Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves Rural - Granjinha

23.09.06 | Fer.Ribeiro
ganjinha-bl.jpg

E porque hoje é sábado, é dia de mais uma aldeia, hoje vamos até à Granjinha.

Descobri a Granjinha há cerca de 20 anos. Fui então, como hoje, à procura da capela românica (do Séc. XIII) já então para a fotografar, não para mim, mas a pedido de alguém. Desde logo o nome Granjinha apresentava-se como simpático e despertava a curiosidade da descoberta, ainda para mais com uma tão falada capela românica.

Então, tal como hoje, mal comecei a entrar na Granjinha, comecei também a ficar agradavelmente surpreendido. Não me parecia, e ainda hoje não me parece, ser possível existir um lugar assim a apenas umas centenas de metros do centro da cidade. A entrada na aldeia (núcleo) faz-se por uma rua estreita, curva e sombria, entalada por altos muros de granito por onde as heras caem. As poucas casas do núcleo (meia-dúzia), de granito à vista, as varandas de madeira e restante arquitectura, a paz, o abundante verde da vegetação e as suas sombras, parecem transportar-nos para um outro tempo, com um misto de paraíso e mistério, no mais longínquo recanto isolado no encontro, algures, de duas montanhas.

Então, tal como hoje, fui à Granjinha para fotografar a capela e perdi-me no encanto daquela rua de entrada, que por pouco não me faziam esquecer o objectivo de fotografar a capela.

Claro que então, tal como hoje, fotografei (dentro das possibilidades) a capela, mas o que realmente então, tal como hoje, me ficou registado na memória foi a rua de entrada.

Talvez por isso, por nos perdermos no encanto da rua, é que a localização da capela foi devidamente e duplamente sinalizada, hoje, até com direito a painel de azulejos na parede de uma construção recentemente reconstruída, onde a capela é orgulhosamente reproduzida, com seta de indicação e legenda - “ Capela da Granginha”. Até neste pequeno pormenor somos transportados para outro tempo, num tempo qualquer em que o j de Granjinha se escrevia com g.

Claro que, como o post só tem uma fotografia, a capela fica para uma segunda oportunidade, e que, dada (também) a sua beleza e importância terá direito ao seu próprio post.

E agora a ficha técnica da Granjinha: Pertence à freguesia da Valdanta e fica a 3 km do centro da cidade. O Acesso à povoação é feito a partir de Casas dos Montes, pelo Caminho Municipal 1057 em asfalto ou (para os amantes do todo-o-terreno) a partir do bairro da Várzea, em caminho de terra batida.

Até amanhã, numa outra aldeia do concelho.


2 comentários

Comentar post