Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Mais um minuto de Ponte Romana sem Carros

07.07.08 | Fer.Ribeiro

.

 

 

Concorda que a Ponte Romana passe a ter utilização unicamente pedonal?

 

Foi esta a questão que se levantou (online) há pouco mais  de um mês atrás sobre o futuro da Ponte Romana de Chaves, a nossa Top Model, uma questão que até ao preciso momento obteve 5043 respostas, das quais 82% dizem sim a uma utilização unicamente pedonal, 17%, dizem não e,  1 % não tem opinião. Seria caso para dizer que a questão está resolvida e o povo já decidiu…seria se a lógica da vontade popular tivesse algum efeito sobre quem decide o futuro da ponte, mas nem sempre a lógica da vontade popular manda na decisão de quem decide e outros “valores” se lhe sobrepõem.

 

Da parte da blogosfera flaviense aderente fizemos tudo para que todos pudessem expressar a sua opinião livremente sobre o futuro da nossa top model Ponte Romana, quer na votação online que esteve disponível até ao dia de hoje, quer nas opiniões e comentários que foram deixando ao longo de pouco mais de um mês na mesma plataforma da votação online.

 

Esta votação vale o que vale, mas ficou bem expressa qual a opinião dos flavienses online (e não só) quanto a uma utilização exclusivamente pedonal ou não, bem como se trouxe a debate outro problema que desde início se misturou e confundiu com a pedonização da Ponte Romana, ou seja o problema do comércio tradicional, em particular o da Madalena e digo confundiu e misturou, porque todos sabemos que o problema do comércio tradicional na Madalena não passa pela Ponte Romana ter ou não trânsito automóvel, já o mesmo não acontece com a ponte, pois todos sabemos (também) que o trânsito automóvel em nada contribui para a preservação e dignificação de um monumento nacional com quase 2000 anos de existência. Claro que todos queremos que estes 2000 anos se prolonguem por muitos mais anos e,  pondo os interesses particulares ou de uma minoria de parte, todos sabemos que só há uma maneira, ou melhor – uma das maneiras de prolongar a vida da nossa Top Model e que passa precisamente pela sua pedonização.

 

Para a história da cidade e da Ponte Romana, e para todo o sempre,  ficará registado quem a construiu, mas também quem teve a coragem de a tornar exclusivamente pedonal. Poderá ser agora, pois há todas as condições para que isso aconteça, principalmente porque tal decisão é apoiada pela vontade da maioria da população, mas também poderá não acontecer e os responsáveis por tal decisão virem num futuro próximo a ser responsabilizados ou penalizados por uma decisão que foi tomada contra a vontade popular, com o risco serem acusados também de mal gastar dinheiros públicos em pressupostos benefícios de um monumento nacional, do qual não se tirou qualquer benefício, antes pelo contrário, pois com a abolição de passeios na ponte, agora está em risco a circulação pedonal (a manter-se com automóveis).

 

Estou em crer que o bom senso e a vontade popular se vai sobrepor a outros interesses, a não ser assim, mais uma vez teremos pena.

 

Uma palavra também para os comerciantes tradicionais da Madalena e em geral de toda a cidade, pois é minha opinião e também da maioria da população (e que afinal de contas são os clientes desse comércio tradicional) que existe um problema real no seu seio, mas que esse mesmo problema nada tem a ver com a Ponte Romana, pois quer ela tenha ou não trânsito automóvel, o seu problema vai continuar. Os tempos mudaram e a venda a granel ou de caderneta já há muito que lá vai. Modernização precisa-se, qualidade também e o cliente de hoje é comodista, prático e com falta de tempo e, prefere fazer as suas compras num todo-em-um, do que andar de capela a capela a pedir isto e aquilo e ainda para mais quando não tem sítio para parar o seu carro. Estamos no século XXI, onde todas as políticas (infelizmente) apontam para a concentração, para os grandes capitais, para os monopólios, para os grupos, para os franchising e outros palavrões do género. Pergunto eu o que fez a Associação Comercial  de Chaves para a modernização do seu comércio ou melhor, contra a abertura das grandes superfícies em Chaves, que essas sim são em muito responsáveis pela “falência” do comércio tradicional e não se queixam de falta de clientes. Perguntem-se os próprios comerciantes porque tal acontece!?

 

É tempo de deixar a hipocrisia de lado e olhar para os reais problemas da cidade e eles não passam pela Ponte Romana com ou sem carros. Os problemas estão à vista de todos, só não os vê, quem não quer.

 

Hoje é o último dia da votação online sobre o futuro da ponte. Votação que vale o que vale, mas que expressa a opinião do pessoal que anda nestas coisas da net. Assim, se ainda não votou, aproveite este último dia para votação, pois amanhã, dia da cidade de Chaves esta votação encerrará.

 

Até amanhã, dia da cidade de Chaves, apenas isso, pois quanto a festas … estão como o comércio tradicional, nem pompa nem circunstância, mas vai haver foguetes no ar, ou seja, barulho!

 

Até amanhã, com outro olhar sobre Chaves!