Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

O último lamento das Sextas!

28.12.07 | Fer.Ribeiro

 

.

 

Uma vez que este blog retomou a normalidade dos seus dias e hoje é sexta-feira, vamos a mais um dia de lamentos, embora os últimos dias sejam disso mesmo.
 
Pois o primeiro lamento tem que ir precisamente para o facto de, a partir de hoje, com o fecho da maternidade, deixarmos de ter flavienses nascidos em Chaves. Tinha que o lamentar outra vez.
 
O segundo lamento vai para a cidade velha, cada vez mais velha, de velhas casas centenárias a cair, abandonadas, sem gente e sem vida. Metem dó. Enquanto as velhas casas vão ficando assim moribundas e morrendo sem qualquer dignidade, a cidade nova vai crescendo, como sempre, atabalhoadamente, sem planeamento, ou melhor, dentro do planeamento possível resultante de falta de planeamento no passado, porque hoje, qualquer planeamento que se faça, já é tardio e só remedeia e mal.
 
Claro que qualquer flaviense que vá ao miradouro de S.Lourenço e deite um olhar sobre a cidade e a nossa veiga, fica encantado com a vista e até suspira fundo. Afinal somos flavienses e gostamos do nosso cantinho. Chama-se a isso ser flaviense ou bairrista, ter amor pela nossa terra, estar apaixonado por ela. Mas se olharmos para a cidade com um olhar frio e crítico, despido de politiquices, de amores e paixões, o que se vê lá do alto são amontoados de betão, atabalhoados até, muitos mamarrachos e uma veiga com algum verde e muito sarapintado de branco, que está quase ou completamente destruída, como veiga agrícola, claro.
 
Pela nova cidade já vamos tarde para se poder fazer alguma coisa de jeito, mas pelo Centro Histórico ainda há muita coisa que se pode fazer, mas tem de ser com a vontade de todos, flavienses, políticos, entidades responsáveis, imprensa, associações da cidade, comerciantes. Quanto à forma, toda a gente sabe quem terá de dar o primeiro passo, e alguma coisa até se tem feito, sobretudo que passam por medidas proibitivas, que, diga-se a verdade, já vimos que não dão resultado, e depois a Lei, de tão complexa que é, arranja sempre uma forma de se impor ou então (des)impor e malabaristas não faltam para a contornar. Mas continuo a dizer que a culpa principal recai sobre nós flavienses em geral, ao aceitarmos e nos conformarmos com a cidade que temos, nos roubam ou nos dão.
.
.
 
E para não ser tudo lamentos, fica uma boa nova. Começaram as obras, integradas no POLIS, da nova ponte pedonal que irá ligar as duas margens do Tâmega. A ponte é ousada, interessante e moderna, o autor é flaviense. Com certeza que vai ser uma ponte que vai dar nas vistas e que concordando ou não com ela, com a sua oportunidade na construção, a sua utilidade, e o dinheirinho que vai custar,  vamos gostar de a atravessar. Claro que vamos e eu até vou aproveitar para tirar mais umas fotos à ponte rainha de todas as pontes, a nossa Top Model, que seria bom que ganhasse também o estatuto de pedonal, nem que seja e só pelo respeito aos seus 2000 anos e já agora, convém também não esquecer o arranjo da margem esquerda onde a nova ponte vai “desaguar”, senão corremos o risco da nova ponte só servir para ir às couves do Caneiro, o que já não é mau, pois as couves são boas.  
 
E para terminar, fica só o anúncio, que por motivos vários, entre os quais uma pequena reformulação do blog para o ano 2008, as sextas-feiras deixarão de ser de lamentos e passarão a ser de fórum, que à semelhança das terças-feiras em que temos por aqui um olhar diferente do meu sobre a cidade, também as sextas terão uma opinião diferente ou até poderá ser igual, mas que não será de minha autoria. Será mais uma oportunidade para discutir a cidade e as nossas aldeias. Mas atenção que ainda só estou em fase de projecto, por isso não é garantido que na próxima sexta já seja assim.
 
E só falta localizar as fotos de hoje, que são da Madalena, Chaves, Portugal.

1 comentário

Comentar post