Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

27
Nov10

Chegou o frio

 

 

*

 

Chegou, a tempo e horas, nunca falha – o frio já faz parte dos nossos dias.

 

Não se guiem pelas imagens, pois são de arquivo, e o frio ainda não é tanto assim de deixar a paisagem dobrada com o seu peso, sim, o peso do frio, porque por aqui, frio, significa gelo e uns graus abaixo de zero, o que não deixa de ter piada, pois as televisões da capital, dos de Lisboa, já anunciam o frio e os alertas da Protecção Civil. Coitadinhos dos de Lisboa, e os do litoral, e os do Sul, coitadinhos, pois sopram uns arezinhos frescos e entram logo em alertas amarelas e laranja, parece que vai acontecer o fim do mundo… então e nós!?, sim, nós que mamamos com os frios rigorosos de todos os invernos, com os gelos, com os abaixo de zero, com os dedos engaranhados até doer,  com as neves e geadas de deixar tudo teso… sim, e nós!? Bem, nós aproveitamos o frio para matar o reco, fazer o fumeiro e beber mais uns canecos à lareira, somos uns patuscos que estamos habituados a estas coisas do frio e ainda por cima, somos poucos e tesos, por isso, só há que ter cuidado com as lareiras e as braseiras, e chega, que ares condicionados e aquecimentos centrais, apenas são luxos para alguns.


*

 


 

*

 

É por isso que gosto do frio e também da crise. Dói, eu sei que dói ou vai doer, mas também dá algum gozo, pois nós por cá, embora também tenhamos frio e crise(s), já estamos habituados e lá as vamos aguentando, pelo menos enquanto houver lenha nos montes, batatas no barraco e couves na horta – venham daí os meninos e meninas de Lisboa, que por cá a gente é hospitaleira e se com o frio ficarem tesos como bacalhaus, quem sabe se não fazemos uma punheta com eles… ou seja, como se costuma dizer em linguagem boleira – até os comemos.

 

Nascemos assim, somos assim, já não há nada a fazer connosco!

 

Até amanhã e viva o frio – há que pensar em matar o reco!

 

PS – As fotos são de Santiago do Monte, aldeia da freguesia de Nogueira da Montanha, ou seja, aquela freguesia que fica lá em cima, no alto do Brunheiro e domina todo o seu planalto.

 


 

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

15-anos

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Flavienses Ilustres

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    FB