Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Flavienses Ilustres - Comendador Brenha da Fontoura

24.11.08 | Fer.Ribeiro

 

COMENDADOR BRENHA DA FONTOURA

 

Abílio Brenha da Fontoura nasceu em Chaves em 11 de Agosto de 1894 e faleceu na cidade de S.Paulo, Brasil, em 28 de Outubro de 1975.

 

Era filho do farmacêutico Francisco Marcelino da Fontoura e Arminda Camargo Fontoura Brenha, de S. Sebastião de Tijuca-Brasil. Foi baptizado na Igreja Paroquial de Santa Eulália, de Anelhe, em 29-8-1894.  

 

Muito novo emigrou para o Brasil. Foi empregado da importante Casa Sotto Mayor, vindo a ocupar os primeiros lugares. Reconhecida e apreciada a sua inteligência e actividade, foi-lhe confiada a gerência da importante Sucursal de São Paulo.

 

Ali, na cidade dos Bandeirantes, cedo se tornou uma figura de alto relevo, não só entre a Colónia Portuguesa, como ainda em todos os meios comerciais e industriais, políticos e religiosos.

 

Dado o grande prestígio e consideração do seu nome, S. Santidade  o Papa Pio XII, tendo conhecimento das suas acções de benemerência e querendo, de forma iniludível testemunhar-lhe a sua admiração, houve por bem nomeá-lo COMENDADOR DA ORDEM DE S. SILVESTRE - PAPA, outorgando-lhe todos os privilégios inerentes a esta alta dignidade. Tal graça pontifícia foi concedida na Cidade do Vaticano em 28 de Janeiro de 1949, sendo o Breve executado pelo Cardeal-Arcebispo de São Paulo, D. Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota, sendo-lhe entregue na sua própria residência, estando presentes altas individualidades.

 

Em homenagem à sua terra, ao seu solar na entrada de São Paulo - Rio de Janeiro, deu-lhe o nome de VILA ANELHE DE ITAIM.

 

Embora tivesse passado grande parte da sua vida no Brasil, manteve sempre forte ligação a Chaves e a Anelhe onde tinha residência.

 

.

Imagem de arquivo - post de Anelhe

.

 

Graças aos seus capitais e a influência dos seus amigos, foi aberto o troço de estrada de Anelhe à Praia de Vidago, mandou restaurar a Igreja Paroquial e construiu o edifício escolar, com as dependências exigidas pela higiene.

 

Em Chaves mandou construir a Cantina Escolar com o nome do grande pedagogo e seu tio Padre Joaquim Marcelino da Fontoura, sendo entregue à Câmara Municipal de Chaves.

 

Foi também o grande patrocinador para a construção do Jardim Escola João de Deus, situado no Largo dos Combatentes da Grande Guerra, em Chaves, o primeiro Jardim Escola de Chaves, como referiu o seu dedicado amigo Dr. Mário G. Carneiro, em 30- 10-1962, no acto de inauguração: se não fosse o Sr. Comendador A. Brenha da Fontoura, não haveria neste momento um J. Escola em Chaves.

 

A toponímia flaviense dedica-lhe uma das principais avenidas de entrada na cidade, mais propriamente a avenida que começa na Praça do Brasil e termina na Av. Bracara Augusta.

 

 

Também a toponímia da cidade de S.Paulo no Brasil lhe dedica o nome de uma rua. Brasil onde estava também ligado a obras de beneficência como por exemplo o Hospital de São Joaquim da Reala e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência de São Paulo, da qual foi presidente durante 10 anos (1963-1973), sendo considerado o maior e mais completo Hospital do Brasil.

 

Em livro, edição brasileira de autor, Salomão Jorge publica « Abílio Brenha da Fontoura/Um Transmontano no Brasil.

 

Em testamento, deixou a maioria dos seus bens em Portugal aos Lares de 3ª Idade então existentes em Chaves.

 

6 comentários

Comentar post