Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Pereiro de Agrações - Chaves - Portugal

10.02.08 | Fer.Ribeiro


.

Geralmente aqui no blog, quando vou até às aldeias, muitas vezes refiro-me às aldeias de montanha. Acontece que salvo raras excepções (meia dúzia de aldeias) todas as nossas aldeias do concelho são aldeias de montanha. Mas há montanha e montanha, planaltos e até pequenos vales de montanha.

 

Montanhas & montanhas, todas elas são iguais aparentemente, mas todas elas são diferentes.

.


 


.

 

As montanhas que vão desde Parada, passam por São Vicente da Raia, descem até Aveleda e Segirei são completamente distintas das montanhas de Castelões, Soutelinho da Raia, Seara Velha e terras de Ervededo. Por sua vez as Montanhas e planalto da freguesia de Nogueira de Montanha, Moreiras e Stªa Leocádia já são distintas das de Rebordondo, Anelhe e Arcossó e de todas as outras…


.



.

 

As aldeias moldam-se e colam-se às suas respectivas montanhas e, conforme a montanha assim é a aldeia.

 

Tudo isto para chegar à aldeia de montanha de Pereiro de Agrações, pois esta, além de se moldar e colar à montanha, entranha-se por ela adentro, confunde-se com ela, aconchega-se a ela, protege-se com ela. É tanta a intimidade e cumplicidade da montanha com a aldeia, que muitas das vezes a montanha entra com os seus grandes rochedos pelas casas adentro.

.



.

 

Pereiro de Agrações é concerteza mais uma aldeia de montanha, mas com características singulares e únicas, com a intimidade das casas adossadas a gigantescos penedos e ao declive da montanha que dão à aldeia uma beleza singular.

 

Quanto às pessoas, que dizer!? Acho que são como a montanha e a aldeia, também eles vivem uma intimidade própria, afável, simpáticos, comunicativos e conversadores, humildes  e hospitaleiros. Tal como a montanha e a aldeias, também eles transportam em si uma beleza singular.


.



.

 

Mas vamos lá então até Pereiro de Agrações.

 

Póvoa é sede de freguesia, à qual pertencem as aldeias de Agrações, Dorna, Fernandinho e Pereiro. Póvoa e Pereiro, adoptam ainda o sobrenome de Agrações.

 

Pereiro fica a 21 quilómetros de Chaves e o principal acesso é feito a partir de Loivos e da E.N. 311 no troço que liga Vidago a Chaves via Loivos e Peto de Lagarelhos. Quanto a população residente na freguesia é de 294 habitantes (dados para a freguesia do Censos 2001) contra os 631 habitantes que tinha em 1981 (dados Censos 1981 corrigido em 1989) e tenho pena de não ter dados dos anos 60 e 70, pois concerteza que a diferença ainda se avolumava mais. Mesmo assim penso que a diferença numérica diz tudo quanto à desertificação e envelhecimento da população, embora no Pereiro de Agrações,  talvez tenha sido onde menos se sentiu esta desertificação na freguesia, pois segundo informações da aldeia ainda deve ter à volta de 60 habitantes.


 

.



.

 

É terra de emigrantes e a razão da partida é sempre a mesma ou seja, desde que a agricultura deixou de render para as despesas, não há nada que prenda a gente jovem às aldeias. Já é comum este lamento e até já estamos habituados a ele, mas ainda há muita gente que não está conformada.


 

.



.

 

Pereiro de Agrações, (freguesia), tem uma área total de 7,93 km2 e a sua principal produção é a castanha, dada a sua localização, nas encostas da serra da Padrela que a separa das terras de Aguiar. No seu espaço rural são vastos os soutos de castanheiros e nogueirais entremeados com algumas manchas de pinheiros. Pequenas vinhas, algumas oliveiras e as hortas circundam as aldeias da freguesia, mas o seu forte é mesmo a castanha dos seus centenários castanheiros, alguns com troncos que rondam pela certa entre os dois e três metros de diâmetro. Castanheiros de respeito.


 

.



.

Pereiro de Agrações é muito antiga com uma situação junto a um povoado castrejo. Foi uma das pobras de que falam as Inquirições de D. Afonso III, que eram verdadeiros lugares de refúgio e de defesa na Reconquista Cristã.


 

.



.



O orago é o S.Jorge cujas festas se celebram no dia 23 de Abril, mas festa, mesmo festa, essa acontece no verão, em Agosto, com a vinda dos emigrantes e o povoar da aldeia quase no seu todo, onde não faltam brilhantes máquinas e muita criança. Não admira que seja uma verdadeira festa que os resistentes povoadores esperam sempre com um brilhozinho nos olhos à espera dos seus.


 

.



.


E que mais há a dizer sobre o Pereiro de Agrações!? Talvez mesmo só referir o rigor dos Invernos e as vistas que se projectam e alcançam todas as montanhas até à serra do Larouco.


 

.



.

 

E do Pereiro de Agrações é tudo. Ficamos em divida para com Agrações e a Póvoa, pois Fernandinho e a Dorna já por aqui passaram, embora também fique prometido para estas o formato alargado.

 

Até amanhã de regresso à cidade de Chaves.

 

8 comentários

Comentar post