Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

O Olhar de Freecat sobre Chaves (Outeiro Seco).

10.02.09 | Fer.Ribeiro

.

Todos sabemos que os gatos são donos e senhores do seu nariz. Presos na sua liberdade, livres no seu território.

 

Freecat é o nick do nosso convidado de hoje para outros olhares, os seus olhares presos na liberdade de fotografar tudo que é património e arquitectura religiosa, que vão desde os Mosteiros da Galiza, passam pelos Caminhos de Santiago, adoram a Arte do Românico e dão umas voltas pela Galiza nos “entornos” de Vigo.

 

.

 

.

 

Mas mais que o registo das suas liberdades no território da arquitectura religiosa, está também a contribuir para a história com o levantamento fotográfico dos temas que se propôs.

 

Na descoberta da Arte do Românico este “gato livre” registou também alguma da Arte Românica que temos no nosso concelho, mais propriamente a arte da Igreja Românica de  Outeiro Seco.

 

.


.

 

Não sei se a descoberta da igreja Românica foi por mero acaso ou se já tinha referências para chegar até ela. Seja como tivesse sido, a descoberta da nossa arquitectura religiosa, onde se inclui a Românica, parte quase sempre ao acaso, pois que eu saiba, fora dos escritos arrumadinhos em estantes de bibliotecas, não há nada que desperte quem nos visita ou quem nos habita para a importância (grande ou pequena) que também temos neste tipo de património, principalmente no românico que é aquele que mais vai atraindo turistas da especialidade. Um roteiro e a divulgação da nossa arquitectura religiosa exige-se, mas também a sua preservação.

 

.

 

.

 

Lamento que este nosso amigo Galego, que por trás do Nick Freecat é José António Gil Martínez, um Galego de Vigo, não tenha na sua nobre galeria do Românico os nossos exemplares do concelho. Lamento mas fica o convite para uma próxima visita a alguns dos nossos exemplares, que assim de repente e de memória lembro a Capela da Granjinha (que segundo dizem é a mais antiga da região), a Igreja de S.Julião de Montenegro, a Igreja de Santa Leocádia, a Igreja de Moreiras, a Igreja de S.João Batista em Cimo de Vila e  a Igreja de Nogueira da Montanha. Não sei se falta alguma, é natural que sim, pois como disse esta relação é de memória e sem apoio do tal roteiro (simplificado) que não existe.

 

.

 

.

 

Pois meu caro Freecat ou José Martínez, fica o convite para um destes fins-de-semana fotografar o que temos por cá de Românico e como por cá não há roteiros ou guias da especialidade,  o blog Chaves (se necessário), até oferece o guia, pois acredito que a sua já rica galeria do Românico, ficará ainda mais rica com os nossos exemplares.

 

Freecat ou José António Gil Martínez,  o galego de Vigo apaixonado pela informática e as comunicações, encontrou também na fotografia digital outra paixão e muito bem orientada para a fotografia temática da arquitectura religiosa com a qual, no meu entender, também está a fazer história.

 

.

 

.

 

Por hoje ficam as fotos da igreja Românica da Nossa Senhora da Azinheira de Outeiro Seco, mas estou em crer que em breve teremos mais fotos do nosso Românico na galeria deste apaixonado fotógrafo. Galeria que poderá e deverá visitar aqui:

 

http://www.flickr.com/photos/freecat/

 

E por hoje é tudo. Amanhã há mais Chaves, talvez com a descoberta da nova maravilha de Chaves.

 

Até amanhã!

5 comentários

Comentar post