Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Mosaico da Freguesia de Vilela do Tâmega

07.02.09 | Fer.Ribeiro

 .

Localização:

A 10 km de Chaves, situa-se numa faixa de território a Sul da cidade de Chaves, ao longo do Rio Tâmega (margem esquerda) e da Estrada Nacional 2, entre Chaves e Vidago.

 

Confrontações:

Confronta com as freguesias de Vilarinho das Paranheiras, Vilas Boas, S.Pedro de Agostém, Curalha, Redondelo e Anelhe. Entre estas três últimas freguesias e a freguesia de Vilela do Tâmega, a linha divisória é o Rio Tâmega.

 

Coordenadas: (Largo da Igreja de Vilela do Tâmega)

41º 40’ 58.42”N

7º 32’ 39.29”W

 

Altitude:

Variável – Entre os 600m em Redial e os 375m em Moure

 

Orago da freguesia:

Nossa Senhora da Assunção

 

Área:

8.57 km2.

 

Acessos (a partir de Chaves ou Vidago):

– Estrada Nacional 2.

 

.

 

.

 

Aldeias da freguesia:

            - Vilela do Tâmega;

            - Moure;

- Redial.

 

População Residente:

            Em 1900 – 658 hab.

            Em 1920 – 639 hab.

Em 1940 – 742 hab.

            Em 1950 – 802 hab.

Em 1960 – 753 hab.

            Em 1981 – 557 hab.

            Em 2001 – 441 hab.

 

.

 

.

 

Principal actividade:

- Actualmente a agricultura e a extracção de resinas, no entanto há umas dezenas de anos atrás também tinha a moagem de cereais como actividade, graças a alguns moinhos do Tâmega, actualmente abandonados.

 

Particularidades e Pontos de Interesse:

Embora haja muitas referencias à freguesia ter sido povoada pelo romanos, à existência de uma ponte e de uma via romana, referência essas que vêm já desde 1886 com o Abade de Miragaia, principalmente junto ao Rio Tâmega,  a verdade é que hoje em dia não há vestígios visíveis, embora haja também referências a achados, entre os quais de moedas romanas que confirmarão esse tal povoado antigo por parte dos romanos. Também nas imediações de Moure há referências à existência de algumas sepulturas antropomórficas.

 

Bem visível é ainda a Igreja Paroquial em Vilela do Tâmega de traça setecentista, tendo sofrido obras em 1880. A sua frontaria apresenta um pórtico rectangular encimado por frontão triangular sobre o qual se destaca um pequeno óculo quadrilobado. Os cunhais são rematados no topo por pináculos. No remate da empena da fachada principal apresenta-se um campanário de dupla sineira.

.

 

 

Fotografia aérea de Vilela do Tâmega disponibilizada por Google Earth

.

 

Ainda no património religioso há a destacar na freguesia diversos templetes invocando a Nossa Senhora das Dores, Santo António e S.Tiago, que têm as respectivas festas. Há ainda a considerar alguns cruzeiros (Redial, Moure e Cruz da Serra).

 

Quanto ao casario, Moure tem um pequeno núcleo que se desenvolve à volta de um largo, mas é também em Moure que Aida existe a antiga estação da CP, interessantíssima como todas as estações dos inícios do Séc. XX, mas em perfeito estado de abandono e degradação, caminhando para a ruína se medidas urgentes não forem tomadas. Em Redial, o casario desenvolve-se à volta de um cruzamento onde está também implantado um importante solar, o Solar dos Mouras, oitocentista, com pedra de armas e relógio de sol, mas, sofre dos mesmos males da Estação da CP. Abandonado, degradado e também a pedir obras urgentes de restauro e conservação. Ainda perto de Moure (na Relva) há alusões ao antigo solar dos Barretos, que eu pessoalmente desconheço.

 

Como último ponto de interesse, a antiga Linha do Corgo que curiosamente aqui se desenvolveu ao longo de outro rio (o Tâmega), cujos carris já há muito que desapareceram, mas ficou espaço para um caminho transitável, de preferência com um todo-o-terreno, onde no percurso entre Moure e Curalha se poderá ainda apreciar a Barragem da Peneda, toda ela executada em granito.

 

.

 

Fotografia aérea da freguesia de Vilela do Tâmega disponibilizada por Google Earth

.

 

 

Linck para os posts neste blog dedicados às aldeias da freguesia:

 

            - Vilela do Tâmega

 

            - Moure

 

- Redial