Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CHAVES

Olhares sobre a cidade de Chaves

Chaves - Rua do Correio Velho

21.06.06 | Fer.Ribeiro
3726-bl.jpg

Então e para me redimir do meu pecado do último post, ao ter esquecido a Rua do Correio Velho, hoje vamos até essa mesma rua.

Embora já tivesse pedido as devidas desculpas, o esquecimento é imperdoável e por variadíssimas razões. Uma porque é uma das principais ruas do Centro Histórico. Outra porque é uma rua cheia de história e cheia de personagens flavienses que nela viveram e, a última, é pessoal e passo a explicar: Já várias vezes o disse neste blog que eu sou do lado de lá do Rio, do lado da Madalena, da veiga, mais propriamente nascido (mesmo) na Casa Azul. Nos meus primeiros anos de vida houve duas famílias que habitaram a casa ao lado da minha e que curiosamente, a primeira mudou-se para a Rua de Stª Maria e a segunda para a Rua do Correio Velho, curiosamente também ambas para se estabelecerem com casas de pasto. Era no tempo dos bons vizinhos em que ser vizinho era ser amigo, assim como um amigo de família que fica para toda a vida. Escusado será dizer, que a partir da mudança destas famílias para a cidade, sempre que nos deslocávamos ao burgo havia visita obrigatória aos antigos vizinhos. As primeiras recordações que tenho de atravessar a Ponte Romana (teria eu para aí 5 anos) são precisamente para visitar os antigos vizinhos, então com casa de pasto na Rua do Correio Velho – Eis as razões pessoais pelas quais não me deveria ter esquecido da Rua. Só falta falar na dita família com a qual ainda hoje há ligações (entre os que ainda vivem) Era a Família Carunho, com o Sr. Carunho e a D. Cármen e os Filhos Chico, Mimi e a pequena Dalila. Apresentadas as razões e recordações vamos à rua propriamente dita.

Rua do Correio Velho que por mero acaso hoje oficialmente (mas só isso) é Rua Gen.. Sousa Machado, já tendo também em tempos adoptado o nome de Rua Nova. Mas é daquelas ruas que chamam-lhe o que chamarem, continuará a ser Rua do Correio Velho.

É uma rua de muita história e tradições e também com algumas estórias que merecem vários posts um deles até pode ter o título da “rua dos caldos de cebola” (um dia explico). Uma das ruas principais da antiga vila, em pleno centro do Centro Histórico, começa na Travessa das Caldas e termina nas Escadas das Manas. Tal como o nome indica era a rua dos antigos Correios. Em 1873 construi-se lá o Teatro Flaviense que mais tarde deu lugar aos celebres Canários. Foi uma sala, uma belíssima sala de espectáculos toda construída em estrutura de madeira, que tive o prazer e honra de conhecer e até a honra de pisar o palco em alguns espectáculos no pós 25 de Abril. Infelizmente foi com tristeza que todos os flavienses viram aquela sala de tanta memória começar a ruir e finalmente morrer. Os canários cada vez mais só existem na memória dos mais velhos e penso que a partir da minha geração (a boa colheita dos anos 60 com as devidas aproximações) já nem na memória existem. Era uma rua também de personagens da nossa cidade (que oportunamente passarão no blog Chaves Antiga). É pois e para finalizar, uma rua das quais nenhum flaviense se pode esquecer e por isso o meu redimir do pecado de ontem. Mais uma vez as minhas desculpas por tão grave e lamentável lapso, principalmente aos que lá habitaram e aos que lá habitam.

Ah! E claro, como rua solidária também tem bandeiras com a nossa selecção.

1 comentário

Comentar post