Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

500.000 Visitas - Obrigado!

23.09.08 | Fer.Ribeiro

 

.

 

A História do Blogue Chaves

 

Há 3 anos e 9 meses andando a passear pela NET dei de caras com os blogs Sapo. Ainda nem sabia muito bem o que era um blogue, mas a provocação de “faça o seu blog em três passos” levou-me à experiência, afinal nada tinha a perder. Lembrei o tempo em que estive fora da terrinha e em que consumia os pasquins da terra, mesmo com 15 dias de atraso, em que até os anúncios e a necrologia lia. Tudo que fosse de Chaves era para consumir. Escrevi então, que na altura da minha ausência tinha “manias” de poeta, que : “Quanto mais longe estou da minha terra, mais a minha terra me pertence”. Com manias de poeta, mas sincero e, ainda hoje acredito nisso. Então, porque não fazer um blogue daqueles que eu gostaria de ver e ler quando estive fora da terrinha, para consumo próprio, pois nunca pensei que alguém fosse ver e ler aquilo que eu deixava pelo blogue.

 

Passados uns dias, com publicações ocasionais, tremi de medo quando vi o primeiro comentário. Afinal não era só eu que via o blogue, as pessoas (anónimas) também tinham acesso a ele. Claro que a partir de aí, sem nunca deixar de fazer o blogue para mim, passei a ter mais cuidado, principalmente nos disparates que por aqui poderia deixar. Era no tempo em que o blogue tinha 4 a 5 visitas por dia em que eu o vivia com um misto de felicidade e receio, afinal havia 5 pessoas que viam aquilo que eu ia fazendo.

 

Isto aconteceu durante um mês ou dois, depois os números foram crescendo e as coisas começaram a tornar-se até sérias demais para o meu gosto, mas comecei também a dar-me conta que havia muita gente fora da terrinha que vinha aqui ao blogue matar algumas saudades e que tal como eu quando ausente, vinha aqui consumir um pouco da nossa cidade. Acresciam no entanto as minhas responsabilidades e os meus cuidados e pensei que a melhor forma de lidar com isso, era ser igual a mim próprio, deixar por aqui as minhas imagens (das que gosto) e dar liberdade em escrita aos meus pensamentos. Livres, sem pressões e sem qualquer censura àquilo que penso. Continuar a fazer um blogue para consumo próprio como se ninguém aqui viesse ver e ler.

 

É assim que tenho feito o blogue e que continuarei a fazê-lo, ou quase, pois hoje o blogue já não é só meu.

 

Os agradecimentos

 

Claro que nunca pensei que o blogue atingiria as 500.000 visitas e que se tornasse numa “obrigação” de vir aqui todos os dias com imagens e palavras, mas todas estas visitas e um montão de amigos que sei estarem desse lado do monitor desta coisa virtual que tenho à minha frente, são coisa séria, amigos verdadeiros que tal como eu são flavienses e amigos de Chaves.

 

É assim que tenho entendido o blogue e que partilho as minhas ideias com esses amigos e desde sempre, principalmente desde que este blogue começou a crescer, que quis também ter por aqui as ideias desses mesmos amigos, deixando sempre os comentários em aberto e deixando também sempre o blogue em aberto para se discutir a cidade.

 

Claro que o esquema do blogue de hoje, já nada tem a ver com o blogue inicial, mas o que mais me apraz é ter a colaboração e também as ideias daqueles que por aqui, je juntaram a este blogue e fazem os “discursos sobre a cidade”, que gentilmente aceitaram o meu convite para também eles fazerem parte deste blogue e juntarem-se a este amar da cidade.

 

Ficam então os meus agradecimentos para quem tem também enriquecido este blogue e que entre amigos de longa data do tempo de liceu, a amigos que ainda hoje não conheço pessoalmente, a outros que conheci através do blogue, têm feito os “discursos sobre a cidade” e dispensam um pouco das suas vidas (bem ocupadas algumas) para este blogue e para a cidade.

 

Agradeço assim à Fé Alvarez, ao Gil Santos, ao JCB - José Carlos Barros, ao Blog da Rua 9 e ao Tupamaro a sua colaboração preciosa nos “Discursos sobre a cidade”, para os quais deixo aqui o meu sincero obrigado e também desculpas pelos trabalhos a que vos obrigo.

 

Um agradecimento acrescido para o blog da Rua 9, que além dos discursos, tem-me salvo as quintas-feiras do coleccionismo de temática flaviense além do feedback e a colaboração quando necessária no nosso outro blog – O Chaves Antiga.

 

Também um agradecimento especial para o Beto, do Blogoflavia ou blog do Beto por ser o bloguista de serviço no Chaves Antiga e permitir-nos assim mais tempo livre para este blogue.

 

Agradecimento para todos os companheiros da blogosfera flaviense, principalmente para aqueles que têm marcado presença nos nossos encontros/convívio, onde não poderei deixar de realçar a presença do pessoal de Valdanta, com o nosso amigo Pereira, o Tupamaro, o A.Cruz, a Lai, o Vale-de-Ante. Palavra de apreço também para os blogues de Águas frias e o velho amigo prof. Celestino Chaves e Prof Valbom. Palavra de apreço também para o Dinis Ponteira, sempre presente e pronto, para o Terçolho e para o amigo que está por trás dele, amizade antiga e barrosã, amizades de sempre que dão alento a continuação deste blog. Para o 5 de Maio, Carlos Silva e para a menina Catarina do Eirense. Um abraço também para os States e para Castelões.

 

Agradecimentos também para o companheiro do Blog Cancelas e para a partilha de muitos momentos dos últimos anos, para a Tânia de Segirei e os Rochas de S.Vicente, principalmente para o “chefe” Rocha que nos brinda sempre com os seus comentários, mas também para o Salvador Silva, o F.Pizarro Bravo que desde o início do blogue nos têm brindado com os seus comentários.

 

Claro que nesta coisa dos agradecimentos corremos sempre o risco de deixar alguém de fora, alguns amigos da blogosfera flaviense, mesmo que do lado de fora da blogosfera, nos tem feito sempre companhia nos convívios (Nandinha e Nuno – não me esqueci).

 

Mas agradecer, tenho mesmo é que agradecer a todos os flavienses e visitantes deste blog que desde os quatro cantos do mundo levaram este blogue até ao bonito número das 500.000 Visitas. Obrigado a TODOS os flavienses ausentes, presentes, amigos de Chaves ou simples visitantes. Um bem-haja para todos e obrigado.

 

O futuro

 

A Deus pertence, é ditado popular, pois assim seja.

 

Claro que este blogue não será eterno. Razões haverá que um dia me farão terminar o blogue, talvez programado ou até abruptamente, talvez a médio prazo ou até brevemente. Sei que tenho um “contrato” convosco de vir aqui todos os dias, e continuarei a honrar esse contrato enquanto me for possível. Sempre à minha maneira e com a minha forma livre e sincera de pensar, independente mas sem esquecer os meus ideais defendidos neste blog por uma Chaves melhor, onde está incluído o nosso querido mundo rural, tão moribundo que está.

 

Cumprir este “contrato” diariamente não é fácil, nada fácil, mas faço-o por gosto e enquanto assim for (por gosto e possível), podeis contar comigo deste lado.

 

Claro que gostaria que desse lado fossem mais participativos nos comentários e na discussão da cidade que afinal é de todos e que nos meus momentos piores, porque a vida é assim, penso e repenso se valerá a pena continuar com o blogue. Mas o ser flaviense e a condição, que tão bem conheci, de ausente da terrinha, faz com que venha aqui todos os dias.

 

Quanto ao blogue, tinha pensado para quando atingisse as 500.000 visitas, fazer algumas alterações. Mas fui apanhado de surpresa com o acelerar do contador e essas alterações irão ser apresentadas aos poucos, quer no visual , quer na estrutura do blogue. Algumas rubricas deixarão de existir porque o próprio tema se esgotará e outras novas surgirão. Uma delas que entrará já, hoje mesmo, será a do “Repórter de Serviço”, com reportagens daquela que até um cego como Mister Magoo consegue ver. Será ele a mascote da rúbrica,  que entrará sem data determinada, dia ou hora. Será ou terá que ser oportuno com um tema do dia, uma foto, uma denúncia, ou algo de bom e diferente que aconteça na cidade, pela positiva ou negativa,  até a anedota é possível. Poderá acontecer todos os dias, mais que uma vez até, ou não acontecer. Uma imagem e um pequeno texto que ilustrará um momento do dia e assim, tentarei levar a actualidade e realidade dos dias no momento e para a qual estão todos convidados a participar, podendo envia-me as vossas fotografias e os vosso comentários e todos nós sermos afinal o “Repórter de Serviço”

 

.

.

 

Para inaugurar fica uma foto de ontem e da Semana da Mobilidade do dia sem carros, onde curiosamente uma das poucas ruas que vi fechada ao trânsito automóvel, foi uma rua onde o trânsito automóvel é proibido. As tais hipocrisias de que vos falava ontem.

 

Obrigado a todos pelas 500.000 visitas. Voltarei de novo, em maré de agradecimentos nas 600.000 visitas, isto (claro), se o blogue chegar até lá.

 

Entretanto até amanhã e se consegui ler até aqui, o meu sincero obrigado, pois nem todos têm paciência para me aturar. Obrigado.

 

Até amanhã.

44 comentários

Comentar post

Pág. 1/3