Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Discursos Sobre a Cidade - Um poema de José Carlos Barros

19.12.08 | Fer.Ribeiro

 

.

 

 

Os Bárbaros e uma Obra do Mestre

 

 

poema de José Carlos Barros

http://casa-de-cacela.blogspot.com

 

 

 

Muito bárbaros eram esses suevos

mas guichos que sei lá bem o quê

deixaram a Marco Ulpio Trajano a função de

construir a ponte e eles é que se passearam no tabuleiro

 

a gozar as despesas do Império e fazendo

aos legionários e a César

manguitos à distância de três séculos

dizendo coisas em voz alta que felizmente

 

de tão arrevesada a língua deles

não é permitida a tradução em português moderno.

E bárbaro era também o latim do bispo Idácio

 

como se vê da sua Crónica

e ó mais calcorreou o Oriente e com S. Jerónimo

trocou impressões sobre os salmos

 

e a vastidão do mundo

e ele mesmo foi depois à Gália a argumentar

aos romanos as vantagens de

com os suevos se assinarem tréguas.

 

E bárbaro ainda era este Nicolau Nunes da Silva

natural de Curalha a fazer de Jesus

Cristo no Acto da Primavera do Manoel

de Oliveira que ganhou em Siena

 

uma medalha de ouro não obstante grosseiramente

o redentor falar em trasmontano rude.

E não menos bárbaro era o altivo João Miranda

 

no papel de S. Pedro também de Curalha chegando

atrasado à encenação de socos e túnica

explicando-se com o tempo que ficara

 

tão de jeito para nas suas leiras tratar do trigo

que o cinema português bem podia esperar

que disso não emboiaria só porque tardara um cibo

vindo a desoras da sacha.

 

É verdade portanto ó amiga que somos como dizes

bárbaros no falar e nos usos e no modo

como dependuramos os recos no tecto das adegas.

Mas mais que romanos apesar da ponte

 

é com os suevos que a nossa genealogia se

entende. Isto me custa que não discorras

saindo assim da sessão da Cinemateca a perorar

 

sobre a tensão entre Transcendência e Imanência

a propósito de uma obra do Mestre em que

compreendes tudo menos o que lá está.