Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Hoje há Torga

23.12.09 | Fer.Ribeiro

 

.

Chaves, 12 de Setembro  de 1983

 

Resguardo

 

Quero-te num poema,

Viva e transfigurada.

Sentada

No banco dum jardim

De versos outonais,

A ver horizontes irreais

Sumir-se o tempo, o burlador

Do amor,

Que diz que volta, mas que não volta mais.

 

Miguel Torga, in Diário XIV

 

 

 

 

Chaves, 30 de Agosto de 1990

 

É escusado teimar. A ser banal, a dizer banalidades e a pensar banalidades é que o português é português.

Miguel Torga, in Diário XVI