Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre o "Reino Maravilhoso"

18
Abr09

Mosaico da Freguesia de Oura

 

.

 

Localização:

A 22 km da cidade de Chaves e confrontante com Vidago, a Sul do concelho e no seu limite, precisamente onde a Estrada Nacional 2 abandona o nosso concelho para entrar no concelho de Vila Pouca de Aguiar. A freguesia de Oura  situa-se numa faixa de território que é conhecido pelo vale da Ribeira de Oura, conhecido também pelas suas férteis terras.

 

Confrontações:

Confronta com as freguesias de Arcossó, Vidago, Selhariz, Loivos e ainda com as freguesias de Capeludos, Bragado, Vreia de Bornes e Valouras, estas últimas do concelho de Vila Pouca de Aguiar.

 

Coordenadas:

            De Oura ( Adro da Igreja)

41º 36’ 59.41”N

7º 33’ 57.62”W

 

            De Vila Verde de Oura ( Adro da Igreja)

41º 37’ 56.39”N

7º 33’ 56.39”W

 

 

Altitude:

Variável – acima dos 350m e os 400m.

 

Orago da freguesia:

São Tiago.

 

Área:

11,93 km2.

 

Acessos (a partir de Chaves):

– Estrada Nacional 2 ou A24 até ao Nó de Vidago.

 

.

 

 

.

 

 

Aldeias da freguesia:

            - Oura

            - Vila Verde de Oura

 

População Residente:

            Em 1900 – 715 hab.

            Em 1920 – 953 hab.

            Em 1940 – 1186 hab.

            Em 1950 – 1439 hab.

            Em 1960 – 1132 hab.

            Em 1981 – 876 hab.

            Em 2001 – 652 hab.

 

Os dados da população da freguesia não deixam de ser curiosos, pelo menos tendo em conta a sede de freguesia – Oura, pois foi uma aldeia que fisicamente cresceu, com a construção de novas casas, mas que desde 1950 tem verificado uma perda acentuada da população. Vamos aguardar pelos Censos de 2011 para ver se aumento de construções também significa aumento de população.

 

.

 

 

.

 

Principal actividade:

- A agricultura que se desenvolve ao longo da fértil veiga da Ribeira de Oura.

 

Particularidades e Pontos de Interesse:

A freguesia desenvolve-se ao longo da Ribeira de Oura, estando Vila Verde de Oura implantada em plena veiga, ao contrário de Oura, que ocupa as terras mais elevadas da freguesia.

 

 Ligada que está a uma veiga fértil, a sua principal actividade provém dessa mesma veiga, com toda a sua ruralidade ligada à agricultura, mas também à exploração de madeiras e também pecuária e ainda às águas minerais, pois a nascente de Salus que estava associada às águas de Vidago, também nascem em terras da freguesia, bem como águas nunca exploradas, com idênticas características que também existem na proximidade de Vila Verde de Oura. Nascentes que pouco significam (ou nada) em termos económicos e de divulgação para freguesia, pois as mesmas são exploradas por empresas de fora do concelho e neste momento, infelizmente, nem sequer são engarrafadas ou comercializadas com a marca de origem.

 

.

 

 

.

 

 

Duas aldeias com interessante casario rural e algum senhorial dos Séculos XVIII e XIX em ambas as aldeias, o que demonstra o poderio de algumas famílias dessas aldeias nos séculos passados.

 

A igreja paroquial embora simples é interessante e segundo se mostra no seu lintel principal, data de 1779.

 

Bem mais interessante que a Igreja Paroquial é a Capela da Srª da Piedade ou do Cruzeiro, este mesmo em frente à capela (também muito interessante). Capela com data de 1759 onde se realça o conjunto escultórico representando a “Pietá”, inserido num nicho da respectiva frontaria.

 

.

 

 

.

 

 

Digna de realce é também a casa senhorial conhecida como a Casa dos Azeredos, solar armoriado, com capela particular e templete anexo segue a traça arquitectónica setecentista.

 

E de realce em realce vamos para a ponte medieval que alguns também dizem ser romana (a eterna dúvida) de um só arco redonda e tabuleiro do tipo cavalete, a qual ainda conserva as originais guardas em granito e que por estar implantada em pleno caminho rural, tem sido poupada ao trânsito automóvel (embora algum se faça por lá) e ainda se mantém em bom estado de conservação.

 

Nem que fosse só pelo que atrás foi dito, pois há mais, as duas aldeias da freguesia são merecedoras de visitas de apreciação, que recomendo a quem gosta do nosso mundo rural e do seu casario tradicional rural com alguns belos exemplares senhoriais.

 

De realçar também que a aldeia de Oura, a tal que cresceu fisicamente, cresceu e cresceu bem, pois cresceu em espaço próprio (a margem do núcleo tradicional) em terrenos que foram devidamente loteados e infra-estruturados tendo a Estrada Nacional a separa as “duas aldeias”, ou seja a Oura antiga, com o seu núcleo ti+iço e tradicional e a Oura nova, completamente nova, já no vale de exploração das afamadas águas e na continuação do Parque de Vidago.

 

 

.

 

 

.

 

 

Linck para os posts neste blog dedicados às aldeias da freguesia:

 

 

Para saber mais sobre as duas aldeias da freguesia, nem há como rever os posts dedicados a cada uma delas:

 

            - Oura:  http://chaves.blogs.sapo.pt/292743.html

 

            - Vila Verde de Oura: http://chaves.blogs.sapo.pt/285274.html

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

 

 

Olhares de sempre

Links

As minhas páginas e blogs

  •  
  • Aldeias de Barroso

  •  
  • FOTOGRAFIA

  •  
  • Animação Sociocultural

  •  
  • Cidade de Chaves

  •  
  • De interesse

  •  
  • GALEGOS

  •  
  • Imprensa

  •  
  • Páginas e Blogs

    A

    B

    C

    D

    E

    F

    G

    H

    I

    J

    L

    M

    N

    O

    P

    Q

    R

    S

    T

    U

    V

    X

    Z

    capa-livro-p-blog blog-logo

    Comentários recentes

    • Amiel Bragança

      Foi um final conciso do consiso.Abraço, AB

    • JM Naturopatia

      Fantástico trabalho de recolha e divulgação de um ...

    • Anónimo

      gostaria muito de um dia poder conhecer. meu pai v...

    • Anónimo

      Não me admiraria se esta fotografia fosse «roubada...

    • Anónimo

      Sou alfacinha de gema, mas gosto de vos ler; olham...