Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Um poeta, um poema, seis quadras, sete imagens de Chaves - Portugal

09.10.09 | Fer.Ribeiro

 

.

 

Rio Tâmega

 

Rio Tâmega, teu nome

Não é só de perfeição;

Tens beleza e fealdade,

Humana contradição.

 

.

.

 

 

És belo se te insinuas

Entre oliveira e choupal;

Lento, largo, vigoroso,

Orla de praia estival.


.

.

 

És belo se não afogas;

Se não levas na corrente,

Varado de sete bala,

O corpo resistente.


.

.

 

És belo se não enredas

Quem do mundo se amofina;

Se não cobres de vergonha

O teu rosto de neblina.


.

.

 

És belo se natural

Aos olhos do curioso;

Se não inundas a terra

Com tua baba de lodo.


.

.

 

És belo nos teus segredos,

De povo em povo a correr.

És alegria e tristeza,

Conforme a onda quiser…

 

In “Poemas Transmontanos” – 1978 – Edgar Carneiro

 

.

 

 

 

.

 

 

4 comentários

Comentar post