Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

400.000 Visitas - Obrigado!

10.04.08 | Fer.Ribeiro


Parece que foi ontem que este blog começou, mas já lá vão mais de três anos em que diariamente nos encontramos por aqui.

 

Ontem o blog atingiu mais uma etapa ou barreira, a dos 400.000 visitantes e, sempre que atinge um número tão redondo, bonito e gratificante, é tempo também de fazer por aqui um pequeno balanço do blog.

 

Repito-me sempre que falo da razão de existir deste blog e que me faz regressar ao tempo (pouco) que estive fora da cidade de Chaves, em que tudo que era da terrinha, tinha um valor acrescido. Escrevi-o uma vez e continuo a escreve-lo sempre, porque sei que é verdadeiro: “Quanto mais longe estou da minha terra, mais a minha terra me pertence”. Sei que isto é uma realidade, porque o vivi e também sei que é por isso que ontem chegamos às 400.000 visitas. E disse bem, disse chegamos, porque este blog já há muito que deixou de ser meu e passou a ser nosso, o nosso blog da nossa terrinha.

 

Claro que o blog, por ser um projecto pessoal, lá terá os seus defeitos. Concerteza que sim, tenho consciência disso, mas também terá algumas virtudes. Pela minha parte tento sempre fazer o melhor, dentro do possível e sempre limitado pela falta de tempo e até de informação disponível, mas, acreditem, que hoje também é um desafio, feito com muito amor, responsabilidade, às vezes até paixão, por este cantinho e por esta terrinha, que é a cidade de Chaves e todo o nosso concelho.

 .

imagem de arquivo

.


Inicialmente, este blog nasceu para a cidade, actual e antiga. Desde cedo demos conta que havia matéria para um novo blog dedicado Chaves antiga. Nasceu o Chaves antiga, primeiro a duas mãos e feito com a colaboração dos únicos blogs que então existiam sobre a cidade de Chaves. O Blog Chaves e o Blog do Beto ao qual mais tarde se juntaria a colaboração também do Blog da Rua Nove. Hoje o blog Chaves Antiga tem vida própria e tenho a certeza que é uma mais valia para a história antiga de Chaves. Mais tarde, e a pedido de muitas famílias, este blog começou a dedicar os fins-de-semana às aldeias de Chaves. Das 150 aldeias do concelho, apenas duas ou três ainda nunca passaram por aqui ou não lhe foi feita uma referência, mas já foi prometido, que todas passarão por aqui e as que faltam, em breve estarão aqui. Outras houve, como o Cambedo da Raia, que mereceram um destaque especial e até deram origem a um novo blog, o Cambedo Maquis, pois os acontecimentos do Cambedo e principalmente o povo do Cambedo merecem uma justa homenagem pelo seu sofrimento, que oficialmente, sempre lhe foi negado e até desprezado. O Cambedo tem um cantinho especial e sempre o terá neste blog e no blog Cambedo Maquis. E quanto a blogs e aldeias, seria injusto se não referisse aqui o pessoal de Valdanta, os seus blogs e novos amigos que fizemos e que trouxemos de novo a sofrer a nossa interioridade, como o blog Valdanta, o Vale de Anta e o nosso amigo Tupamaro. Uma palavra também para Águas Frias e para os seus professores Valbom e Rio Livre. Uma palavra para os blogs de  Segirei, Paradela, Eiras, Outeiro Seco, Castelões, Faiões, entre outros e para os blogs temáticos como o Cancelas e o Chaminés. Uma palavra também para todos os companheiros de viagem e os seus blogs, como o Humberto Serra (Blogoflavia), o 5 de Maio e outros do Carlos Silva, os Olhares do Dinis Ponteira, o Terçolho do João Madureira e o Blog da Rua Nove.

 

.

imagem de arquivo

.


Aqui pelo blog Chaves, também tenho tentado dia-a-dia melhorar a oferta e se alguns projectos ficaram pelo caminho por falta de colaboração e de tempo, outros há que ganharam pernas para andar. Saliento desde já e agradeço a colaboração dos autores dos posts das sextas-feiras dos “discursos sobre a cidade”. Agradeço ao JCB (José Carlos Barros) à Fe Alvarez, ao Gil Santos, ao Tupamaro e ao Blog da Rua Nove pela sua precisosa colaboração. Obrigado a todos por fazerem também possível este blog e em especial à Fe e ao Gil, pois aceitaram colaborar com este blog sem sequer (ainda hoje) nos conhecermos pessoalmente.

 

Os olhares de outros às terças–feiras vão continuar também por aqui e, brevemente, às quintas-feiras, teremos “coleccionismo flaviense”, com a colaboração do Blog da Rua Nove,  em que por aqui passará tudo que é medalhas, selos, pins, cédulas, e tudo que tenha a ver com coleccionismo made in Chaves ou com referência a Chaves.

 

Ao nível das notícias cá da terrinha, bem que gostava que este blog fosse mais activo, mas se não o faço, é por falta de meios e também por falta de informação, mas mesmo assim, vou tentado deixar por aqui o que é mais importante.

 .


 

.


E para finalizar, fica o principal agradecimento e que vai para todos vós que estais aí desse lado do ecrã (principalmente aos que estão fora da terrinha) e, todos os dias me aturais, quer nas minhas alegrias, quer nos meus devaneios, quer nos meus desabafos e até defeitos. Obrigado a todos vós, com um agradecimento especial àqueles que deixam por aqui os seus comentários ou me contactam por mail, pois a vossa opinião é sempre importante para a feitura e continuação deste blog.

 

E por último, deixar aqui também um lamento:

 

Tudo o que faço neste blog é a pensar em todos os flavienses ausentes e presentes que, como eu, são flavienses de alma e coração, naturais (nascidos em Chaves) ou não. Chaves é a minha casa. Foi aqui que nasci, que vivo e sempre vivi, que fiz a faço amigos, que constitui família e que pela certa serei sepultado. Se elogio e mostro Chaves, naquilo que tem de bom e melhor, também às vezes deixo por aqui os meus sonhos, mas não esqueço nem posso ignorar aquilo que me dói nesta cidade, os seus defeitos, o desprezo por ela e como muitas vezes é maltratada. Se o faço, é por uma cidade e concelho que, acredito, pode ser melhor porque tem todas as condições para isso. Mas nem todos o entendem assim e não gostam que eu me meta nesses assuntos, porque acham (penso eu) que não tenho esse direito. Sempre me guiei pelo lema de que a minha liberdade termina onde começa a liberdade dos outros. Penso que nunca invadi liberdade alheia e se por aqui deixo o meu pensar pessoal sobre a cidade, sempre deixei os comentários abertos para poderem mostrar opinião contrária sobre a cidade. No entanto há a questão política. É inevitável este blog não ser político, porque afinal é da vida de uma cidade que trata. Todos somos um animal político, quer queiramos ou não, mas uma coisa é ser político e outra é a política partidária em que há uma disciplina e um dever para com o partido a que se pertence. Este blog NÃO É nem nunca foi PARTIDÁRIO. É pessoal, por Chaves e de um flaviense que apenas gosta e ama Chaves e que a mostra tal como ela é, com as suas virtudes, mas também com os seus defeitos. Se há quem não entenda assim, paciência, pois eu vou continuar como até aqui. Recebo e registo os recados, mas também tenho o feedback suficiente para continuar a caminho das 500.000 visitas a fazer o melhor que posso e sei. Lamento desiludir os que não gostam das verdades, mas os flavienses de alma e coração que estão do outro lado deste ecrã, merecem o meu sacrifício diário pela cidade de Chaves, uma cidade que amamos e que queremos para ela e dela sempre o melhor e concerteza que respeitam a minha opinião, tal como eu respeito a deles (mesmo que não estejamos de acordo).

 .


 

.


E por hoje é tudo. Desculpem tantas palavras, mas às vezes são necessárias. Ficam algumas imagens, um mosaico daquilo que melhor vai passando por aqui e algumas imagens soltas da nossa cidade e concelho rural (de arquivo). Algumas coisas do que temos de melhor e das nossas maravilha flavienses e rurais.

 

Mais uma vez, obrigado a todos pelas 400.000 visitas. A partir de agora, só de 100.000 em 100.000 visitas é que virei aqui fazer o balanço deste blog, entretanto, para qualquer coisinha, usem e abusem dos comentários e do meu mail (proart@net.sapo.pt) que estará sempre aberto para receber as vossas opiniões e também as vossas criticas e, lembrem-se sempre, que este blog é feito para vós que estais aí desse lado, principalmente para os flavienses ausentes.

 

Até amanhã e obrigado a todos pelas vossas visitas.

 

28 comentários

Comentar post

Pág. 1/2