Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves, Largo do Arrabalde, escavações arqueológicas.

28.09.07 | Fer.Ribeiro

 

.

 

Ora aqui está a prova provada de que em Chaves quando se abre um buraco no chão damos logo com pedaços da história longínqua, e quando mais fundo é o buraco, mais longínqua e interessante o achado.
 
Já há tempos tínhamos abordado aqui as escavações arqueológicas que decorriam no Largo do Arrabalde. As mesmas que resultaram de um projecto para um parque de estacionamento subterrâneo. Já então dizia, que possivelmente perdíamos um parque de estacionamento mas ganhávamos um espaço museológico. Então estava-se ainda no início das escavações quando se tinham acabado de encontrar um troço da muralha seiscentista.
 
Com o evoluir das escavações, além de por a descoberto um importante troço da tal muralha seiscentista, chegou-se finalmente àquilo que os arqueólogos (por anterior sondagem) já suspeitavam que iriam encontrar, ou seja, o pavimento e a base daquilo que teria sido um importante complexo termal romano, com várias salas de banhos a diferentes temperaturas e com pormenores construtivos, da arte de bem construir, os quais já estamos habituados a observar e verificar em todas as construções romanas, alguns mesmo de fazer inveja aos actuais construtores, com uma complexa, mas simples e funcional rede de captação, distribuição, aproveitamento e saneamento das águas termais.
.
.
 
As escavações ainda estão a decorrer, ao ritmo que muita gente não entende, é certo, mas ao ritmo moroso e natural de qualquer escavação (talvez um pouco de informação ajudasse), pois não se trata de abertura de caboucos para construção ou de plantação de árvores ou simples couves, neste caso trata-se de pôr a descoberto 2000 anos de história, com gente que sabe (arqueólogos) da arte e do ofício e cujo estudo dos vestígios que vão aparecendo irão contribuir e muito para a história da cidade de Chaves Pena é que o espaço em escavação esteja limitado apenas a parte do Largo do Arrabalde.
 
Só a título de curiosidade, o pavimento do complexo termal romano agora encontrado, está a cerca de 5 metros abaixo da cota actual do Largo do Arrabalde e a água que se vê numa das fotos, é água termal, que embora fora da captação (origem ainda não detectada) atinge entre os 30 a 40ºC de temperatura.
.
.
 
E só resta mesmo agradecer a quem teve a feliz ideia de um dia pensar para este espaço um parque de estacionamento, sem a qual esta descoberta (embora mais ou menos previsível) não teria sido possível, e já agora lembrar a quem a teve, que já é tempo também de ter outra ideia, para outro parque (claro), é que este, já era!
 
E por hoje vai sendo tudo, mas prometo vir novamente com este assunto ao blog, se possível mais documentado e com a solução encontrada para o futuro deste espaço, que se espera ser um espaço museu, atractivo para fazer mais um pouco da história de Aquae Flaviae, romana, medieval e actual.
 
Até amanhã, em Chaves, mas rural.

6 comentários

Comentar post