Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves - Ponte Romana - que futuro?

16.04.08 | Fer.Ribeiro


.

Para os que estão cá pela terrinha, já não são novidade as obras que decorrem na Ponte Romana, mas para os que estão longe, concerteza que gostarão de saber das novidades, das novas obras e do diz-que-diz a respeito das mesmas.

 

Pela minha parte hoje deixo-vos algumas fotos das obras da Ponte Romana e uma vista privilegiada desde a mesma, a nossa Top Model, quanto ao texto, hoje ficamos com um que foi publicado na imprensa local da última edição e que é assinado por um casal de professores que habitam no coração da Madalena. Texto que (claro) também subscrevo.

 

.

.


Ponte Romana – que futuro?

 

Numa altura em que decorrem importantes obras na Ponte Romana, é normal e desejável que o assunto desperte a curiosidade dos flavienses e seja amplamente debatido.

 

Respeitamos a diferença de opiniões quanto à utilização da Velha ponte, mas defendemos que ela deva ser pedonal a tempo inteiro, salvaguardando, apenas, situações de emergência.

 

Como utilizadores diários da Ponte Romana, colocam-se-nos duas grandes preocupações: a primeira, é a da conservação e prende-se com o dever, que a todos nos assiste, de a entregarmos, em bom estado, às gerações futuras; a segunda prende-se com o facto de defendermos que já é tempo de Chaves possuir zonas pedonais que dêem à cidade um ar mais urbano e que possibilite desfrutar, tranquilamente, do seu património. Outras vilas e cidades, onde esta situação já se verifica, dão-nos, ao que parece, um exemplo de sucesso para quem passeia e para quem vende.

.


.

 

Temos ouvido a opinião de moradores das duas freguesias, porque a Ponte pertence a toda a cidade. São, sobretudo, os comerciantes da Madalena e alguns, da outra margem, quem defende a ponte rodoviária. É claro que não queremos o seu prejuízo, tanto mais que somos bem conhecidos de uns e amigos de outros. No entanto, a Madalena é muito vasta e a Ponte Romana utilizada por muitos moradores que, para além de não terem carro próprio, têm crianças e pessoas de idade que reclamam mais segurança. Outros, têm direito a conviver com o rio, numa perspectiva ecológica que o local possibilita e a vida actual recomenda.

 

Não podemos deixar passar a altura, sem colocar algumas questões que poderão ter consequências no comércio e na população em geral. Primeira questão – o problema comercial não passará, antes, pela modernização (adequada ao local) e requalificação dos espaços? Segunda questão – o estado degradado em que se encontra a parte central da Madalena e a indisciplina no trânsito e no estacionamento cativará alguém para nele comprar ou passear? Terceira questão – o verdadeiro perigo não irá ser a construção de uma nova ponte que levará pessoas directamente para o Caneiro, desviando-as do centro do bairro?

 

A par destas três questões convém lembrar que a experiência da Ponte Romana, apenas pedonal, nunca se viveu: é diferente estar fechada ao trânsito com obras, ou estar fechada ao trânsito como local aprazível, com bom piso e, porque não, com alguma dinâmica e animação.

.


.

 

Por último, em nosso entender, o que revitalizaria a Madalena, seria o aproveitamento do que ainda possui e que, numa breve análise, se traduz em cinco locais que passamos a descrever. Jardim Público: onde fosse criada uma dinâmica própria para atrair pessoas. Parque infantil: com dimensão e oferta de divertimentos, para rivalizar com o do Tabulado, aproveitando as sombras existentes. Calçada Romana: desenterrando-a e tornando-a visível, agora com maior oportunidade, na sequência do Balneário Romano e da Ponte Romana. Três Largos – bem requalificados na manutenção dos seus pormenores arquitectónicos e acrescentados com bancos, árvores e uma ou outra esplanada. E sempre, sempre, varandas e janelas com flores.

 

Desta forma, acreditamos que, a médio prazo, poderia a Margem Esquerda do Tâmega, ter outra qualidade de vida e tirar partido do que a cidade lhe oferece: a Ponte Romana de Chaves.

 

Maria José Fillol Guimarães

José António Lopes

 

E por hoje é tudo, amanhã cá estarei de novo com mais cidade de Chaves.

 

Até amanhã!

 

3 comentários

Comentar post