Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Uma rotunda no meio de um cruzamento - Chaves - Portugal

16.07.08 | Fer.Ribeiro

 

.

 

 

Há situações que por mais que as tente compreender não as compreendo e uma delas prende-se precisamente com o local que hoje vos deixo em imagem e com os acidentes que nele acontecem, para além das dores de cabeça que provoca todas as manhãs para quem vem da EN 314 para a cidade.

 

Há mais de vinte anos que passo por este local diariamente e pessoalmente já assisti pelo menos a uma dezena de acidentes ou colisões entre veículos. Mas é sabido por todos que neste local rara é a semana em que não há um ou até mais acidentes, e sempre ma mesma forma, sendo o último, uma cópia do anterior.

 

Na realidade, neste local existe um cruzamento que tem uma rotunda no meio. Para os flavienses que conhecem o local sabem que a estrada de Valpaços tem prioridade sobre a estrada de Carrazedo, o problema, para além da sinalização confusa e até da falta de visibilidade (tudo para quem vem da estrada da Carrazedo) está nas pessoas que não conhecem o local e que quando chegam à rotunda, a entendem como tal, ou seja, que depois de estar dentro dela, entendem que têm prioridade sobre a estrada de Valpaços. Já sei que existe lá um STOP, por sinal com localização que também deixa muito a desejar, pois além de estar misturado com outras placas de trânsito indicativas, está a meu ver alto demais e só é visível já em cima da rotunda, por convém não esquecer que antes da rotunda há uma curva para se poder entrar nela.

 

.

 

.

 

Não tenho dados de quantos acidentes há por ano neste local, pois os únicos dados disponíveis e públicos que existem, só referem os acidentes em que há mortes e feridos graves, mas entre acidentes e sustos de quem por lá passa, pela certa que há umas centenas de situações anuais. Felizmente, a grande maioria resume-se a chapa batida e a danos materiais e feridos ligeiros, embora já houvesse feridos graves. Talvez seja por essa razão que nada se faz por este cruzamento, e só quando houver meia dúzia de mortes, os responsáveis resolvam fazer alguma coisa por este cruzamento. E que não digam que não tinham conhecimento, pois todas as entidades responsáveis têm conhecimento que este cruzamento é perigoso. E quem são essas entidades responsáveis!? – Comecemos pelos presidentes das juntas da Madalena, de Vilar de Nantes e de Samaiões, pois todos têm a sua quota parte de responsabilidade, pelo menos em denunciar a situação deste cruzamento. Depois passamos pela Câmara Municipal, pois tanto quanto sei, a rotunda está na EN 314 que é da responsabilidade da Câmara Municipal, além de ter o dever de denunciar a situação às Estradas de Portugal. Depois passamos para as Estradas de Portugal (Ex- JAE), pois o cruzamento envolve uma Estrada Nacional, aliás a colisão dá-se sempre em plena estrada nacional de Chaves-Valpaços e por último o Governo Civil, pois pelos relatórios policiais também tem conhecimento da perigosidade do local. Mas entre todos há uma entidade que é mais culpada que as outras, e neste caso são as Estradas de Portugal, porque há anos (dezenas) que têm conhecimento da situação, inclusive até têm projecto para o local (e que tão ansiado é por quem passa por ali todos os dias) e que visa além da construção de uma rotunda (a sério) a ligação dessa à Av. Dr. Mário Soares, ou seja, a ligação também a uma rotunda a construir junto à Adega Cooperativa, e nada faz. Penso mesmo que o dinheiro que está a ser tão mal gasto na melhoria da estrada de Chaves a Valpaços, que pouco melhora a ligação, além de não resolver uma ligação que se quer privilegiada entre as duas cidades, seria bem melhor aplicado neste cruzamento e na ligação à Adega Cooperativa. Mas quem sou eu para julgar o que está mal!? Entretanto sou um sério candidato diário a ser contemplado com um carro em cima de mim, vindo daquela roda que não é rotunda. Eu e os milhares de pessoas que por ali passam diariamente, pois este cruzamento é de passagem obrigatória para todos os que vêm de Mirandela, Valpaços, Carrazedo de Montenegro e a grande maioria das freguesias de Chaves, além de ser passagem diária para a segunda freguesia mais populosa do concelho (Vilar de Nantes). Basta ver a bicha automóvel que todas as manhãs se repete para quem tem a infelicidade de ter de utilizar a EN 314.

 

Será que só eu é que vejo isto!? Claro que não e, também todos podemos fazer alguma coisa, ou pelo menos denunciar esta situação.

 

A DECO possui um espaço online para denúncia destes casos, basta seguir o Linck que a seguir vos deixo, denunciar o caso, e a DECO encarregar-se-á do restante, pelo menos em perguntar e pressionar às entidades envolvidas, embora também conste nas suas páginas que as entidades nem sempre lhes ligam ou respondem, entre elas, está a Câmara de Chaves (consta na página online da DECO), e quem sabe se não será mesmo sobre este cruzamento!?

.

 

.

 

Não custa nada, denunciem aqui esta e outras situações onde haja acidentes em Chaves, ou onde esteja em causa a segurança rodoviária, basta seguir este linck: http://www.deco.proteste.pt/automovel/mobilidade/pontos-negros-formulario-de-denuncia-s518671.htm, pois ainda vai sendo um dos poucos aliados que o consumidor tem, ou então, chamar a TVI.

 

 

Entretanto para quem tiver curiosidade também pode ver na página online da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária quais os pontos negros da nossa cidade, onde há acidentes com feridos graves e mortes, onde o atropelamento se destaca das restantes situações. Linck aqui: http://www.ansr.pt/Default.aspx?tabid=103

 

Os dados existem. Poderia ser um bom ponto de partida para estudar quais as causas desses acidentes, principalmente os atropelamentos dentro da cidade e nas passadeiras.

 

E da minha parte por hoje vai sendo tudo, com a consciência de dever cumprido em que denunciar é preciso, enquanto é tempo.

 

Até amanhã, com o coleccionismo de temática flaviense de volta.

7 comentários

Comentar post