Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Foi Notícia

10.01.09 | fernando ribeiro

 

Forte nevão volta a isolar a região do Alto Tâmega e encerrou escolas

 

.

 

.

 

A neve regressou ontem à região de Trás-os-Montes, e juntamente com gelo, que há vários dias permanece em várias localidades, deixou as estradas intransitáveis e com o arrefecimento nocturno a tendência é para piorar.

 

.

 

.

 

Nevou intensamente durante todo o dia em Boticas, Chaves, Montalegre, Valpaços, Vila Pouca de Aguiar e Ribeira de Pena.

 

.

 

.

 

Inúmeras localidades destes concelhos ficaram isoladas e as escolas tiveram mesmo de encerrar ao final da manhã, pois não havia garantias de que durante a tarde os transportes públicos conseguissem circular.

 

 

Automobilistas retidos nas estradas

 

Na zona da Serra do Alvão (A7), caiu um dos maiores nevões do ano e foram muitos os automobilistas que foram apanhados de surpresa e ficaram retidos até à chegada do limpa neves.

 

Governo Civil lança alerta

 

Atendendo ao visível agravamento do estado do tempo, o Governo Civil de Vila Real lançou um alerta a população do distrito para que evite fazer qualquer tipo de deslocação, salvo casos de absoluta emergência.

 

.

 

.

 

O Governo Civil sublinha que, devido a dimensão do nevão, “a maioria das estradas acabarão por se tornar intransitáveis, tornando, também, muito difícil qualquer forma de resgate.

 

Solicita-se ainda que sejam sempre cumpridas as instruções e recomendações emanadas pelas forças de segurança e protecção civil.

 

Chaves

 

Rituais de Magia Negra trazem população apavorada

 

Numa encruzilhada bem próximo do cemitério de Outeiro Seco, logo à entrada da freguesia, um cesto com uma boneca, velas champanhe e mais um elevado número de utensílios relacionados com rituais de Magia Negra, instalaram o medo.

 

.

 

.

 

A GNR, tal como no caso de Sanjurge, chegou mesmo a estar no local e tomou conta da ocorrência, mas ao que conseguimos apurar, não existe enquadramento legal para este tipo de situações e só mesmo uma queixa por parte de alguém que se sinta lesado, pode dar início a uma investigação.

 

No caso que aconteceu dentro do cemitério a história é bem diferente e tal como nos confirmou a PSP, o artigo 254 do Código Penal, pune com dois anos de cadeia ou multa até 250 dias o crime de profanação de cadáver ou local fúnebre.

 

 

Notícias a desenvolver na próxima edição do Semanário “A Voz de Chaves – O Jornal do Alto-Tâmega”

 

.