Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Ilustres Flavienses - Dr. Artur de Almeida Carvalho Júnior

29.12.08 | fernando ribeiro

Para bem e para mal, os Presidentes de Câmara deixam testemunhos da sua passagem pelos paços do poder. A uns há que elogiá-los pela obra que fizeram em prol da cidade, a outros, mais vale esquecê-los ou ignorá-los pelo bem que não fizeram, mas sobretudo pelos males que semearam ou permitiram.

 

Há no entanto outros, que também passaram pelos paços do poder e fizeram obra em prol de Chaves e que, com o passar dos anos, se foi esquecendo o seu nome, que hoje em dia é quase ignorado, mesmo que sejam nomes de um passado recente e mesmo com obras, até,  exemplares e que viriam a marcar o futuro da cidade. Entre esses nomes está o do Dr. Artur de Almeida Carvalho Júnior, que nasceu, viveu e morreu em Chaves.

 

Artur de Almeida Carvalho Júnior, era licenciado em Físico-químicas.

 

Foi professor no Liceu Fernão de Magalhães, lugar que exerceu com muita proficiência e esmero. “Professor exigente, mas óptimo mestre”, dizem dele aqueles que foram seus alunos. Pelas suas altas qualidades como docente, ascendeu ao cargo de Reitor daquele estabelecimento, lugar que ocupou durante vários anos.

 

Em 1944 foi designado para Presidente da Câmara Municipal de Chaves.

 

Durante o seu mandato, destacam-se os principais melhoramen­tos de Chaves, obras que poderão parecer simples aos olhares e recursos de hoje, mas que marcaram na época e das quais temos pena que algumas, por força de outras decisões posteriores de outros presidentes dos mesmos paços do poder, viessem a ser desmanteladas.

 

Obras visíveis e justificadas para o bem da cidade e da população.

 

.

 

 

Arrabalde antes de 1946

.

 

Em 28-12-1945 em reunião de Câmara dirigia-se assim à Câmara:

 

 

“está o actual Mercado instalado desde longa data no centro da cidade, (Arrabalde) sem que possua a mais elementares condições de higiene e asseio; acresce, além disso, ser o referido local logradouro dos desocupados e mendigos da cidade e não é coisa rara verem-se estes últimos em descuidado trabalho de despiolhamento que enoja quem passa; o mesmo acontece com as chamadas «regateiras» do mercado. Ora, este estado de coisas é vergonhoso para uma terra que tem categoria de cidade e que além disso é frequentada no verão por centenas de aquistas que aqui vêm fazer uso das águas das Caldas. Por todas estas razões e porque o local se presta a uma urbanização fácil que a torne «Sala de visitas» da cidade, proponho, que seja transferido, ainda que provisoriamente, para os terrenos que são pertença da Câmara Municipal, conhecido vulgarmente pelo nome de «Horta das Longras».

 

.

 

 

Antigo Mercado Municipal em funcionamento até 1986

.

 

A proposta foi aprovada por unanimidade e seria durante o seu mandato que o novo mercado municipal viria a ser construído entre a Rua do Olival e a Ruas das Longras, com as tais condições higiénicas e de asseio que então se exigiam. Obras que deram lugar ao arranjo do Arrabalde onde mais tarde viria a surgir o Palácio da Justiça.

 

É também do seu mandato o calcetamento de algumas das principais artérias da cidade, como a Rua Direita, da Trindade e da Rua da Cadeia (actual Bispo Idácio), bem como a criação de um centro de assistência social materno-infantil, o complemento da rede de esgotos e a construção do parque infantil no Jardim Público, aquele que ainda hoje deixa saudades ao pessoal da minha geração.

 

.

Antigo desaguar do Ribelas no Tâmega

.

 

Mas não se ficou por aqui a obra deste Presidente de Câmara, pois a ele se deve a construção de um bairro económico - Bairro Marechal Carmona, bem como a mudança do leito do ribeiro de Ribelas (criando assim condições para as obras das Caldas de Chaves – Buvete, que se viriam a realizar, por túnel (no seu actual traçado por baixo da Praça do Brasil) e ainda a construção do açude do Rio mega, a construção do Estádio Municipal e a realização do Campo de Aviação, no Campo da Roda.

 

.

 

.

Também é por mãos dele que a Câmara não perdeu então a concessão de exploração das águas das caldas e que propõe à Câmara em 4 de Maio de 1945 o seguinte:

 

 

”Havendo toda a vantagem em regulamentar, dentro do possível, o uso das águas das Caldas, não permitindo que se faça tratamento sem que previamente tenha feito inscrição médica, com excepção dos indivíduos que apenas desejam fazer uso delas como banhos de limpeza, mas para tal torna-se necessário, em primeiro ligar, propor ao Conselho Superior de Minas e Serviços Geológicos – Secção de Águas, a nomeação de um Médico habilitado com curso de Hidrologia” e foi assim e por mãos (proposta) também deste Presidente que outro ilustre flaviense entraria para a vida das Caldas de Chaves – o Dr. Mário Gonçalves Carneiro.

 

Para terminar, é ainda por mãos do Dr. Artur de Almeida Carvalho Júnior, que os dois edifícios da Escola Primária do Caneiro estão no local onde estão, pois foi no mandato dele que se adquiriram cerca de 5000m2 para implantação das actuais instalações.

 

Por tudo o que este Presidente de Câmara fez, penso ser merecedor de entrar na galeria de ilustres flavienses deste blog.

 

O Dr. Artur de Almeida Carvalho Júnior viria a cessar funções como presidente de Câmara em inícios de 1947.

 

Mais uma vez, também Firmino Aires, um homem atento à nossa história, na Toponímia Flaviense consagrou-lhe uma Rua e um Travessa na zona de Santa Cruz.

 

As fotos de hoje são do arquivo do blog Chaves Antiga, de autor desconhecido, mas que retratam a época e algumas os locais das obras mais importantes que foram levadas a efeito no mandato do Dr. Artur de Almeida Carvalho Júnior.

 

Até amanhã, com outros olhares

 

1 comentário

Comentar post