Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Discursos Sobre a Cidade

18.04.08 | Fer.Ribeiro


.

TEXTO DE TUPAMARO

 


B I M I L É N I O

 

 

 

A falha tectónica vertical Tamegana deu de si.

A crista central atlântica levantou-se.

Uma onda solitária  de altura das Alturas de Barroso correu em direcção à Afurada. Furou vertiginosamente pelo «cañon» do Douro. Na Livração embateu no sinal de trânsito obrigatório à esquerda para Boticas. Passado Cavês, a Cabreira encostou-se ao Minhéu, empurrada pela de Barroso com o solavanco do Larouco; o Alvão fechou com a Padrela, expandindo-se o Brunheiro até Mairos.

Nesse arco de volta perfeita se afundou a Normandia Tamegana.

As elevações montanhosas ficaram todas com igual altitude. E, nelas, todos os povoados submersos foram recriados em quarteirões ajardinados.

Em Vilarelho instalou-se  um complexo industrial onde se preparam os melhores cosméticos de embelezamento, rejuvenescimento jamais vistos tirando partido das milagrosas águas aí nascentes.

Em Vidago, o maior Centro de Congressos e de Tratamento do Reumático do Continente Euro-Asiático.

Em Nogueira da Montanha, até  Cimo de Vila da Castanheira, o maior batatal do mundo para produção de energia «humânica», depois de cozidas as batatas e a acompanhar um polbo galego e umas couves pencas, bem regadinhas com azeite da “Terra Quente” daí ao lado, e com um Tinto de Balcerdeira ou um Branco de Arcossó ou de Anelhe, ao Almoço.

De Curalha, Samaiões,  Faiões, Stº Estêvão e Vila Verde a Horta mais deliciosa da Comunidade Europeia, com os seus melões e melancias, à sobremesa.

De Póvoa de Agrações, Moreiras, S.Julião de Montenegro, Oucidres e S. Vicente o mais frondoso Souto do Hemisfério Norte, com uma réplica formosa, em Seara-Velha, Calvão, Bustelo e Castelões, e cujo fruto tem o condão de tornar os Invernos quentes com Magustos concorridos mundialmente.

Da Cela, Eiras, Águas Frias, Curral de Vacas e Paradela, exporta-se para a Região, para a Província e para a “Sê-é” uma secreta Bagaceira de Merogos a competir, em paladar, com a pomada secretíssima e aloirada dos Petins da Granginha. Desta, diz a Lenda ter sido inventada pelos Druidas fundadores do Povoado, no ano 777 aC, e com a qual culminavam as celebrações aos seus deuses, muito especialmente na IMBOLOC - Festa de exaltação do Fogo e da Água Purificadora (pudera!- com aquela graduação e paladar!). (Lá pela Granginha, ainda restam amostras raras, tão raras como os cedros do Líbano, dos Olmos, dos Negrilhos, das Carvalhas e Carvalheiras e dos Carvalhos que por lá abundavam, e os Celtas veneravam. Uma Tribo, que se tornou célebre também pela curiosidade de habitar uma clareira (chamavam-lhe L A I LEIRA) no centro de frondosa e protectora floresta de Negrilhos, ficou conhecida pelo sobrenome de « Murilhos», dos quais ainda por lá vagueia nobre descendência).

As Barcas com que outrora os camponeses e jeireiros atravessavam na Fonte do Leite ou na «Freciana» para cuidar dos campos da margem de cá ou da margem de lá, foram recuperadas e modernizadas em ultra-modernas gôndolas, tão bem aproveitadas para um saltar de terra em terra pelos magotes de Turistas que inundam todos os Povoados na busca de todas as balsâmicas, energéticas, afrodisíacas, regaladoras comidas, bebidas, paisagens, monumentos, rituais, trocadilhos de conversas, modos de falar, de olhar, de vestir, de pentear e … até de ouvir um CAR…HO dito como deve ser!   - Não fosse o Carvalho a árvore de excelência para os Celtas!

 

 

2074!

 

No dia 1 de Janeiro, através dos microfones da Rádio Larouco e da Monterrey, das Câmaras da TêVê Gaélica, das Câmaras de Vigilância, das Câmaras Ocultas, Escuras e Claras, (das de Gás, não!) e desde os Estúdios da Emissora Territorial sediada na Câmara Municipal situada na Praça do Camões de Nantes com estátua de homenagem a um Afonso de Bragança, no edifício dos Paços do Concelho, o Princeps Senatus da NORMANDIA TAMEGANA anuncia o Programa de Comemorações do Bimilénio da eleição de AQUAE  FLAVIAE A MUNICÍPIO.

O Lustro que então se inicia ilustrará o trajecto histórico e ilustre da «Nobre Cidade» de CHAVES  - hoje EUROCIDADE CHAVERINÉIA.

As matrizes Celtas, Romanas e Mouriscas perpetuam-se em toda a Região.

Luxemburgo, Paris, Valladolid, Burgos, Toronto, Ludlow e Newark, S. Paulo. Malange, ou Honolulu, lembram e celebram a Transmontana.

Lisboa, Bruxelas e Estrasburgo dela se fazem esquecidas e não lembradas.

Má consciência.

O Noroeste Peninsular foi o último Território a ser conquistado pelos poderosos exércitos Romanos.

Não pela distância, mas, antes, pela surpreendente resistência dos seus Povos  -  transportavam na sua identidade «a força do Javali e a sabedoria do Unicórnio»!

 

Os Romanos admiravam os inimigos mais valentes e usavam o “”Gloria Victis”!

Cipião, em sinal de respeito e admiração pelo Cartaginês   - crescido e educado na Hispânia   - adoptou o apelido de «O Africano». Mais tarde, perante a bravura dos resistentes de Numância, acrescentou-se «o Numantino».

Já então deram conta, os Romanos, da importância “”Estratégica” dessa Veiga amparada pelo Abrunheiro, vigiada pelos contrafortes do Cambedo, do Facho e de Ardãos. Aí assentaram arraiais!

Seduzidos, encantados, bem instalados, “mais-que-bem” recuperados das batalhas com os “comes-e-bebes” locais; com a garantia de as suas quadrigas não ultrapassarem o limite de velocidade após as noitadas em honra de Baco (os romanos eram uns «bacanos», e, por tudo e por nada, faziam uns bacanais!), tão subtilmente disfarçadas com umas taças finais das águas das Caldas, pudera se por aí não se arrimassem!

E conceberam uma “civitas” em miniatura à semelhança da «sua Cidade», da sua Capital.

E não demoraram a elevar o Povoado à categoria de Município.

 

Foi no Ano 79 dC.!!!

 

2079!

Neste Lustro Comemorativo   -2074-2079-  serão postos a descoberto os 18 Arcos da TOP Model; os Balneários Romanos; os Aquedutos; o que resta das Muralhas e do Teatro. E a calçada da Ponte colocada em lájea romana;

As construções legalmente clandestinas, espalhadas pela Veiga e por tudo quanto é sítio, serão destruídas; os “Castros” serão limpos e recuperados; os Locais com interesse arqueológico serão respeitados, preservados e estatuídos como Centro de Estudo e Investigação; os Nichos, os Cruzeiros, os menires, as antas, as vias romanas, serão limpos, assinalados e ajardinados; os «mamarrachos» feitos em pó.

Os “Fortes” e as Muralhas ficarão à vista de toda a gente!

O Miradouro de S. Lourenço será lindamente ajardinado e oferecerá condições de repouso e de cómodas vistas desse deslumbrante território que nunca cansa olhar!

Em Nantes será construída uma Praça em cujo centro se erguerá uma estátua a Luís Vaz e da qual irradiarão DEZ avenidas, cada qual, em cada esquina, com nome apelativo a cada “Canto” da «Rambóia Lusitana».

Serão inventariadas as «CEGONHAS ou BALDÕES», e os Poços Mouriscos, bem tratadas e preservadas.

As Fontes, os Lavadouros, os Moinhos, todos limpos, recuperados e alindados.

Em todas as Aldeias construída será uma Casa de Convívio e de Cultura; em todas as Freguesias um Multimeios, um Pavilhão Polidesportivo.

Todos os Regatos e Ribeiras ficarão limpos, despoluídos, com águas cristalinas, povoados por Trutas, Escalos, Bogas, Enguias e Lontras, vigiados por inúmera passarada, e com as margens arranjadas, convidativas ao recreio e ao lazer.

Será elaborado um Calendário no qual «caibam» todas as manifestações Tradicionais das nossas Aldeias; onde todas as Associações Recreativas e Culturais tenham data para a sua Manifestação.

As Vias Rápidas a Unir Aquae Flaviae a Montalegre, Boticas, Vila Pouca, Valpaços, Vinhais e Verin serão mais Avenidas ajardinadas, de passeio  - para lá e para cá  -   ou de passo rápido para um abraço de amizade e de negócio com os nossos vizinhos-amigos. Levarão o nome de Notáveis Alto-Tameganos: Chaves-Montalegre, Artur Maria Afonso; Chaves-Boticas, Nadir Afonso; Chaves Vila Pouca Bento Roma; Chaves Valpaços, Edgar Carneiro; Chaves-Vinhais, capitão Castro; Chaves-Verin, Ribeiro de Carvalho,(p.ex.).

Aos autarcas concelhios (municipais e paroquiais) será distribuído transporte individual trifíbio, a fim de não terem desculpa de falta de tempo e de transporte para irem aonde já deviam ter ido … e resolverem.

Uma Universidade será instalada. As Faculdades ficarão equidistantes e, assim, situadas com justiça nas Freguesias.

Um Hospital Central, amplo, ultra-moderno, tão dotado que até Médicos, Enfermeiros, Técnicos de Saúde e tanto outro Pessoal se engaliarão para ver quais deles merece a honra de aqui trabalhar. Até a juniores, seniores e jubilados vai dar vontade de ter uma dorzita aqui ou uma impressão ali, só para ganharem mais um pretexto para o seu orgulho e gabanço de Normando-Tameganos!

Os nossos Comerciantes, Industriais e outros Empresários criarão uma Fundação com propósitos de apoiar os nossos Artesãos, os nossos Inventores, os nossos Investigadores, os nossos Atletas, os nossos Artistas.

O Novo MUSEU terá a área de um Campo de Futebol e o Campo de Futebol será o melhor Polidesportivo do mundo.

O nosso ministério do Turismo estará permanentemente disponível, com Guias e roteiros que deixarão derretidos de encantamento os Visitantes.

O Centro de Patinagem e de treino de Skate será arrasado! Nesse lugar (res)surgirá um JARDIM do Éden, e em cujo centro erguida será uma estátua tamanha como a da Liberdade, lá das terras do Tio Sam, em homenagem às Mulheres Normando-Tameganas!

Nesta época, nas nossas pós-modernas Salas de Espectáculos, realizar-se-ão os mais famosos e prestigiados Festivais Mundiais de Teatro e Cinema  -  e os nossos Artistas subirão ao cume da fama.

A Fundação Nadir Afonso terá Exposições permanentes dos Artistas Normando – Tameganos e concederá acolhimento a Exposições de outros génios, nacionais ou estrangeiros.

As Nações e as Cidades (comunidades) onde mais se concentraram os que daqui partiram «a salto», com «carta de chamada» ou Passaporte de Turista - faz-de-conta terão um monumento em agradecimento e honra pelo acolhimento que lhes deram.

A vitela da Pastoria, a carqueja de Seara-Velha, o cordeiro de Castelões, os pimentos do Cambedo, as malaguetas de Valdanta, a batata da Castanheira, a castanha de Montenegro, as nozes de Vidago, a cebola de Loivos, os Pastéis de Chaves, a Couve Penca de todas as nossas Hortas, as melancias e os melões das nossas Lamas e Ribeiras, os nossos sacramentados CHÍCHARROS, o Pão de Faiões, o Barro preto de Nantes, o Folar, o Fumeiro, o Presunto e a Pinga de qualquer ALDEIA, a Jeropiga de qualquer adega, estarão Certificadas e com patente registada.

E até o Polbo Galego melhor sabor terá comido em CHAVES, combinado com as nossas Batatas, as nossas Couves, o nosso azeite, o nosso pão centeio. a nossa pinga e a companhia dos nossos amigos.

As comemorações deste bimilénio serão tão brilhantes e consoladoras que, quer residentes, quer visitantes, todos farão votos para que o próximo milénio comece a ser comemorado com igual inspiração já no ano bissexto seguinte!

 

Nesse Ano de 2079 será criada e reconhecida a

 

REGIÃO   AUTÓNOMA   DA   NORMANDIA   TAMEGANA!

 

E toda a ALTA-TAMEGÂNIA proclamada será Património Mundial da Humanidade!

3 comentários

Comentar post