Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Rio Tâmega - Chaves - Portugal

02.11.07 | Fer.Ribeiro

 

.

 

Podem não parecer, mas as imagens de hoje são do Rio Tâmega, ou dos lagos e lagoas do Rio Tâmega.
 
Durante anos a fio, na idade acelerada do betão em Chaves, era daqui que saiam todos os inertes para todo o betão fabricado para os grandes mamarrachos flavienses.. Diziam ser ilegais, a verdade é que durante quase duas ou mais dezenas de anos estes areais laboraram à margem da lei, invisíveis para as autoridades ou quando visíveis, ninguém laborava ou explorava areais, pois por encanto as máquinas paravam e deixava de se ver vivalma. Inocentemente até se poderia pensar que estas explorações auto-laboravam… Enfim. Leis mais apertadas e fiscalização mais atenta e rigorosa fez com que este crime acabasse de vez e, em apenas uns meses, acabou-se com aquilo que durante 20 a 30 anos ninguém consegui por termo.
.
.
 
Acabadas as explorações, ficaram os buracos, enormes buracos que com a falta de exploração, as chuvas e cheias, encheram os buracos e formaram lagos e lagoas.
 
Com o tempo, sem explorações, sem máquinas e homens por perto, a vegetação (amieiros e salgueiros entre outras espécies) começou a crescer em redor destes pequenos lagos e com a vegetação, começaram a aparecer aves e outras espécies e animais que tem a água como companhia.
 
Patos, Águias-pesqueiras, Cegonhas-brancas, Peneireiros Cinzentos, Garças-reais, Galinhas de Água, Mergulhões de Crista, Guarda-rios, Corvos-marinhos, Lontras, etc. começaram a fazer destes lagos e lagoas um dos seus habitats naturais. Uma delicia para quem gosta destes assuntos da vida animal selvagem.
 
Junto ao “grande lago” (como eu lhe chamo) a ADRAT colocou um pequeno observatório em madeira onde, além de um posto mais ou menos camuflado de observação, tem alguma documentação sobre as espécies que habitam estes “lagos”. É um princípio que deveria ter continuidade na exploração deste tesouro ou desta bênção que o Rio Tâmega é para a cidade e para o concelho. Um rio que merece a atenção e dedicação de todos, um rio que tem muito para oferecer e que desde sempre tem sido maltratado e carente, senão ignorado pelas entidades responsáveis.
 
.
.
Tenho ao longo deste blog defendido que é urgente tratar as margens do rio entre pontes da cidade, mas penso que a partir de hoje vou defender que o rio deve ser tratado e respeitado para além das pontes, quer a montante, quer a jusante, ou seja, desde que entra em Portugal e até ao limite do concelho e daqui, podermos reivindicar que o rio Tâmega seja um rio exemplar desde a nascente até ao seu desaguar no Douro. Poder-se-ia começar por localizar e descobrir a origem do efluente de algumas cloacas que nele desaguam livremente, a começar pelo Ribelas. É uma ideia!
 
Até amanhã de volta à ruralidade de Chaves, em mais uma aldeia do concelho.  

3 comentários

Comentar post