Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

02
Out10

Mosaico da Freguesia das Eiras

.

 

.

Localização:


Oficialmente a 3 Km de Chaves embora, na prática, esteja ligada fisicamente (em casario) à cidade, no entanto, S.Lourenço, uma aldeia da freguesia, dista da cidade 10 km da cidade e segue as características rurais das aldeias de montanha, aliás, toda ela implantada em terras altas da Serra do Brunheiro.

 

Confrontações:


Confronta com as freguesias de Faiões, Águas Frias (num único ponto), S.Julião de Montenegro, Cela e Madalena.

 

Coordenadas: (Largo do Cruzeiro das Eiras)


41º 44’ 01.96”N

7º 26’ 05.94”W

 

.

.


Altitude:


Variável – acima dos 360m e abaixo dos 650m

 

Orago da freguesia:


Nossa senhora da Expectação

 

Área:


4.88 km2.

 

Acessos (a partir de Chaves):


– Estrada Nacional 103 até ao cruzamento do Campo de Cima e E.M. 536 a partir deste.

 

.

 

.

 

 

Aldeias da freguesia:


- Eiras

- Castelo

- S.Lourenço

 

População Residente:


Em 1900 – 552 hab.

Em 1920 – 554 hab.

Em 1940 – 701 hab.

Em 1950 – 812 hab.

Em 1970 – 588 hab.

Em 1981 – 587 hab.

Em 1991 – 524 hab.

Em 2001 – 560 hab.

 

.

.

 

Um gráfico e comportamento da população que sai ligeiramente fora da norma e da gráfico tipo da maioria das freguesia rurais, pois embora se note um decréscimo da população residente a partir de 1950, não é muito acentuado relativamente e comparativamente às restantes freguesia rurais e, no último censos regista-se um aumento ligeiro da população. Não será estranho a este comportamento da população residente a sua localização geográfica e a sua proximidade da cidade de Chaves e da veiga e se o comportamento da sua população não se distancia mais do gráfico tipo das freguesias rurais é precisamente por esta freguesia se um misto de freguesia urbana e rural, com as Eiras mais urbanas e o Castelo e S.Lourenço mais rural.

 

.

.

 

Principal actividade:


- A agricultura, parte dela desenvolvida em plena veiga de Chaves (Eiras) e outra típica de montanha (Castelo e S.Lourenço), neste último caso, conhecida pela produção de cereja.

 

Particularidades e Pontos de Interesse:

 

Em território, a freguesia das Eiras é a terceira freguesia mais pequena (4.88 km2), pois apenas a vizinha freguesia da Cela e a Freguesia de Vilarinho das Paranheiras, ambas com 3.80 km2 de território se ficam aquém em território.

 

Tal como já se disse no inicio deste post em relação à proximidade e afastamentos da cidade, a freguesia também é um misto de freguesia urbana e rural, com a aldeia das Eiras  implantada em plena veiga de Chaves e S.Lourenço em plena montanha ou em plenas terras altas da Serra do Brunheiro, tendo pelo meio a aldeia do Castelo que tanto tende para a veiga como para a montanha.

 

.

.

 

Embora em termos de características de terreno seja tanto da veiga como da montanha, entre as Eiras e S.Lourenço distam apenas 2 Km, hoje (felizmente) ligadas por um caminho de montanha asfaltado, mas tal só acontece desde há um ano a esta parte, pois até ao asfaltamento deste caminho (em parte devido às vergonhosas obras da E.N. 213 onde se gastaram milhões de euros para tudo ficar igual, mas estas coisas são contas de outro rosário, as quais, se o tempo mo permitir, serão ingredientes da feijoada da próxima quarta-feira ), a ligação (decente e com automóvel) tinha de ser feita via Chaves cidade, ou seja, teriam de ser percorridos cerca de 15 km por estrada. Coisas que hoje em dia não se compreendiam muito bem, mas que (repito – felizmente) com todos os defeitos que esta ligação possa ter, já está asfaltada e já liga com a decência mínima as duas (ou três) aldeias da freguesia.

 

.

.

 

Um dos maiores pontos de interesse, pelo menos imediato e que todos os flavienses (re)conhecem, é o Miradouro de S.Lourenço, de onde se pode ver e até espantar em contemplação, toda a veiga de Chaves e, naturalmente, a cidade de Chaves. Coisa digna de se ver, onde o verde sempre domina em primeiro plano e o azul das montanhas, ao longe, quase se confunde com o azul do céu no entrar por terras de Barroso ou da Galiza adentro. Isto de dia, porque de noite, o espectáculo das luzes da cidade e das freguesias mais próximas serve-se para largos momentos, românticos até, de apreciação e contemplação.

 

Sem dúvida alguma não se pode conhecer Chaves cidade e Chaves concelho sem subir ao miradouro de S.Lourenço, mas toda a freguesia é na prática um miradouro sobre a cidade, também da aldeia do Castelo, as vistas são fascinantes e, até dos pontos mais elevados das Eiras, as vistas para a cidade e a veiga, têm o seu encanto.

 

Vamos também a um pouco da sua história que remonta, pelo menos, aos finais do Neolítico, pelo menos é isso que indicam os achados na freguesia (principalmente em S.Lourenço e no Castelo) de alguns artefactos pétreos ligados a esse período.

 

.

.

 

A aldeia do Castelo cujo topónimo tudo indica estar ligado a um antigo castelo aí existente e do qual, segundo os historiadores, ainda se podem observar pequenos amontoados  de pequenos blocos respeitantes ao derrube das prováveis muralhas, tudo isto nas cercanias de uma interessante capela de invocação a S.Tiago, possivelmente com construção datada dos séculos XVII ou XVIII. Mas não se iluda o leitor interessado por estas coisas dos castelos, ou dos seus restos, pois para leigos, hoje a existência de um castelo por lá, só se encontra mesmo no nome da aldeia.

 

Logo por baixo da aldeia do Castelo começa a desenhar-se a aldeia das Eiras, sede de freguesia, onde podemos encontrar vários motivos de interesse (para além, claro, de uma bebida amarelinha, um óptimo remédio para digestões difíceis e made in casa da autora do blog eirense, que tem feito as delícias e finais dos encontros da blogosfera flaviense). O mais visível é mesmo um pequeno e curioso (pela sua pequenez) cruzeiro no centro das Eiras. Pequeno mas sem dúvida um dos mais bonitos cruzeiros do concelho, com as suas astes florenciadas e considerado imóvel de interesse público desde 1950. De base em forma quadrangular, tem nele inscrita a data de 1650.

 

.

.

 

Desde este cruzeiro avista-se não muito longe uma curiosa construção que chama a atenção pela diferença que marca na paisagem, não pelas suas dimensões que até são reduzidas, mas pela sua arquitectura, que um olhar atento consegue descobrir nela uma uma capela, uma interessante mas “triste” capela que já conheceu melhores dias, pois hoje está abandonada, maltratada, tendo até já servido de galinheiro e estábulo. É propriedade privada e está integrada numa quinta agrícola, conhecida por Quinta dos Madureiras. Tive oportunidade de a visitar e registar em fotografia na minha última visita às Eiras e, de facto, a capela mete dó. O actual proprietário mostra-se impotente para a sua recuperação e segundo me confidenciou, até via com bons olhos a sua recuperação. Capela que em tempos teve culto e devoção à Nossa Senhora da Conceição onde até, segundo apurei, se realizou o casamento de familiares do antigo proprietário, mas que hoje, de capela, apenas existe a memória, mas de facto, pede urgente reforma, pede ser estudada e pede ser classificada (embora até esteja referenciada pelo antigo IPAR, mas a referência não basta). Crê-se que date do Séc. XVI e no seu interior existem ainda alguns fragmentos de frescos (pinturas). Quem sabe se a Iberdrola tomar conhecimento da sua existência e a modos de ficar bem vista para as gentes da região (em troca do negócio do Rio Tãmega) não dispensa uns trocos para a sua recuperação.

 

.

.

 

De gosto românico ergue-se nas imediações das Eiras a Igreja Paroquial de Nossa senhora da Expectação. Simples e com construção provável nos séculos XV ou XVI.

 

Também a famosa Via Augusta XVII, a via romana que ligava Braga a Astorga atravessa as terras da freguesia, ainda bem visível e em bom estado de conservação num pequeno troço por baixo do miradouro de S.Lourenço e bem visível desde esse local.

 

Por último uma referência à aldeia de S.Lourenço que em termos de núcleo tradicional e consolidado é a aldeia mais aldeia da freguesia, mas também em termos de casario rústico e  tradicional, que tal como mandas as regras se desenvolve à volta e nas imediações da Capela, que se ergue lá bem no alto da aldeia.

 

.

.

 

Referência também para S.Lourenço  para as suas famosas cerejas, para a sua história de serviços prestados à cidade com as suas famosas lavadeiras que diariamente transportavam roupa lavada para a cidade e hoje, para o presunto, as merendas de presunto, do bom, algum até genuíno presunto de Chaves, que é sempre acompanhado por bom pão, vinho ainda melhor, azeitonas e cebola crua, iguarias que fazem com que diariamente alguns flavienses subam por esse Brunheiro acima para se deliciarem com a dieta.

 

Mas para saber mais sobre as particularidades de cada uma desta aldeias da freguesia das Eiras, nem há como passar pelos posts que dediquei a cada uma delas para os quais a seguir deixo um link.

 

.

.


Linck para os posts neste blog dedicados às aldeias da freguesia:

 

- Eiras - http://chaves.blogs.sapo.pt/488175.html

 

- Castelo - http://chaves.blogs.sapo.pt/281954.html

 

- S. Lourenço - http://chaves.blogs.sapo.pt/499731.html

 

 

 

 

A freguesia na NET:



Blog Eirense – de autoria de Catarina Teixeira -  http://eirense.blogs.sapo.pt

 

 

 

Blog de S.Lourenço – de autoria de Amável Rebelo – http:// saolourencochaves.blogs.sapo.pt/

 

 

 

 

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

15-anos

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Flavienses Ilustres

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • Anónimo

      aldeia mais linda portugal

    • Anónimo

      Felizes são vocês , da minha sempre querida Chaves...

    • Fer.Ribeiro

      Obrigado pelo seu comentário, de facto o Barroso é...

    • Fer.Ribeiro

      A história da nossa cidade de Chaves é muito simpl...

    • Bete do Intercambiando

      Mil desculpas pelo erro. Depois que enviei a mensa...

    FB