Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Nossa Senhora das Brotas - Chaves - Portugal

31.03.08 | Fer.Ribeiro


.

“Já ouvi os foguetes, portanto também deve haver festa. Se puder ainda lá dou um salto e depois logo se verá” deixei esta resposta nos comentários do post anterior a um amigo e também colaborador deste blog, um flaviense ausente que concerteza, como muitos, recordam com saudade a data de hoje e a festa da Srª das Brotas.

 

Pois afinal pude mesmo lá dar um salto, pois para além da curiosidade de ver a festa, trazia também comigo a curiosidade de ver o forte por dentro e como ele ficou após as recentes obras. Como o forte raramente abre as suas portas, há que aproveitar estas oportunidades e lá fui eu.

 

.

.


 Havia festa sim senhor, afinal os ditados populares têm sempre razão e claro que “não há fumo sem fogo” que traduzido para o presente caso quer dizer que onde há foguete no ar, há festa no chão, ou pelo menos tentativa de festa.

 

Esta festa faz-me lembrar as aldeias de montanha em que antigamente não tinham água canalizada, electricidade, saneamento, telefones nem asfalto nos caminhos mas abarrotavam de gente. Agora que têm tudo, não têm gente. Com a festa da Srª das Brotas, acontece o mesmo. Quando não tinha as mínimas condições, estava cheia de gente. Agora que tem cara lavada e todas as condições para lá se fazerem grandes festas, não tem gente.


 .

.


Já foi uma grande festa e nunca cheguei a perceber muito bem porque a deixaram morrer e agora que há toda a vontade de meia dúzia de resistentes, a festa não tem tido muita adesão, mas mesmo assim ainda se reúnem duas ou três das tradicionais merendas, há foguetes no ar e muita música para dar até com interessantes meninas a incentivar a dança.

 

A única merenda que existia dentro do recinto era do pessoal da USAF (Universidade Sénior de Chaves), gente simpática que pôs a merenda à disposição do repórter, o que agradecemos.

.


.

 

Uma palavra de apreço também para os resistentes da festa, os seus organizadores que tudo fazem para retomar a antiga festa.

 

E é assim que vai indo a Srª das Brotas de hoje. Fica a reportagem possível de fim de tarde.

 

Já a seguir, o post de Terça-feira, que infelizmente não serão os habituais olhares de outros, pois motivos de força maior obrigaram-me a alterar o post previsto.

 

Até já.

2 comentários

Comentar post