Quarta-feira, 29 de Abril de 2009

O direito e o dever de vir aqui, outra vez, com o Festimage

 

.

 

Para iniciar quero desde já agradecer ao Semanário Transmontano que, a pedido ou por iniciativa do seu proprietário JB César, disponibilizou no seu jornal uma página inteira à minha “contestação” sobre o Festimage. Sinto-me honrado com tal facto principalmente ao constatar que mereceu mais atenção que por exemplo a recente visita do Presidente da República a Chaves e as comemorações das Invasões francesas que só tiveram direito a umas míseras linhas no seu jornal. Obrigado ó pá, não era preciso tanto… Mas há que repor algumas verdades, pois o Sr. JB César conhecendo bem as manhas do jornalismo, deturpa aquilo que eu disse transcrevendo do meu texto apenas aquilo que lhe convinha, sem no entanto, diga-se a verdade, negar o que eu disse e até vai confirmando o que eu afirmei, esquivando-se a dar resposta ao que não lhe convinha.

 

Mas vamos então ó que o Sr. JB César disse no seu jornal, e que por entre muitos devaneios e misturas de borrifadores, deturpa intencionalmente aquilo que eu disse.

 

.

é assim que Chaves é divugada mundo fora pelo Festimage...

.

 

No que era essencial, que era criar um prémio para fotos sobre Chaves, diz ele:

 

“ não teria cabimento criar um escalão de paróquia que admitisse só “fotografias” cá do concelho (…) seria muito redutor criar um prémio cujo tema obrigatório fosse Chaves ou o seu concelho (…) é verdade que o evento poderia contemplar estas e outras medidas “proteccionistas” para os “nossos” fotógrafos. E se o restringíssemos aos residentes, então de certeza que todos os anos teríamos um dos “nossos” como vencedor do Festimage.

Depois, porque o valor do prémio teria de ser também de âmbito concelhio, não estou a ver que atraísse fotógrafos de muito longe. Para aqui vir gente de Ourense ou de Lamego já cá temos o bacalhau dos restaurantes e as roletas do casino…”

 

Afirmações que deturpam todas as minhas e que ficam muito mal a quem as escreveu, não só como flaviense, mas também como proprietário do Semanário Transmontano e realizador do Festimage, ao depreciar, reduzir e minimizar Chaves e a região a uma paróquia de bairro, como também deprecia e minimiza o eventual valor dos nossos fotógrafos e da região, bem como das suas gentes.

 

Pois meu caro J.B. César em todos os textos que escrevi sobre o Festimage nunca defendi que deveria ser um festival/concurso apenas para fotógrafos e fotografias de e sobre Chaves (ou da paróquia, como o Sr. diz). O que escrevi é bem diferente, pois sempre aceitei em linhas gerais o Festimage e o que eu disse é que ALÉM DOS PRÉMIOS PREVISTOS NO REGULAMENTO (onde entram os Indianos e outros tais que nunca puseram os pés em Chaves) se deveria criar mais um prémio cujo tema fosse Chaves.

 

Se leu com atenção o meu post, eu dizia:  mantenho os lamentos dos anos anteriores em relação a este festival” e nesses lamentos anteriores afirmava (em dois anos consecutivos) – passo a transcrever:

 

“Como amante de fotografia só me posso congratular com a iniciativa da Câmara Municipal na realização do FESTIMAGE – Festival Internacional de Fotografia. Do formato do festival,  também nada tenho a dizer. Aliás as fotos de grandes dimensões colocadas nas ruas da cidade, nalguns casos, até dão jeito para tapar algumas misérias. Pela minha parte, nesses casos, até podiam lá ficar durante todo o ano. Quanto ao valor monetário dos prémios, também nada há a dizer… no entanto, como flaviense e cidadão deste concelho, há um pequeno apontamento que eu gostaria de fazer a este festival. (…) Porque não aproveitar o festival e o site para divulgar Chaves, o concelho e o melhor que temos em imagem e, a par de recebermos fotos interessantes de todo o mundo, porque não darmos fotos de Chaves a conhecer a todo o mundo, alargando o regulamento do festival para ter além do tema livre, o tema Chaves, com valor monetário de prémio igual ou superior ao do 1º prémio do tema livre. Aí sim a cidade ficava realmente a ganhar, ao atrair a Chaves (estou certo disso) bons fotógrafos portugueses e até estrangeiros, pelo menos de Espanha. Ganhávamos em fotografia e ganhávamos em turismo ao trazermos cá bons fotógrafos e no divulgar das suas (pela certa) belas fotos da cidade e do concelho e aí sim fazermos a festa e imagem de Chaves.”

 

Como pode ver Sr. J.B. César, o que afirma no seu artigo é bem diferente daquilo que eu sempre defendi.

 

E se o Sr. JB César não leu aquilo que eu escrevi, eu deixo-lhe aqui os links onde poderá ler tudo na integra ou confirmar aquilo que atrás deixei escrito:

 

O que eu disse em 2007: http://chaves.blogs.sapo.pt/204504.html

O que eu disse em 2008: http://chaves.blogs.sapo.pt/289761.html

O que disse este ano: http://chaves.blogs.sapo.pt/379151.html

 

.

é assim que Chaves é divugada mundo fora pelo Festimage...

.

 

 

Também o Sr. J.B. César me julga mal ao pensar que todos temos comportamentos similares. Pelo conhecimento que temos de há muitos anos e pelo que tenho defendido no meu blog, saberia que eu nunca concorreria ao Festimage, pois sei onde é o meu lugar na fotografia e que apenas a uso para ilustrar o meu blog ou para partilhar com fotógrafos da minha condição.

 

Também, nunca quis, pedi ou defendi que o Festimage abrisse uma galeria para fotógrafos flavienses no seu portal. É certo (sim senhor) que me convidou para participar nessa galeria (que abriu após o meu texto do outro ano), mas não foi repetidamente como o diz, a não ser que duas vezes signifique repetidamente, pois apenas me enviou um mail e disse-mo uma vez pessoalmente e, se quer saber, senti-me ofendido com o convite, pois eu nunca pedi ou defendi nada para mim, mas antes para a cidade de Chaves. Tinha obrigação de saber que eu não sou da laia da classe dos oportunistas e tachistas que tudo chamam a si, como também não sou da laia dos que andam sempre a bajular e encostados ao poder para dele tirarem os seus dividendos.

 

Para seu conhecimento (e tome isto também como “uma declaração de interesse”) o meu único objectivo e o do blog tem sido levar Chaves aos Flavienses e,  simultaneamente divulgar o que acontece nesta cidade e nesta região a qual para si, pelos vistos, não passa de uma paróquia cujos paroquianos não têm valor para concorrer ao seu festival. A mesma “paróquia” que o seu festival despreza em imagem, mas que recebe dinheiro dela para ser realizado e para divulgar Chaves.

 

Acusa-me o Sr. JB César de má fé e outros interesses, a mim que levo Chaves diariamente por esse mundo fora (no momento 7020 cidades e outros lugares espalhadas pelo mundo, em apenas dois anos e, a 675.000 visitantes em 4 anos – os mesmos anos do festival), sempre com um olhar atento sobre a cidade e as nossas aldeias, mostrando-as em imagem e criticando, sim, quando há lugar para a crítica mas também elogiando quando há razões para isso e, fique a saber também que para divulgar e levar Chaves todos os dias ao Flavienses, além de pagar (do meu bolso) vários serviços deste blog, o faço também com prejuízo do meu tempo livre e com recurso ao meu equipamento… ao contrário do Sr. JB César que recebe dinheiro de todos nós para nada divulgar da cidade… mas isso até nem interessa para o caso em questão, isto é só para responder à sua afirmação da minha má fé e das suas  insinuações.

 

.

é assim que Chaves é divugada mundo fora pelo Festimage... Esta ganhou o 1º Prémio

.

 

Pois saiba o Sr. JB César (e a quem mais interessar) que não ando a mando de partidos, nem me encosto a eles para resolver os meus problemas e, essa de meter política partidária nas suas defesas quando lhe escasseiam os argumentos, já é nóia velha em si que todos conhecemos. Se seguisse o blog e lesse os meus textos, saberia que há muito ultrapassei a fase da militância partidária, embora (claro), mantenha os meus ideais.

 

Por último, e para terminar este dispensar de atenção, fico feliz em saber que : “Em Portugal não há evento ligado à fotografia que possa ter a veleidade de se comparar com o Festimage”

 

Lá diz o ditado “presunção e água benta, cada um toma a que quer”. Lamento que tal como o Sr. JB César lamenta, este festival não chegue aos calcanhares dos outros festivais aos quais se quer comparar e que dos milhares de contos que se gastam neste festival não sobrem uns míseros cobres para realizar uma cerimónia de entrega de prémios em Chaves, assim os Indianos vencedores dos prémios sempre ficava a saber onde ficava esta terra. Mas não, o mundo virtual é o que está a dar, não é?

 

.

é assim que Chaves é divugada mundo fora pelo Festimage...

.

 

Pois é, um festival tão grande como o Festimage nem sequer deveria ser financiado pela Câmara Municipal desta “paróquia”, no mínimo (e dado a sua grandeza) deveria ser financiado pela Secretaria de Estado do Turismo, pelo Ministério da Cultura, sob o Alto Patrocínio do Gabinete do Senhor Primeiro Ministro, de Sua Excelência o Presidente da República e com a Bênção de Sua Santidade, tendo em conta, claro, que em Portugal não há outro igual.

 

Quanto ao borrifador, que raio, o que ele tem a ver com o assunto!? Pelo menos podia ter tomado exemplos mais recentes, fresquinhos até. Não faltam por aí. Desse borrifador, já ninguém se lembra. Mania de desenterrar os mortos…

 

Já agora, quanto à galeria que abriu para mim no portal do Festimage, pode-a fechar. Por razões que já atrás referi, não tenciono utilizá-la. De qualquer das formas, obrigado.

 

E para que não digam que eu também utilizo as manhas do jornalismo, fica aqui o link para o artigo do Sr. JB César, no último número do Semanário Transmontano:

 

http://www.semanariotransmontano.com/noticia.asp?idEdicao=186&id=8018&idSeccao=2633&Action=noticia

 

E vamos então ao post de hoje, que dado o direito e o dever de resposta ao artigo (uma página inteira, Eia!) do sr. JB César no seu jornal - o Semanário Transmontano, fica reduzido apenas a uma imagem daquilo que por cá temos de melhor, a nossa Top Model.

 

.

 

.

 

Até amanhã!

´
publicado por Fer.Ribeiro às 02:18
link do post | comentar | favorito
10 comentários:
De maria a 29 de Abril de 2009 às 11:07
Ao chegarem as noticias aos céus e ao darem a ler o s.transmontano da ultima semana a Zeus ,neste instalou-se uma sensação terrivelmente esquisita exclamando:
-Não consigo acreditar que aquele cacique entrava outra vez em erupção nas terras flavias .
Zeus já conhecia aquele tipo de gente que quando não conseguem ser igual a alguém com valor o tentava eliminar com as piores armas ,a mentira a estupidez, a ignorância.
haviam 35 anos que Zeus tinha trazido a liberdade e aquele senhor ainda não tinha assimilado o que aquilo significava.Zeus continuava a não perceber como um elemento ao qual os terrestres o associavam ao bom partido comunista se deleitava junto ao poder local de flavia.e dele colhendo favores.
Zeus disse aos seus anjos eu não quero que nos céus entre mais este jornal e mais uma vez exclamou:
se este filho da . . . .voasse é que se via bem o Sol.


De festival a 29 de Abril de 2009 às 11:49
O sr. César é bem modesto.
O êxito, e a abrangência, do Festimage não se pode comparar, de modo algum, ao do BESPhoto. Não tenho a mínima dúvida que, em Chaves, muita gente conhece o Festimage sem nunca ter ouvido falar sequer do BESPhoto. Até porque este último parece que só premeia paroquianos portugueses.
Da próxima não se acanhe, sr. César, afirme abertamente que é o maior cá da paróquia e redondezas!



De Luís Fernandes a 29 de Abril de 2009 às 14:08
“Ai o camundongo!”

No Semanário Transmontano lá está um «arrebitar» do tal balofo «quarto poder».
O autor do artigo de “Opinião” atira-se, como gato a bofes, a um “atrevido” que ousou «puxar» pelo prestígio e divulgação de CHAVES, no momento de mais um importante acontecimento na "NOSSA TERRA".
O sr. Opinante “Divagou bem” (muito, em quantidade), e não tão bem (em qualidade).
Que bem lhe ficou (e fica) logo, logo, a entrada superlativa do primeiro parágrafo!
Uma introdução «bem à maneira» para uma «discorrência» aleivosa.
O sr. Opinante do Semanário veio dizer-nos (será?) que substitui a sua função social pela obrigação do negócio.
Já andávamos desconfiado que estava a aumentar o número de Jornalistas a (re)negar o seu contributo para a vertebração e coesão da sociedade.
Com certeza, sr. Opinante, a baliza do direito é sua.
E o que fez (e faz) com a da ética?
O sr. Opinante levou a mal as opiniões desse seu conterrâneo acerca de um melhor aproveitamento da «SUA» iniciativa, no sentido de se dar mais (e outra) visibilidade a CHAVES.
Os reparos melindraram-no, só porque feitos por alguém que louva CHAVES tão bem (somos generoso!) ou melhor do que o sr. e as suas empreitadas; por alguém que o sr. «garante» (onde foi buscar tanta certeza?) não estar «afincadamente próximo, chegado, chegadinho» ao Partido Político que encomenda Serviços ao SEU “Jornal de Chaves, Lª”.
Nos reparos feitos, o sr Opinante deu-se conta de erros. E, claro, clarinho, o sr. Opinante pertence à elite dos que «nunca erram e raramente se enganam”!
Não alinhamos muito com estrangeirismos, mas, vá lá, deleite-se: - Nota-se bem que o sr. Opinante é um «happy few», à sombra da Torre de Menagem (ou estaremos a confundi-la com a estátua do Silveira)?!
Na frontalidade e na lealdade dos textos do seu «inimigo» não encontrou deslizes que o regalassem.
Ah! Mas reparos é que não admite!
Vai daí, cria e manipula o equívoco e usa de manhas.
Bem pensado! Ou prefere “gizado”?!
“Afincadamente distante” dos Partidos, afinal, o sr. Opinante revela-se cumplicemente dependente.
O sr. Opinante sabe (sabe, sabe) que se a sua opinião quanto ao FESTIMAGE fosse mais honesta (melhorando-a com os contributos de quem lhe faz reparos) perderia, provavelmente, o “Serviço” - prefere ajoelhar-se aos pés de Mammon.
E pouco mais lhe dedicamos, pois o sr. tem a obrigação de conhecer e reconhecer muito melhor do que nós os Méritos, a Dignidade e a Integridade do SENHOR FERNANDO RIBEIRO - um FLAVIENSE a quem o sr. ainda nem aos calcanhares chega!
A sua má – fé é que está patente no seu arrazoado.
Trate-se desse mal de Inveja, onde até vislumbramos uns pacotinhos de sais de Ingratidão.
E se este reparo lhe causar alguma azia, pois desopile lá como lhe der na gana.
Se o souber entender, saberá fazer um acto de contrição e concluir que a mísera «paróquia» onde o sr. vive merece o contributo de todos, e não só o seu e o dos seus arregimentados.
Ah! E quando falar de CHAVES «a sério», por favor, fale com mais respeito.
Ou o sr. é dos tais das «Bacalheiras»?!



Luís Fernandes


De observador a 29 de Abril de 2009 às 16:50
Ó senhor JB, já agora pode-se saber qual é o orçamento anual do Festimage?
Já percebemos que é um terço do custo do seu famoso borrifador, mas para quem não sabe o preço de custo do mesmo podem-se levantar dúvidas, principalmente atendendo às suas afirmações:
"O Festimage foi concebido por mim e é organizado anualmente, em regime de serviços prestados, pela empresa Jornal de Chaves, Lda., da qual sou sócio, e que edita este jornal."
Sabe, é que alguém mal intencionado poderá pensar que os serviços do Jornal de Chaves prestados à entidade que o subvenciona poderão não se limitar ao Festimage...
Conhecendo-se o seu custo real e dando-se-lhe uma justa margem de lucro (isto, se o Festimage não der prejuízo) de cinco ou dez por cento para quem tão abnegadamente o organiza ficaremos todos descansados quanto aos valores (éticos) subjacentes a estas guerras de alecrim e manjerona.



De luis a 29 de Abril de 2009 às 17:51
Fernando, estás a fazer publicidade gratuita ao SM e ao César? Coitado do homem, quando é que o site do SM chegará as 600.000 visitas?
Fizeste bem em não aceitar expor as tuas fotos, senão parece que é tudo por convite, por compadrio. Olha, a mim ninguém me disse nada!
Parece-me claro que o orçamento do festival daria para pagar a viagem ao vencedor, porque mesmo que venha da Índia, arranja-se um bilhete por uns 1000 euros, ou pouco mais, o que não é nada comparado com o resto. São opções.
Só sei que o festival custa uns 50.000 euros à câmara e a parte que vai para os prémios é cerca de 10.000. Ali pelo meio daria para sacar uns 2000 eurecos para a viagem do indiano, parece-me.


De Dinis Ponteira a 29 de Abril de 2009 às 18:37
Depois de ler este post, fui ler o artigo do jornal e devo dizer que fiquei de boca aberta ao ler o inicio.

“Em Portugal não há evento ligado à fotografia que possa ter a veleidade de se comparar com o Festimage”

Não queria repetir o que já foi dito, mas de facto o Festimage não chega para já aos calcanhares do do BESPhoto.
Claro que concordo plenamente com o que o Fernando diz, e se alguém tem dado Chaves a conhecer, quem melhor, do que o seu Blog, basta consultar a sua barra lateral e as visitas que tem.
O tema referido a Chaves, não quer dizer que fosse para os fracos fotógrafos da paroquia, pois não terão prestigio para concorrer a tais eventos, mas tem motivos mais que suficientes para que esses profissionais da imagem a visitasse caso quisessem concorrer a esse tema.
A Nossa Top Model, tão bem registada aqui por um Fotografo amador ainda há uns tempinhos ficou em 1º lugar num concurso onde estão magníficos amadores, (de muitas paróquias, e não só Nacionais), e a quem muiiiiiiiitos profissionais gostariam de chegar aos calcanhares.

dinis


De Nuno C.Almeida a 29 de Abril de 2009 às 19:01
Dinheiros e Festimagem à parte, a questão é mesmo a ética que parece não haver neste negócio entre o poder local e a imprensa local em questão, pois mais parece que com este festival o poder compra silêncios ao jornal e mesmo que isso não aconteça, ficará sempre a dúvida.


De J. Pereira a 29 de Abril de 2009 às 20:01
Nesta questão de paróquias e paroquianos sempre se ouviu dizer que santos da casa não fazem milagres.
É isso. Quem é o senhor Fernando Ribeiro para ter opinião sobre tão iluminado evento?
Ele até nem sabe que fotografia não é imagem, vejam lá!...
Então, acham que teria algum geito fazer uma espécie de mimi-concurso desse tal nome que se chama Festimage? Para que? Para que os outros vissem as óssas misérias?
É triste mas é verdade que o amor à terra que o Fernando tanto tem dispensado está a ser posto em causa por quem acha que somos provincianos sem gosto, sem arte, sem saber, sem sentir, e completamente cegos às modernices do mundo actual.
Continue Fernando, pois gostamos de si assim.


De MA_R a 30 de Abril de 2009 às 02:05
Os objectivos do Festimage fazem-me lembrar o tempo em que se esbanjava dinheiro com um clube de 1ª divisão, fazendo crer de que a cidade ia ser promovida e iamos quebrar a interioriodade. Este festival nem sequer consegue trazer mais valias aos comerciantes da terra.
O seu promotor é "encarteirado jornalista" é um senhor deveras engraçado. Em tudo muito parecido à classe politica actual. Usa o seu leviano discurso em defesa do seu umbigo.
Sr. JBC, caro sócio (do Transmontano), o verdadeiro caracter das pessoas observa-se quando lhe concedem um cheirinho de poder. Onde foi você adquirir essas vastas competências na arte de espezinhar aqueles que canalizam energias desinteressadas na verdadeira promoção da (sua) terra? Imaginava-o sentado ao lado do seu PC a censurar comentários no seu jornal!!
Pois, os tempo em que respondia com silêncio ao titulo de engenheiro, com que os simples dos nossos paroquianos o brindavam, acabou!
JBC à parte, é óbvio que esta actividade do festimage não promove a região nem os nossos artistas, Poderá sim, promover outros interesses à custa do contribuinte flaviense.


De UNDERTAKER a 1 de Maio de 2009 às 13:48
... como jornalista (?!), o Sr. JB César ganhará certamente o "Prémio PULHitzer" ...


Comentar post

.Fotos Fer.Ribeiro - Flickr

frproart's most interesting photos on Flickriver

.meu mail: blogchavesolhares@gmail.com

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


22
27
28

29
30


.pesquisar

 
blogs SAPO
ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

 

 

El Tiempo en Chaves

.Facebook

Fernando Ribeiro

Cria o teu cartão de visita Instagram

.subscrever feeds

.favorito

. Blog Chaves faz hoje 13 a...

. Solar da família Montalvã...

.posts recentes

. A Pertinácia da Informaçã...

. Cidade de Chaves - Um olh...

. Ocasionais - O Museu de F...

. 25 de Abril - Sempre!

. Crónicas de Assim Dizer -...

. Cidade de Chaves - Um olh...

. Chaves D´Aurora

. De regresso à cidade

. Quem conta um ponto...

. Nogueira da Montanha - Ch...

. Pedra de Toque

. Cinco dias cinco postas

. O meu ensaio sobre a cegu...

. Ocasionais

. Cinco dias cinco postas

.Blog Chaves no Facebook

.Veja aqui o:

capa-livro-p-blog blog-logo

.Olhares de sempre

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

Add to Technorati Favorites