Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Discursos Sobre a Cidade - "Conversas com Zeus" - por Tupamaro

17.10.08 | Fer.Ribeiro

 

.

 

Texto de Tupamaro

 

 

 

CONVERSAS   COM   ZEUS”

 - II-

 

“””AQUI    É...”””

 

 

Encontrámo-nos com Zeus no Miradouro de S. Loureço das Eiras.

 

Ali ao lado as ossadas de uma Calçada Romana que, cheiinha de curvas, nos levaria direitinho ao Cruzeirito envergonhado de Eiras.

 

 Olhámos ambos, com silêncio e alguma demora, para todo aquele continente de serranias, outeiros, vales, cortinhas, bosques, povoados, e uma «civitas» desnaturada pelos «monumentos»  aos disparatados caprichos e diatribes dos seus últimos administradores.

 

Zeus bateu com o punho no muro e vociferou:

 

 

- Mirmidões! Julgam que “estão a mandar” na TAMEGÓNIA!

 

-Aqui   é   a     T A M E G Â N I A!

 

 

Apontou o dedo para a estátua dum Afonso, lá na Praça do Luís de Nantes, e falou:

 

- Fementidos, petulantes, julgam que com as suas diatribes inconsistentes e ao sabor de interesses mesquinhos vão transformar, como num qualquer acto de magia, a Sociedade e começar de novo a História.

Na Política faz-se História Humana, e esta não se recomeça   -   continua-se.

Para tal é preciso ter-se Memória.

E é aqui que se impõe o respeito pelo Passado    -   usos, costumes, tradições, monumentos, obras literárias e de Arte, etc.

O que somos hoje começou por ser o que fomos antes e ontem.

Erradamente, para não dizermos estupidamente, decidem que a sua glorificação pessoal a constroem destruindo pelo desmazelo os testemunhos históricos que foram, e são, as edificações da sua, e da nossa, civilização.

Não ouvem os demais porque acham ter dentro da sua cabeça tudo o que lhes faz falta para as tomadas de decisão.

Ocupam os cargos de Edis sem o mínimo sentimento de solidariedade para com o destino ou a sorte das condições de vida dos seus paroquianos.

Propõem-se ficar históricos.

          Permanecerão anacrónicos!