Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

14
Set10

Montalegre

.

MONTALEGRE

 

 

Desde que comecei a minha actividade profissional (já lá vão quási 40 anos), que visito a simpática vila de Montalegre, capital do Barroso, terra de gente boa.

 

Quem lá não vai há 20/25 anos, dificilmente a reconhece.

 

Em termos urbanísticos, mormente a abertura de ruas, a construção de rotundas, e o aproveitamento de edifícios de traça antiga, fizeram da velha vila um lugar cada vez mais visitado e mais apetecível para os turistas.

 

Os responsáveis têm criado e cimentado eventos que o país aplaude e que premeia.

 

Já não falamos na consagrada Feira do Fumeiro ou da Feira da Vitela do Barroso, certames que levam a Montalegre milhares de pessoas e onde se fazem consideráveis negócios.

 

As notícias recentes motivaram esta crónica.

 

“Sexta-feira 13” foi considerado o evento Revelação do Ano, tendo a respectiva Câmara Municipal, por esta importante realização, arrecadado o primeiro prémio a nível nacional.

 

Mais uma feira do livro – a XI – no Pavilhão Multiusos entre 1 e 9 de Junho, que foi um sucesso dada a elevada frequência.

 

Já se anuncia, melhor, já foi apresentado o Mundial Orientação BTT, que Montalegre recebe de 11 a 18 de Julho.

 

Estiveram presentes 300 atletas de 25 países a disputar títulos mundiais.

O parapente, segundo informação, voltou aos altos do Larouco com participantes internacionais.

 

Montalegre fervilhou de acontecimentos que conduziram  imensa gente à vila.

 

.

.


 

Imaginação, criatividade, trabalho, levaram os autarcas a pôr a vila no mapa.

 

Porque efectivamente Montalegre já é uma vila mediática de que a imprensa e a televisão falam quasi sempre por estes bons motivos.

 

Aqui na urbe flaviense, na época de verão , não deixamos  de ter as bandas do Concelho e os ranchos das aldeias que nos cercam.

 

Ah! Como costume recebemos o Festival de Folclore com alguns grupos estrangeiros que os espanhóis proporcionam.


Mas antes disso, no dia 8 de Julho, como sempre, ouvimos duas horas de música das filarmónicas do concelho, nas margens do Tâmega.

 

Assim se comemorou  neste marasmo mais um feriado municipal.

 

Termino lembrando o espectáculo notável a que assisti,  em Macedo de Cavaleiros, onde tive ocasião de ouvir a extraordinária fadista Marisa a troco do preço simbólico de 1,00€.

 

Chaves, cidade termal, terra de emigrantes, merecia um Verão mais animado, com eventos apelativos não só  para os que por aqui estão como também para os que nos poderiam visitar, como já aconteceu em épocas passadas.

 

António Roque

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

15-anos

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Flavienses Ilustres

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    FB