordenadas: (Adro da Igreja de Águas Frias)


41º 46’ 10.64”N


7º 21’ 02.91”W

 

Altitude:


Variável – acima dos 550m e Abaixo dos 850m

 

Orago da freguesia:


São Pedro

 

Área:


27,95 km2.

 

Acessos (a partir de Chaves):


– Estrada Nacional 103

 

.

 

 

.

 

 

Aldeias da freguesia:


- Águas Frias

- Assureiras (de baixo, do meio e de cima)

- Avelelas

- Casas de Monforte

- Sobreira

 

População Residente:

Em 1900 – 1620 hab.

Em 1920 – 1538 hab.

Em 1940 – 1926 hab.

Em 1960 – 2201 hab.

 

Em 1981 – 1253 hab.

Em  2001– 897 hab.

 

.

.

 

Pela leitura do gráfico facilmente se vê que o comportamento e movimento da população residente é idêntico ao da grande maioria das freguesias rurais, com o seu topo de população no ano de 1960 descendo a partir de aí até ao ano de 2001. No entanto a quebra de população desta freguesia acentua-se mais a partir de 1960 porque também a partir dessa data é formada uma nova freguesia dentro do seu antigo território, ou seja a aldeia de Curral de Vacas e Nogueirinhas anteriormente pertencentes a Águas Frias deram origem a freguesia de Stº António de Monforte levando consigo mais de 500 habitantes. Contudo, mesmo contabilizando a população da nova freguesia, em 2001, a manter-se o antigo território, Águas Frias teria 1406 habitantes residentes, ou seja, manteria a linha de tendência negativa, embora menos acentuada e bem longe do número alcançado em 1960.

 

Podemos então concluir que a freguesia sofre também do mal do despovoamento, embora o mesmo não se distribua por igual nas suas aldeias, parecendo-me que as mais afectadas serão Sobreira e as Assureiras.

.

.

 

Principal actividade:


- A agricultura.

 

Particularidades e Pontos de Interesse:

 

Sem qualquer dúvida a freguesia possui um dos maiores pontos de interesse do concelho, mas não só, pois o interesse é regional e até nacional. Refiro-me, claro, ao Castelo de Monforte que outrora teve a sua importância estratégica, com uma Vila Medieval dentro de muralhas, hoje abandonada e muito arruinada mas também na sua área de influência nasceriam as várias populações que hoje constituem a freguesia de Águas Frias bem como outras freguesias próximas, vindo a perder naturalmente a sua importância militar, mantendo no entanto a sua importância histórica e monumental mas também um ponto importante na montanha, enquanto por lá, durante dezenas de anos, se realizava uma das mais importantes feiras de gado da região.

 

O Primeiro foral de Monforte de Rio Livre  foi outorgado por D.Afonso III em 1273.

 

D. Dinis posteriormente promoveria a reedificação da estrutura castelar dotando-a da sua magnifica Torre de Menagem. Na centúria seguinte, já bastante despovoado, D.João I viria a construir ali um “Couto de Homiziados” (1420), mas de pouco valendo, pois posteriormente viria a conhecer o abandono total, já no séc. XIX, altura em que é também extinto o concelho de Monforte de Rio Livre.

 

.

.

 

Abandono total que chega até aos nosso dias pois embora há anos atrás houvesse uma tentativa de revitalizar o espaço envolvente com a construção de merendeiros e uma área de lazer, lançando para lá uma feira medieval que ainda se realizou durante dois ou três anos e a intenção de na torre de menagem montar um museu, tudo foi ficando pelo caminho, conhecendo nos actuais dias de novo o abandono total de onde todos se excluem das responsabilidades que têm, ou seja, a Junta de Freguesia desculpa-se com a Câmara Municipal e esta com o IGESPAR, ou seja, um espaço cujo interesse, repito, além de ser da freguesia, é concelhio, regional e nacional, todos lavam de lá as suas mãos, estando neste momento completamente abandonado, sem guarda e ao deus dará. Da nossa parte só podemos ter pena que tal aconteça, pois o Castelo de Monforte de Rio Livre é uma das nossas maravilhas. Sem qualquer pudor penso que todos são responsáveis pelo seu abandono – Junta de Freguesia, Câmara Municipal, IGESPAR mas também indirectamente o Governo por mãos do seu Governador Civil do distrito, pois sendo ele da freguesia de Águas Frias poderia utilizar a sua influência e proximidade do Governo para que o Castelo não esteja abandonado como está. Mas verdade seja dita, também foi o actual Governado Civil, aquando Presidente da Câmara Municipal de Chaves, que fez alguma coisa pelo castelo e espaço envolvente, devendo-se a ele a tal área de lazer existente e as tais feiras medievais que não vingaram. Conclusão das conclusões – Do estado actual do castelo ninguém é culpado, mas todos o são e como tal, com culpas distribuídas por todos, o mais certo é que um monumento nacional continue entregue ao completo abandono…a nós, que ninguém nos liga, resta-nos denunciar e lamentar, ter pena que também ele sofra da sua ruralidade que embora bem visível a léguas, ninguém o veja no seu maior interesse…

 

Mas embora o Castelo tenha a sua importância, historicamente a freguesia tem mais a dizer, pois tudo indica que o seu povoamento remonte, pelo menos, à proto-histórica Cultura Castreja do Noroeste Peninsular, pelo menos é o que tudo indica o topónimo “Monforte” e que o mesmo se relacione com um dos numerosos  povoados fortificados da idade do Ferro e Romanização ligado no aro concelhio flaviense, por onde se supõe também que passaria a Via Augusta (calçada romana) que ligava Braga a Astorga, ou seja uma daquelas que seria uma auto-estrada da época romana. Pena que Chaves e a região tenham perdido a importância que tinha nessa altura. Hoje estamos numa de ter pena, que aliás já não é de hoje, infelizmente.

 

.

.


 

Também em arquitectura civil e religiosa a freguesia possui os seus pontos de interesse, com a Igreja paroquial de Águas Frias setecentista e as Igreja das Avelelas, a Capela de S.Miguel, Stº Amaro, N.Srª dos Prazeres, Stª Bárbara e algumas casas mais ou menos solarengas. Aliás a aldeia de Águas Frias pelo seu interesse arquitectónico possui um núcleo que no PDM de Chaves está protegido com a preservar, mas infelizmente quase e apenas isso, pois tem sido vítima da descaracterização do seu antigo núcleo (o tal interessante) sem o devido cuidado da preservação. Culpados da situação? – de novo são todos culpados e não há qualquer culpado, pois como eu dizia há tempos atrás a este respeito dos núcleos a preservar, não basta estar escrito no PDM que assim é, tem de haver todo um trabalho de sensibilização das populações, de incentivos, de fiscalização, de promoção, de acompanhamento,  etc. Mas tudo é feito ao contrário e as populações até são “castigadas” por serem interessantes, por isso, em nada me admira que o clandestino aliado também (na maior parte das vezes) ao mau gosto (acredito que inocente)  continue a imperar com o “consentimento” e conivência de todos, pois para as coisas se fazerem a sério têm de ser levadas a sério e não o são. Mais uma vez temos pena.

 

Pois também tenho pena de não continuar com os post e continuar por terras de Monforte e de Águas Frias, mas a minha missão, para já, está concluída e depois, Águas Frias está muito bem representada na Internet, não só com os blogues de Águas Frias, mas também de Casas de Monforte e dos seus autores que são gente interessada pela freguesia e dos quais tenho a certeza que também eles têm pena que algumas coisas aconteçam por lá e com o seu castelo.

 

 

 

.


.


Linck para os posts neste blog dedicados às aldeias da freguesia:

 

- Águas Frias - http://chaves.blogs.sapo.pt/502175.html

 

- Assureiras de Baixo - http://chaves.blogs.sapo.pt/264113.html

 

- Assureiras do Meio e de Cima - http://chaves.blogs.sapo.pt/268697.html

 

- Avelelas - http://chaves.blogs.sapo.pt/321545.html

 

- Casas de Monforte - http://chaves.blogs.sapo.pt/307041.html

 

- Sobreira - http://chaves.blogs.sapo.pt/336984.html

 

- Castelo de Monforte - http://chaves.blogs.sapo.pt/419013.html

 

 

 

Blogues da freguesia:

 

 

- Águas Frias  (João Tanas) - http://aguasmonforte.blogs.sapo.pt/

 

- Águas Frias (Mário Silva) - http://aguasfrias.blogs.sapo.pt/

 

- Rio Livre (Celestino Chaves) - http://riolivre.blogs.sapo.pt/

 

- Casas de Monforte (Tó/Manuel/Hugo) - http://casasdemonforte.blogs.sapo.pt/

 

 

E por hoje é tudo. Até amanhã com mais uma Crónica Segundária de António Chaves.

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

15-anos

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Flavienses Ilustres

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • Anónimo

      aldeia mais linda portugal

    • Anónimo

      Felizes são vocês , da minha sempre querida Chaves...

    • Fer.Ribeiro

      Obrigado pelo seu comentário, de facto o Barroso é...

    • Fer.Ribeiro

      A história da nossa cidade de Chaves é muito simpl...

    • Bete do Intercambiando

      Mil desculpas pelo erro. Depois que enviei a mensa...

    FB