Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Saudades do Castelo de Chaves

14.09.07 | Fer.Ribeiro

Castelo de Chaves

 

.

Ainda ontem falava aqui dos pequenos pormenores e coisas rotineiras que fazem na ausência o nosso triste fado da saudade.
 
Há dias recebi um mail do Brasil, de uma neta à procura das origens (naturalidade) do avô  que tinha partido para o Brasil com 16 anos de idade, há quase 100 anos. Dizia-me ela no seu simpático mail que o seu avô tinha levado para o Brasil o apelido (ou sobrenome) de Branco e pouco mais, passo a citar:  
«só sabíamos da sua terra natal através das narrativas cheias de saudades da sua casa de pedra, as broas que a mãe fazia, o vinho, as maçãs que eram guardadas para o Inverno e, sobretudo, dos "castelos" de Chaves!»
 
Só quem está fora da terrinha e sente verdadeiras saudades,  poderá entender inteiramente estas palavras, que se poderão referir a uma terrinha qualquer do nosso concelho.
 
É de coisas simples que as saudades estão feitas e também com coisas simples que os netos procuram as suas origens, mesmo que pelo meio se entreponha este imenso oceano atlântico.
 
Pois para a neta, aqui fica o tal Castelo de Chaves que o avô levou no coração e, fica também para os visitantes deste blog,  o nome do avô para o caso de alguém saber qual a sua origem: JOSÉ ANTONIO BRANCO, nascido em 19/03/1894, irmão de MIGUEL dos ANJOS BRANCO e filho de ANTONIO BRANCO e ROSA dos ANJOS BRANCO.
 
É por estas e por outras que o nosso castelo é o nosso príncipe e actor principal deste palco da cidade de Chaves. Claro que a nossa Top Model não fica melindrada com este tratamento ao jovem príncipe, pois ela está noutro nível e que me conste, ambos, ignoram o que é ciúmes e invejas.
 
Até amanhã, por aí,  numa aldeia de Chaves.