Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves Rural - Couto de Ervededo

10.09.06 | Fer.Ribeiro
couto-bl.jpg

Se há uma freguesia que visitei umas largas dezenas de vezes, foi a de Ervededo. Aliás um dos roteiros da minha “volta dos tristes” de há uns anos atrás passava obrigatoriamente por terras de Ervededo, com início na Fonte do Leite, Seara, Campinas, Couto, Agrela, Torre, Vilela Seca, Outeiro Seco e Chaves, ou vice-versa. Ainda na actualidade, às vezes dou por mim nesta volta. Mas queria eu dizer que durante todos estes anos de visitas, fui vendo o que estava à vista e pouco ou nada mais.

Na última visita ao Couto tive a sorte de me levarem além daquilo que está à vista. À entrada de uma quinta, como se estivesse à nossa espera, estava um octogenário filho da terra, num merecido repouso à sombra que o calor aconselhava, e que logo se prontificou para nos servir de cicerone para nos mostrar "coisa bonita". Ex-Presidente da Junta, conhecedor das gentes e dos sítios, foi-nos mostrar a tal “coisa bonita” para fotografar… e tinha razão. Realmente, pelo que vimos, além de bonito para fotografar, merece ser a fotografia do post de hoje.

Pois, no meio de uma quinta, a Quinta do Geraldo (ou S. Geraldo – fiquei na dúvida), encontra-se a preciosidade de uma fonte. E se a quinta já conheceu melhores dias e melhor tratamento, a fonte e a entrada da quinta mantém a sua beleza e a fonte a sua função de dar água, coisa que na maior parte das fontes antigas que conheço, já não existe.

E aqui entra o agradecimento ao nosso simpático cicerone, que no meio de tanta informação, visita e conversa, cometi o imperdoável, não lhe saber o nome, mas fica a foto em jeito de reconhecimento e agradecimento.

Quanto ao Couto, é sede da freguesia de Ervededo, fica a 15 quilómetros de Chaves, faz fronteira com a Galiza e com as freguesias de Vilarelho da Raia, Vilela Seca, Outeiro Seco, Bustelo, Sanjurge, Calvão e Soutelinho da Raia. Segundo o Censos de 2001 tem 740 indivíduos de população residente. É uma freguesia agrícola, com algum património, muita tradição, principalmente a religiosa ligada ao S.Caetano e rica em história, tendo até, outrora, sido sede de concelho. Mas isso fica para outro post, por hoje fico por aqui.

Até amanhã, de novo de regresso à urbe.