Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves - Antiga rua do Calau, actual Rua do Tabolado

23.06.06 | Fer.Ribeiro
3737-bl.jpg

Então vamos começar por um bocadinho da história da Rua.

Começa no Largo do Arrabalde e Termina às portas do Jardim do Tabolado – Daí o nome que hoje assume – Rua do Tabolado. Mas nem sempre foi assim, pelo menos e segundo documentos municipais no início do Século passado, pelo menos até 1913, chamava-se Rua do Calau, que segundo os mais entendidos que eu na matéria, levantam a hipótese de Calau derivar do vocábulo latino “callis” e cujo significado é: caminho feito e frequentado por gado. É natural que sim, aliás como se pode observar em fotografias antigas, o Tabolado era frequentado por muito gado, inclusive acho que era aí mesmo que se fazia a feira do gado.

Em 1920 e sob a presidência da Câmara do General Ribeiro de Carvalho a Rua é Alargada. Não possuo dados para saber se foi a partir de aí que adoptou o nome de Rua do Tabolado, é natural que sim.

Mas vamos à Rua do Tabolado de hoje. É uma rua que merece uma apreciação cuidada. Vamos começar pelo lado esquerdo da Rua. Aquando da construção destes edifícios, entre as suas traseiras e o rio, apenas existiam pequenos quintais que pela certa eram inundados no tempo das chuvas com a subida do leito do rio. Por essa razão, o lado mais cuidado e mais nobre destas construções ficou virado para a rua existente, o que foi pena, pois se a actual alameda que foi construída junto ao rio já então existisse, as actual margem direita do rio era bem mais interessante, pela simples razão de que todos os edifícios existentes na rua, quase sem excepção, são lindíssimos e mereciam melhores vistas. Quanto ao lado direito da rua, começa e termina com dois dos edifícios mais bonitos da cidade, o do antigo Banco Nacional Ultramarino e o Antigo Hotel de Chaves. Entre eles há um ou outro (dos poucos que existem) que merecem a nossa atenção, principalmente um, o edifício do Antigo Sarmento, que dado o seu estado de conservação nos pode cair em cima a qualquer momento. Contrastes!

Quanto à rua propriamente dita, foi sujeita a obras de requalificação recentemente. A rua ficou mais bonita e mais interessante, sem desníveis no pavimento. Comparo-a assim com alguém que anda sempre com roupa de trabalho e resolve vestir um bom fato, uma boa camisa, um bom par de sapatos, faz a barba e arranja o cabelo, mas estraga tudo quando escolhe a gravata. É o que se passa nesta rua. A rua tem tudo para ser uma das mais interessantes e bonitas da cidade, mas as “gravatas” que plantaram ao longo da rua incomoda toda a gente, principalmente os peões e os “alguns” que lá estacionam, pois raro é o dia em que não acertam numa das “gravatas”. Mas o que estraga mesmo a imagem da rua são os automóveis estacionados e o trânsito. Sem trânsito e estacionamentos era uma rua perfeita. Bom, o melhor é mesmo terminar aqui, porque começo a entrar em campos muito complexos e discutíveis e este blog não é por aí que quer ir. O que quer é mesmo levar a nossa cidade a todos os flavienses, principalmente aos ausentes.

Quanto às bandeiras, é mais uma rua solidária com as cores nacionais.

8 comentários

Comentar post