Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

11
Mai08

Ventuzelos - Chaves - Portugal

 

.

 

 

Ontem estivemos em Vilas Boas e, um dos caminhos de regresso a Chaves, pode passar por Ventuzelos, a nossa aldeia de hoje. Aliás, e para quem gosta de boas vistas de paisagens naturais, com muito verde e montanhas, recomendo mesmo um passeio por esses lados no qual Ventuzelos e o Monte de Stª Bárbara estarão obrigatoriamente incluídos.

.

 

.

 

Ventuzelos é mais uma daquelas aldeias que não costuma ficar na passagem dos nossos itinerários principais e assim, suponho, que será desconhecida da maioria dos flavienses. Pois não sabem o que perdem. A aldeia é interessante, com um núcleo bem definido de casario tradicional em granito e as inevitáveis construções (poucas) mais recentes na periferia, mas sobretudo, Ventuzelos goza de uma localização privilegiada em termos de vistas.

.

 

.

 

Da própria aldeia avista-se todo o vale de Chaves até às montanhas de Barroso e Galiza, mas se subirmos ao monte de Santa Bárbara, onde se ergue uma capelinha em honra da santa, além do vale de Chaves e das montanhas barrosas e galegas, avista-se toda a encosta até terras de Vidago e Vila Pouca de Aguiar e Boticas.

.

 

.

 

Eu tenho a mania que conheço todo o concelho, becos e caminhos, mas só há umas semanas atrás é que conheci o monte de Santa Bárbara e as suas vistas, e como flaviense é imperdoável não se conhecer aquele lugar, não só pelas vistas que se perdem, mas também por ser um lugar histórico para os flavienses e desde onde se ditou muita da história da cidade de Chaves, pois foi nas encostas deste monte que em 1809 esteve acampado o General Silveira durante as Invasões Francesas, de onde depois partiu com as suas tropas para reconquistar Chaves.

.

 

.

 

Ao que parece e estando no monte de Santa Bárbara compreende-se o porque, era um local privilegiado também para as estadias de militares e outras lutas. Em Março de 1823, foi palco das lutas entre miguelistas e liberais onde o 2° Conde de Amarante, depois Marquês de Chaves, combateu a divisão liberal comandada pelo general Luís do Rego, tendo esta divisão sido obrigada a abandonar o campo de batalha como vencida.

.

 

.

 

Surpreende-me ou talvez nem tanto, que em vez da capelinha de Santa Bárbara não tivessem construído por lá um castelo. Mas consta, embora praticamente não haja vestígios, que existiu um castro.

.

 

.

 

Mas dizia eu que talvez não me surpreendesse muito que no monte estivesse a Capelinha de Santa Bárbara, pois segundo a minha vivência dos episódios de trovoadas em Chaves, muitas delas atravessam precisamente o Monte de Santa Bárbara em direcção a Chaves. É um fenómeno que até tem explicação científica e os homens das electricidades até já mo explicaram, mas lamento, não aprendi muito bem a lição. Sou testemunha que muitas trovoadas vêm daqueles lados, por isso a capelinha de Santa Bárbara está lá muito bem e com as suas boas vistas que alcança desde os 775 metros de altitude em que está implantada.

.

 

.

 

O Orago da aldeia é no entanto o Santo Amaro cuja adoração é feita na capela da aldeia. Quanto à festa, bem, esqueci-me de perguntar, mas consultando alguma documentação dispersa dos meus arquivos das festas e romarias aparece-me o 4 de Dezembro com festa em honra a Santa Bárbara e o 15 de Janeiro como festa em honra de Santo Amaro. Estou em crer que nem uma nem outra se festejam nos tempos actuais, pois a verdadeira festa da aldeia é em Agosto, quando as ruas se enchem de gente e reúnem os filhos de Ventuzelos dispersos por esse mundo fora, pois Ventuzelos não foge à regra da emigração, de caminhar para a desertificação, do envelhecimento da população e da baixa taxa de natividade.

.

 

.

 

Pese embora aquilo que disse atrás, sempre que fui a Ventuzelos encontrei crianças a brincar na rua, o que hoje em dia já é raro. Segundo apurei a aldeia tem 9 crianças em idade escolar, número insuficiente para ter escola e por isso são transportadas diariamente para a Escola do Caneiro em Chaves.

.

 

.

 

Mas vamos aos números e ao oficial da aldeia de Ventuzelos.

 

Ventuzelos fica a 10 quilómetros de Chaves e pertence à freguesia de São Pedro de Agostém. Segundo o Censos 2001 possuía nessa data 134 pessoas, das quais 83 pessoas tinham entre 20 e 64 anos, 22 mais de 65 anos e 29 com menos de 20 anos dos quais 9 tinham menos de 10 anos. 44 pessoas estavam empregadas na altura.

.

 

.

 

Quanto à actividade das pessoas da aldeia, tirando as que estudam, estão reformadas ou empregadas fora de Ventuzelos, há os resistentes que vivem da agricultura (centeio e batata), do gado (principalmente ovelhas) e da floresta, mas tudo a escala pequena, pois os braços mais jovens para o trabalho, já há muito que partiram à procura de melhor vida.  

.

 

.

 

E por hoje é tudo, amanhã abrirei esta janela de novo para a cidade e talvez com um passeio pela Ponte Romana e pelo Jardim Público, para variar, pois são os dois temas actuais em debate na cidade.

 

Até amanhã!

19 comentários

Comentar post

Pág. 2/2

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

Olhares de sempre

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • JM Naturopatia

      Fantástico trabalho de recolha e divulgação de um ...

    • Anónimo

      gostaria muito de um dia poder conhecer. meu pai v...

    • Anónimo

      Não me admiraria se esta fotografia fosse «roubada...

    • Anónimo

      Sou alfacinha de gema, mas gosto de vos ler; olham...

    • Joaquim Ferreira

      Tantos anos passados, tantos sonhos por realizar.Q...